terça-feira, 31 de julho de 2018

Governo lança campanha para vacinar crianças contra pólio e sarampo; reforço será dado para quem já se vacinou

Crianças de 1 até 5 anos podem ser vacinadas mesmo se já tomaram a vacina anteriormente

Lançamento da campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomelite
Foto: Reprodução/Twitter

A partir do dia 6 de agosto, crianças entre 1 e 5 anos podem ir ao posto de saúde receber vacina contra a poliomielite e o sarampo mesmo se já tomaram o imunizante anteriormente (desde que não nos últimos 30 dias). O Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (31) uma campanha nacional de vacinação. São três os objetivos da campanha:
*Vacinar quem nunca tomou a vacina;
*Completar todo o esquema de vacinação de quem não tomou todas as doses;
*Dar uma dose de reforço para quem já se vacinou completamente (ou seja, tomou todas as doses necessárias à proteção).
A campanha vai até o dia 31 de agosto. No dia 18 de agosto, acontecerá o Dia D de mobilização, quando os mais de 36 mil postos de vacinação no país estarão abertos ofertando as vacinas. Segundo o ministério, 11,2 milhões de crianças devem ser vacinadas. A meta é chegar a pelo menos 95% delas.
Esse tipo de campanha de reforço, informa o Ministério da Saúde, acontece de quatro em quatro anos e já estava prevista no orçamento da pasta. Esse ano, no entanto, a campanha é ainda mais importante dada à volta da circulação do sarampo no território brasileiro e a ameaça da poliomielite.
O Brasil tem 822 casos confirmados de sarampo em 2018. Em Roraima e no Amazonas, estados mais atingidos pelo sarampo, as campanhas já começaram e estão ligadas ao surto. Já em relação à paralisia infantil, trata-se de uma precaução, já que 312 cidades estão abaixo da meta preconizada para o controle da doença e um caso foi registrado na Venezuela em junho. Não há, contudo, casos de paralisia infantil no Brasil.
O país erradicou a poliomielite do território em 1994; já o certificado de eliminação do sarampo havia sido alcançado em 2016.
Publicidade

O ministério informou que para a poliomielite, as crianças que não tomaram nenhuma dose durante a vida, receberão a Vacina Inativada Poliomielite. Já os que já tiverem tomado uma ou mais doses da vacina, receberão a Vacina Oral Poliomielite, a famosa "gotinha".
Em relação ao sarampo, todas as crianças receberão uma dose da vacina Tríplice Viral (que também protege contra caxumba e rubéola), seja qual for a situação vacinal, desde que não tenham sido vacinadas nos últimos trinta dias.

Quem deve ser vacinado?
·     Contra a poliomelite: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou. Em casos de nenhuma dose, será aplicada a Vacina Inativada Poliomielite. Em caso de uma ou mais doses, será aplicada a Vacina Oral Poliomielite, a famosa "gotinha".
·     Contra o sarampo: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou.
·    Não devem ser vacinadas: crianças de 1 até 5 anos que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.
Este ano a madrinha da campanha é a apresentadora Xuxa Meneghel. O Zé Gotinha, símbolo das campanhas contra a pólio nos anos 80, também faz parte da campanha atual.
Durante o lançamento da campanha o Ministério da Saúde declarou que "oferta todas as vacinas recomendadas pela OMS no Calendário Nacional de Vacinação". Ao todo, são 19 para combater mais de 20 doenças, em todas as faixas etárias.
Segundo o ministério, por ano, são distribuídos em todo o país cerca de 300 milhões de doses de vacinas. Para a campanha de 2018 foram adquiridas 28,3 milhões doses das vacinas, um total de R$ 160,7 milhões.
Ainda segundo dados do ministério, todos os estados já estão abastecidos com 871,3 mil doses da Vacina Inativada Poliomielite (VIP), 14 milhões da Vacina Oral Poliomielite (VOP) e 13,4 milhões da Tríplice viral.


Publicidade

Casos de sarampo

O Brasil tem 822 casos confirmados de sarampo em 2018. Atualmente, enfrenta dois surtos da doença, em Roraima e no Amazonas. Segundo o governo, eles estão relacionados à importação de casos de outros países.
"Isso ficou comprovado pelo genótipo do vírus (D8) que foi identificado, que é o mesmo que circula na Venezuela", afirma o ministério.
Seis estados brasileiros têm casos confirmados da doença: Amazonas, Roraima, Rondônia, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.
O Ministério da Saúde acredita que vá conseguir controlar os surtos, mas ressalta que o aumento das taxas de vacinação é importantíssimo para garantir o controle da doença. Juntamente com o sarampo, o país também está atento à circulação e às baixas coberturas vacinais da poliomielite.
Poliomelite
Não há novos casos de poliomielite no Brasil. No entanto, os casos da doença aumentaram em outros países, como alertou a Organização Mundial da Saúde.
O Ministério da Saúde informou que 312 municípios brasileiros estão com baixa cobertura para a vacina contra a poliomelite: eles não chegaram a vacinar nem metade das crianças menores de um ano. Os dados são os últimos disponíveis, referente ao ano de 2017.
A recomendação internacional para o controle da doença é de que pelo menos 95% das crianças sejam vacinadas. Atualmente, a média nacional de cobertura é de 77%.

G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Sai resultado de nova pesquisa eleitoral para Governador do Rio


Romário desceu de 26.9%, em maio, para 24.1% da intenções de voto. Paes vem na segunda posição com 15,1%

Segundo Pesquisa do Instituto Paraná, divulgada pelo Jornal do Brasil, o senador Romário (Podemos) apresentou queda na corrida para governador do estado. O Baixinho contabilizou 24.1% da intenções de voto, em maio eram 26.9%. Já o 2º colocado, Eduardo Paes (DEM), subiu de 14,1% para 15,1% e o ex-governador Anthony Garotinho (PRP) de 11,6% para 13,5%, deixando-o tecnicamente empatado em 2º lugar. A margem de erro da pesquisa é de 2,5%.

No 2º pelotão estão Indio da Costa (PSD), com 7,2% depois de atingir 8,8%. O Professor Tarcisio (PSol), oscilou de 3,1%, em maio, para 3,8%. Logo atrás vem Pedro Fernandes (PDT) com 2,7%, Marci Tiburi (PT), com 2,1%, Marcelo Trindade (NOVO), com 2%, Juiz Wilson Witzel (PSC), com 1,8%, Marcelo Delaroli (PR), com 1%, Rubem Cesar Fernandes (PPS), com 0,9% e Leonardo Giordano (PCdoB), com 0,6%.

Para o levantamento foram ouvidos 1.860 eleitores com 16 anos ou mais, em 46 municípios do estado, entre os dias 14 e 19 de julho deste ano.

Publicidade


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Aposentados vão receber R$ 1 bilhão após revisão de benefícios

Pagamentos também cairão na conta de pensionistas e fazem parte de 83.319 processos, com 94.512 beneficiários

Sul do país pagará o maior montante aos aposentados
Getty Images


Mais de 94 mil aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) receberão R$ 1.138.192.616,91 fruto de revisões dos benefícios. Os recursos foram liberados pelo CJF (Conselho da Justiça Federal) aos TRFs (Tribunais Regionais Federais).
Ao todo, as autuações de julho de 2018 somam R$ 1.536.546.418,45 e se referem às requisições de pequeno valor. O total é referente a 156.085 processos, com 175.457 beneficiários.


De acordo com o CJF, o depósito dos valores liberados vai variar conforme cronogramas próprios estabelecidos pelos TRFs de cada uma das cinco regiões do país.
Para saber o dia em que os recursos estarão disponíveis para saque, os aposentados e pensionistas que solicitaram a revisão dos benefícios devem consultar o processo no site do tribunal regional federal responsável.


Publicidade


Regiões
Com 34.408 processos referente a revisões previdenciárias e assistenciais, o TRF4 (Tribunal Regional Eleitoral da 4ª Região) vai disponibilizar R$ 364.607.499,43 a 38.342 beneficiários. A região compreende os Estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.
Na sequência em termos de valores aparecem o TRF1, que abrange o Distrito Federal e os Estados de Mato Grosso, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Bahia, Piauí, Maranhão, Pará, Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia e Amapá, onde 23.065 beneficiários vão receber R$ 352.721.175,89.
Já nos TRF3 (São Paulo e Mato Grosso), TRF5 (Pernambuco, Ceará, Alagoas, Sergipe, Rio Grande do Norte e Paraíba), os aposentados e pensionistas terão o direito de sacar, respectivamente, R$ 216 milhões, R$ 139 milhões e 64,8 milhões referentes às revisões.

R7


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

segunda-feira, 30 de julho de 2018

Aipim de 80 kg colhido em Nova Friburgo, RJ, será doado para instituição de caridade

Mandioca gigante está exposta na Ceasa, em Conquista, e estava em um sítio no Alto do Catete

 
Aipim de 80 kg está exposto na Ceasa, em Nova Friburgo, no RJ
Foto: Devanir Gravino/Arquivo Pessoal

Um aipim de 80 kg foi colhido em um sítio no Alto do Catete, em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, e foi exposto na Feira do Produtor Rural na Central de Abastecimento (Ceasa), em Conquista.
Segundo Devanir Gravino, presidente do Sindicato da Agricultura Familiar, a mandioca gigante chegou à Ceasa na última sexta-feira (27) e será doada para a Casa dos Pobres São Vicente de Paula.

Publicidade

"Esse não é o maior que já chegou aqui. No ano passado, um aipim de 101 kg também foi colhido em uma propriedade aqui da cidade", afirmou.
Devanir não tem ideia de quantas pessoas poderiam ser alimentadas com um aipim de 80 kg, mas afirmou que a ideia do sindicato é ajudar os internos da Casa dos Pobres.
"Vamos doar outros alimentos que estão expostos aqui também. A gente espera que ajude a eles", contou Devanir.

Casa dos Pobres São Vicente de Paula atende a 160 internos
Foto: Divulgação

Atualmente, a Casa dos Pobres atende 160 internos, entre idosos e pessoas com deficiência física. De acordo com a irmã Marília Rodrigues, de 84 anos, a instituição passa por dificuldades financeiras e sobrevive praticamente de doações.
Há quase 20 anos se dedicando à Casa dos Pobres, ela conta que a doação vai ajudar muito.
"Eu nem sei pra quanto tempo vai dar esse aipim todo, mas vai ser ótimo. Graças a Deus a gente ainda pode atender a tantos internos, ajudar tanta gente", contou.
Segundo a irmã, quem quiser fazer doações para a casa pode entrar em contato pelo telefone (22) 2522-1338 ou levar diretamente até a instituição que fica na Rua General Osório, número 377, no Centro de Nova Friburgo.

G1


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Capitão da PM é morto em Marechal Hermes


Oficial chegava para almoçar na casa de amigo quando foi surpreendido por bando, reconhecido e baleado


Um oficial da PM, de 34 anos, foi morto na tarde deste domingo, em Marechal Hermes, na Zona Norte, quando chegava para almoçar na casa de um amigo. De acordo com testemunhas, o capitão Diogo Lins Canito foi ferido por bandidos na porta do imóvel. Quatro bandidos anunciaram o assalto e, quando o reconheceram, fizeram vários disparos. Canito foi o 63º PM assassinado este ano no Estado do Rio.
O crime aconteceu na Rua Vidal Ramos. Os bandidos estavam num veículo branco. Ainda segundo testemunhas, não houve reação da vítima, que foi atingida no tórax, braço esquerdo e pescoço. Ele chegou a ser socorrido ao Hospital Carlos Chagas, no mesmo bairro, mas não resistiu. 
Publicidade

A Delegacia de Homicídios (DH) da Capital foi acionada, e o local, preservado para a perícia. Os bandidos não levaram o carro de Canito. Apenas a arma do oficial e pertences da esposa dele.
A Polícia Militar informou que lamenta a morte do capitão Diogo Lins Canito. Ele estava na corporação desde 2003. Atualmente, ele era lotado no 39º BPM (Belford Roxo), era casado e deixa quatro filhos.

ODia

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Presa no Rio mulher acusada de matar paciente em procedimento estético



Policiais civis prenderam hoje (30) uma mulher acusada de matar paciente em decorrência de um procedimento estético em março deste ano. Mariana Batista de Miranda foi presa em sua casa, em Mesquita, na Baixada Fluminense.
 
Ela foi denunciada pelo Ministério Público (MP) estadual por ter causado a morte de Fátima Santos de Oliveira, através da aplicação de silicone industrial nas nádegas, em 16 de março.
 
Segundo o Ministério Público, perícia médico-legal confirmou que o procedimento estético foi a causa da morte da paciente.

Publicidade


Risco de matar

 Para os promotores, Mariana não possui formação médica, nem tem conhecimento técnico para fazer o procedimento, por isso assumiu o risco de matar ao realizar a aplicação da substância.
 
Além disso, segundo as investigações da polícia, Mariana também prescreveu medicações à vítima, após tomar ciência das complicações provocadas pelo procedimento.
 
De acordo com denúncia do MP, entre o fim de 2017 e março de 2018, Mariana exerceu a profissão de médica ilegalmente, sem registro profissional ou formação, aplicando silicone industrial em diversas pessoas, com o objetivo de obter lucro financeiro.

Por isso, ela foi denunciada por homicídio doloso e exercício ilegal da medicina.


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Pré-selecionados do Fies têm até sexta-feira para completar inscrição

Processo deve ser feito pela página do Fies na internet. Candidatos devem comprovar renda familiar per capta de até três salários mínimos
 
O Fies é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar
 a graduação na educação superior

Adriana Toffetti/Folhapress 

Os estudantes pré-selecionados para o Fies (Fundo de Financiamento Estudantil) do primeiro semestre de 2018 têm até esta sexta-feira (3) para fazer a complementação da inscrição.
O processo de complementação deve ser feito por meio do acesso à página do Fies na internet.
A página do Fies orienta passo a passo o que fazer. Por exemplo, a porcentagem a ser financiada e os dados da agência bancária para receber o benefício.

Publicidade

Detalhes
O Fies é um programa do Ministério da Educação destinado a financiar a graduação na educação superior de estudantes matriculados em cursos superiores não gratuitas.
Podem concorrer a uma vaga candidatos que possuam renda familiar per capta bruta de até três salários mínimos. No entanto, para uma vaga no P-Fies, quando o agente financeiro é o banco, a renda per capta familiar deve ser de três a cinco salários mínimos.
Além disso, é preciso ter realizado a prova do Enem a partir de 2010, obtendo nota superior a 450 pontos e mais que zero na redação.
Desde o segundo semestre de 2015, os financiamentos concedidos com recursos do Fies passaram a ter taxa de juros de 6,5% ao ano.
Segundo o MEC, o valor contribui para a sustentabilidade do programa, possibilitando sua continuidade enquanto política pública.

R7



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

domingo, 29 de julho de 2018

Bancos são obrigados a informar anuidade do cartão para clientes

Projeto de lei pretende reforçar determinação do Código de Defesa do Consumidor. Texto está em análise em comissão do Senado Federal

 
Anuidade deve ser informada a consumidores
Adriana Toffetti/A7 Press/Folhapress 

Os bancos brasileiros são obrigados a informar aos consumidores qual o valor da anuidade do cartão de crédito e os reajustes. A determinação está presente no Código de Defesa do Consumidor e deve ser reforçada caso um projeto de lei do senador Paulo Bauer (PSDB-SC) seja aprovado.
O senador propôs o PL 127/2018, que determina que o valor da anuidade deve ser informado nas faturas dos cartões, bem como o vencimento da taxa. O texto também determina que os bancos comuniquem reajustes da anuidade com, pelo menos, 45 dias de antecedência. 
Segundo Bauer, o cartão se torna cada vez mais acessível a todos os brasileiros e é importante que ele seja usado de maneira consciente. “Essa providência protege o consumidor. Dá ao usuário do cartão, principalmente os de renda menor, uma certa condição de planejamento financeiro e faz com que ninguém seja surpreendido com o aumento”, explica.
A supervisora do Procon-SP Patricia Dias comenta que, caso aprovado, o projeto terá como função reforçar a determinação presente no Código de Defesa do Consumidor.
Patrícia explica que os bancos oferecem a possibilidade do pagamento da anuidade em uma ou várias parcelas. Segundo ela, informar sobre os preços e reajustes é fundamental. “É direito básico ao consumidor a informação a respeito de tudo o que ele contrata”, diz.
A supervisora do Procon diz que o acesso à informação é o que garante que o consumidor faça escolhas mais conscientes, que atendam às necessidades do consumidor e que estejam dentro do orçamento.

Publicidade

Direito à informação ao consumidor
O Código de Defesa do Consumidor possui um artigo que fala especificamente sobre o direito à informação — artigo 31. O texto fala sobre a clareza e a divulgação ostensiva de informações ao consumidor. 
"Art. 31. A oferta e apresentação de produtos ou serviços devem assegurar informações corretas, claras, precisas, ostensivas e em língua portuguesa sobre suas características, qualidades, quantidade, composição, preço, garantia, prazos de validade e origem, entre outros dados, bem como sobre os riscos que apresentam à saúde e segurança dos consumidores.
Parágrafo único.  As informações de que trata este artigo, nos produtos refrigerados oferecidos ao consumidor, serão gravadas de forma indelével. (Incluído pela Lei nº 11.989, de 2009)". 
O projeto de Bauer está sendo avaliado pela Comissão de Transparência, Governança, Fiscalização e Controle e Defesa do Consumidor do Senado Federal e, caso seja aprovado, será encaminhado para a Câmara dos Deputados.
Segundo dados enviados pelo Procon-SP, das 9.385 reclamações registradas a respeito de cartões de crédito, 47,3% (4.452) são sobre cobranças indevidas. Outros problemas frequentes são problemas com contrato (não cumprimento, alteração, transferência, irregularidade, rescisão etc) e lançamentos não reconhecidos na fatura. 

R7


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

sábado, 28 de julho de 2018

Após desistência de político, Marcos Palmeira é cotado para ser vice em chapa presidencial



O ator Marcos Palmeira pode dar uma pausa na carreira de ator e se aventurar na política. Isso porque ele passou a ser cotado nos últimos dias para concorrer ao cargo de vice-presidente na chapa de Marina Silva, pré-candidata ao Planalto pela Rede.

Filiado ao partido, Marcos ganhou força para a vaga após a desistência do deputado Miro Teixeira. Ele era o mais cotado a vice da acreana, mas optou por concorrer a uma cadeira no Senado. “Ele passa a ser uma possibilidade para a vice, mas ele ainda não foi consultado”, revelou Ivo Batista, porta-voz do partido, ao jornal O Globo.

Com um sobrenome bastante sugestivo, Marcos sempre foi bastante próximo a Marina por também militar por causas ambientais. Ele, no entanto, não está sozinho na disputa pela vaga de vice da ex-ministra. Ele concorre com o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e o economista Ricardo Paes de Barros.

Publicidade


Agora, as três alternativas são o Bandeira, o Paes de Barros e o Marcos Palmeira. Ele sempre foi filiado e dignificaria nossa chapa”, disse Miro.

Vale lembrar que os candidatos voltaram a ficar de olho nos nomes que escolhem para ocupar a cadeira de vice. Antes visto apenas como alguém para agregar tempo de televisão e fazer coligações, agora ele voltou a assumir o papel de substituto natural do presidente após o impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

Publicidade


TVFoco

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Mega-Sena deste sábado tem prêmio estimado em R$ 3 milhões




O concurso 2.063 da Mega-Sena pode pagar, neste sábado (28), um prêmio de R$ 3 milhões ao apostador que acertar os seis números. O sorteio ocorre hoje a partir das 20h (horário de Brasília) no Caminhão da Sorte da CAIXA que está em Pouso Redondo (SC).

Caso apenas um ganhador acerte as dezenas sorteadas e aplique todo o valor do prêmio na poupança terá um rendimento mensal de aproximadamente R$ 11 mil. O valor também seria suficiente para adquirir três carros esportivos ou ainda montar uma frota de 100 carros populares.

A aposta mínima na Mega-Sena custa R$ 3,50 e pode ser feita até as 19h (horário de Brasília) de hoje em qualquer lotérica do país.


Publicidade



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Contas de luz vão continuar com a bandeira tarifária mais alta


Cor vermelha patamar 2 é mantida em agosto que cobra R$ 5 a cada 100 kWh consumidos


Em agosto, clientes das distribuidoras de energia elétrica vão continuar pagando a conta de luz com bandeira tarifária vermelha patamar 2, a mais cara de todas. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) anunciou ontem que vai manter pelo terceiro mês consecutivo a taxa de R$5 a cada 100 quilowatts-hora consumidos. A bandeira tarifária é mensal e a referente a setembro deve ser divulgada em 31 de agosto.
Segundo a agência, a bandeira vermelha permanece principalmente devido às "condições hidrológicas desfavoráveis e à redução no nível de armazenamento dos principais reservatórios do Sistema Interligado Nacional (SIN)".
No Rio, a Light explicou que a bandeira tarifária é uma medida encontrada pelo governo para que as concessionárias indiquem a forma de consumo dos clientes: "Em geral, quando os reservatórios das usinas hidrelétricas estão baixos, o país utiliza a energia de termelétricas, que é mais cara".
Publicidade

IMPACTO NA CONTA
As bandeiras tarifárias têm impacto direto no valor da conta de luz e consumidor sente no bolso. Isabel Magalhães, de 49 anos, diz que sua fatura vem aumentando em pelo menos 10% de três meses para cá.
"Nessa época do ano, o consumo costuma diminuir por conta do inverno, pois não usamos ar-condicionado. Mas teve um aumento no valor", lembra. Ela diz que é injusta a recomendação de economia da Aneel: "O uso é moderado para eles? O investimento em energia é pequeno, e o povo que paga a conta", reclama Isabel.
A agência dá dicas de economia, como utilização de luz natural, retirar aparelhos da tomada e não colocar alimentos quentes na geladeira. Além disso, não usar chuveiro elétrico por muito tempo, limitando o banho a cinco minutos.
Publicidade

 ODia

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Polícia apreende drogas no Morro do Castelo, em Itaperuna


Apreensão aconteceu após denúncia anônima


Polícia Militar apreendeu 33 pinos de cocaína e 21 buchas de maconha na noite desta sexta-feira (27) em Itaperuna, no Norte Fluminense.

O caso foi no bairro Morro do Castelo. Segundo a PM, a apreensão aconteceu após denúncia anônima.

A ocorrência foi registrada na 143ª Delegacia de Polícia. 

Publicidade


G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Com maior saldo em quatro 4 anos, poupança volta a atrair o brasileiro


No auge da crise econômica, em 2015, quem tinha dinheiro aplicado nessa modalidade perdia para inflação, mas cenário hoje é mais otimista 

Poupança não cobra IR e permite saque imediato


Everton Silveira/Agência Freelancer/Folhapress

Forma preferida de investimento da maior parte da população brasileira, a poupança voltou a ser atraente nos últimos 18 meses.
Resultado disso foi que o saldo das cadernetas de poupança em todo o país (diferença entre depósitos e saques) foi de R$ 7,34 bilhões entre janeiro e junho deste ano, o mais alto registrado desde 2014, segundo dados do Banco Central.
O Bradesco, que detinha 13,7% dos depósitos de poupança em junho deste ano, registrou aumento de 7,7% das aplicações nos últimos 12 meses, totalizando R$ 103 bilhões, conforme balanço divulgado no último dia 26.
Publicidade

Já o Santander reportou crescimento de 35,2% dos depósitos em um ano. Caixa, Banco do Brasil e Itaú ainda não divulgaram os resultados do segundo trimestre.
Em 2015, aplicar na poupança foi sinônimo de perder dinheiro. Estudo da consultoria Economatica mostrou que naquele ano a poupança perdeu 2,28%. Além disso, a taxa de juros alta tornava outros tipos de investimento mais atraentes.

Como consequência, os brasileiros — muitos deles endividados — retiraram mais dinheiro do que depositaram em 21 dos 24 meses entre 2015 e 2016, quando a inflação fechou em 10,67% e 6,29%, respectivamente. 

Em 2016, o retorno da poupança foi pequeno, 1,9%, já descontada a inflação. Foi em 2017 que o rendimento dessa aplicação melhorou: 3,88% no ano, melhor resultado desde 2006, segundo a Economatica. 
Hoje, o cenário continua favorável para quem quer aplicar na poupança, explica Miguel de Oliveira, diretor-executivo de estudos e pesquisas econômicas da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade).

Publicidade

"A inflação alta fazia com que a poupança rendesse menos e havia perda do poder de compra. A taxa Selic [juros básicos da economia, atualmente em 6,5% ao ano] estava alta e fazia a poupança perder frente a outros investimentos de renda fixa. Mas agora, a poupança está rendendo mais do que a inflação. Com a Selic baixa, os outros investimentos acabam tendo ganhos próximos ao da poupança, com certas desvantagens como Imposto de Renda e prazo para resgate", explica.
O diretor da Anefac fez um cálculo que mostra que R$ 10.000 investidos na poupança renderiam em um ano 4,55%, totalizando R$ 10.455. Se o mesmo valor for aplicado em um fundo de investimentos com taxa de administração de 1% ao ano, renderia R$ 466, ou apenas R$ 11 a mais do que a poupança.
"Naturalmente, o grande poupador consegue taxas de administração menores nos bancos, mas para o pequeno poupador, aquele de até R$ 5.000, o ideal é ficar na poupança. Acima de R$ 10.000, tem que comparar e ver se vale a pena", acrescenta.


Simulações feitas  em corretoras de investimentos mostram que uma aplicação de R$ 2.000 na poupança por dois anos terá rendido R$ 186 ao fim do período, enquanto um CDB (Certificado de Depósito Bancário), por exemplo, renderá R$ 237.
Um banco consultado pela reportagem oferece CDB com rendimento de 100% do CDI (Certificado de Depósito Interbancário) pelo prazo de dois anos. Uma aplicação de R$ 5.000 renderia R$ 532,56, frente a R$ 443,37 da poupança. Vale destacar que CDBs e Notas do Tesouro pagam Imposto de Renda.
"Às vezes, a diferença de rendimento é tão pequena que as vantagens da poupança, como a possibilidade de retirar aquele dinheiro a qualquer hora e o fato de estar vinculada à conta corrente, acabam pesando mais para quem investe. Sem contar que a poupança é a única possibilidade de investimento possível para a maior parte da população", explica a professora de finanças do Insper Juliana Inhasz.
Ela ainda pondera que quem não vá precisar do dinheiro por um determinado período deve procurar outras formas de aplicar. "Outros investimentos se tornaram muito populares", diz.
Bancos e corretoras oferecem LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio), que também não incidem Imposto de Renda. Mas é preciso estar ciente de que o dinheiro deve ser mantido lá. O rendimento aumenta conforme o prazo da aplicação.
R7



























COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA