sexta-feira, 1 de junho de 2018

Governo monitora notícias falsas sobre retomada de paralisação

Ministro-chefe da Casa Civil afirmou que quem incita notícias falsas não ficará impune; segundo ele, pontos de acordo com caminhoneiros estão em vigor

Paralisação dos caminhoneiros durou 11 dias


O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou nesta sexta-feira (1º) que os órgãos de inteligência estão atentos a vídeos e notícias falsas que incitam a retomada da paralisação dos caminhoneiros e dizem que o governo não cumpre o acordo.
Segundo ele, se for necessário, serão tomadas providências. “No momento certo, se for o caso, haverá ação do governo para que quem estiver incitando de forma infundada inverdades pague a responsabilidade que esse ato por ventura decorra. Não vai ficar sem punição quem tentar descaracterizar a verdade dos atos praticados pelo governo”, disse em entrevista à imprensa após a reunião do Grupo de Acompanhamento da Normalização do Abastecimento, no Palácio do Planalto.
Padilha reforçou que pontos do acordo feito com os caminhoneiros já estão em vigor: a não cobrança de pedágio do eixo suspenso, em vigor desde quinta-feira (31), a reserva de 30% de frete na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para caminhoneiros autônomos e a tabela de preço mínimo para o frete. O desconto de R$ 0,46 por litro de óleo diesel deve chegar às bombas de combustível até a próxima segunda-feira (4).
Segundo o ministro, será publicada ainda nesta sexta-feira (1º), em uma edição extra do Diário Oficial da União, portaria com as regras para a fiscalização dos preços nos postos de combustíveis. As regras foram anunciadas nesta quinta-feira (31) pelo ministro Eliseu Padilha.

R7


COMPARTILHE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe