segunda-feira, 22 de abril de 2013

EMPRESA ALEMÃ INVESTE R$ 346 MILHÕES EM UNIDADE EM SÃO GONÇALO

Fábrica de equipamentos médicos foi beneficiada pelo programa de incentivo do Estado

O grupo alemão BBraun inaugurou, nesta sexta-feira (19/4), a pedra fundamental do centro de distribuição e fábrica que serão instalados no polo de Guaxindiba, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. O empreendimento será o maior do grupo na América do Sul e terá investimento de R$ 346 milhões. A empresa de equipamentos médicos foi beneficiada pelo programa de incentivo do Governo do Estado para a indústria farmacêutica.
 
Segundo o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, o polo tem uma importância estratégica absoluta para o Rio de Janeiro e São Gonçalo. O governo concederá benefícios, com a redução da alíquota de 18% para 12%. 

– O Rio é um polo importante na área biomédica. Esse investimento é a prova da consolidação do estado. Mostra e diversificação da economia e gera emprego para o município – afirmou Bueno. 

O projeto será executado em diferentes fases, e prevê 80 mil metros quadrados de área construída em dois terrenos que somam 200 mil metros quadrados. Localizado em Guaxindiba – próximo às rodovias BR-101 e RJ-104, à Baía de Guanabara e ao Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro) – o empreendimento contará com Centro Logístico, que terá um armazém para produtos acabados, e um depósito de materiais inflamáveis, na primeira fase. 

Em seguida, será construída uma fábrica de dispositivos médicos e, por último, o Centro Administrativo. A conclusão de todo o empreendimento está prevista para 2017. Todas as instalações serão conduzidas conforme as premissas de construção sustentável do Green Building Council.

A empresa conta com um portfólio extenso, atuando nas áreas de terapias de infusão, hidratação, anestesia, nutrição enteral e parenteral, e controle de infecção e incontinência, além de material cirúrgico e equipamentos de substituição renal, e para home care. Líder no mercado, a empresa conta com 1,6 mil colaboradores no país, onde atua desde os anos 40.
 


Ascom da Secretaria de Desenvolvimento Econômico

COMPARTILHE

RIO GENÉTICA INVESTE R$ 21 MILHÕES NA COMPRA DE ANIMAIS

Produtor fluminense tem obtido o melhor preço pelo sexto trimestre consecutivo

O produtor de leite fluminense tem garantido o melhor preço pelo produto pelo sexto trimestre consecutivo, se comparado aos demais estados. A informação foi anunciada pelo secretário de Agricultura, Christino Áureo, durante a abertura da 21ª Feira de Animais do Programa Rio Genética, realizada no último fim de semana, no município de Miracema, no Noroeste.
 
– Estamos investindo fortemente na pecuária leiteira e os resultados já podem ser constatados. Qual estado está pagando na média R$ 1,07 pelo litro do leite para o produtor? E já há casos em que este valor chega a R$ 1,30 para ser pago no período de entressafra – afirmou o secretário.
 
Ao percorrer o local, acompanhado do prefeito de Miracema, Juedyr Orsay, e da presidente da Emater-Rio, Stella Romanos, o secretário de Agricultura destacou que desde que foram criadas, as feiras de animais realizadas pelo programa em todas as regiões do estado, já financiaram R$ 21 milhões em animais.
 
 São cerca de cinco mil matrizes leiteiras financiadas. Beneficiamos mil produtores fluminenses. Este ano, a secretaria comemora 87 anos de existência e nós nunca tivemos um programa que financiasse com recursos do estado a compra de animais para pequenos produtores. Criamos um modelo inovador que deu certo – ressaltou Christino Áurio.
 
Um dos maiores consumidores do país, o Rio de Janeiro consome cerca de 3,5 bilhões de litros de leite por ano e tem uma produção de 610 milhões, com grande potencial de crescimento. Ele também ressaltou sobre a importância dos programas Estradas da Produção e Rio Rural para o fortalecimento da atividade.
 
Durante o evento, o prefeito Miracema disse estar trabalhando para que o município retome o seu papel na economia rural do Estado do Rio e agradeceu o apoio que recebe do Governo do Estado, através da Agricultura.
 
  Já recebemos as máquinas do Estradas da Produção que estão aqui para recuperar as estradas vicinais. Quero resgatar nossa tradição na pecuária, por isso é muito importante a realização de um evento como em nosso município. Tenho certeza de que os produtores sairam da feira satisfeitos com a possibilidade de adquirir animais de qualidade para melhorar seus rebanhos –
 

 Ascom da Secretaria de Agricultura
 

COMPARTILHE

sábado, 20 de abril de 2013

São Fidélis, RJ, prepara festa para comemorar aniversário de 163 anos


Celebração começa no fim de semana e vai até a quarta-feira (24).
Shows e atrações culturais fazem parte da programação

São Fidélis, no Norte Fluminense, comemora 163 anos de emancipação com extensa programação que começa neste fim de semana e segue até a próxima quarta-feira (24), dia da padroeira da cidade.
As apresentações acontecem na Praça Guilherme Tito de Azevedo, no centro. Após os shows principais, os artistas da cidade sobem ao palco.
Na parte da manhã de sábado (20) e domingo (21) ocorrerão campeonatos de sinuca e futevôlei. Exposições de arte e espetáculos de dança também fazem parte da comemoração.

Confira a programação:
Sexta-feira (19)

Banda Filarmônica às 21h
Sábado (20)
Show sertanejo com João Gabriel
Domingo (21)
Show da banda Paralamas do Sucesso
Segunda-feira (22)
Naldo
Terça-feira (23)
Pagode com o cantor Péricles
Quarta-feira (24)
Show católico do cantor Tony Allyson

G1

COMPARTILHE

Campos e Friburgo, RJ, montam estrutura para campanha contra gripe


Neste sábado (20), é o dia D de vacinação contra a gripe. E a maior cidade do interior do estado, Campos dos Goytacazes preparou uma estrutura para imunização da população com 63 Unidade Básicas de Saúde (UBS) espalhadas pela cidade. Além das unidades, que funcionaram até às 17h, um ônibus percorre asilos e comunidades mais distantes do Centro para aplicar as vacinas.
Nesta semana, foram imunizados 25 mil pessoas em Campos e a expectativa é que sejam vacinadas 116 mil pessoas até o dia 26 de abril. Durante a próxima semana, a campanha acontecerá em todos os hospitais e presídios da cidade.
O problema é que segundo a Secretaria de Saúde, apenas 800 gestantes foram vacinadas até o momento. A expectativa era que 6 mil deveriam ser imunizadas. As grávidas que queiram se proteger contra a gripe podem procurar qualquer UBS, das 8h às 17h.
Nova Friburgo
Em Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio de Janeiro, 11 postos de vacinação estão abertos neste sábado (20). Até quinta-feira (18), 6.306 pessoas foram imunizadas e a expectativa é de que até o final da campanha 36 mil pessoas sejam vacinadas na cidade.
As unidades que vão funcionar durante toda a campanha são: Poli Centro, Poli Norte (em Conselheiro Paulino), Caismca (em Olaria) e Ariosto Bento de Mello (no Cordoeira).

G1

COMPARTILHE

sexta-feira, 19 de abril de 2013

Morango de Nova Friburgo agora é marca coletiva

Novidade prevê que associação de produtores utilize marca por 10 anos


Em Nova Friburgo, na Região Serrana, os produtores de morango comemoram uma nova conquista que promete aumentar ainda mais a comercialização da fruta. Após o lançamento de marca, slogan e embalagens padronizadas e da inclusão do morango entre as atividades incentivadas pelo Programa Frutificar, da secretaria de Agricultura e Pecuária, a Amorango (Associação dos Produtores de Morango de Nova Friburgo) conquistou, este mês, o registro de marca coletiva concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).

Válido nacionalmente por dez anos e com possibilidade de renovação, o registro só é concedido para pessoas jurídicas representativas de coletividade, como associações e cooperativas. A utilização de marcas coletivas possui regulamentação oficial, que prevê as condições de uso, bem como as sanções no caso de manejo indevido. Atualmente, a Amorango conta com 16 produtores associados, que produziram, em 2012, cerca de 165 mil caixas da fruta, provenientes dos 353 mil pés plantados no município serrano.

De acordo com o gerente técnico estadual de floricultura e fruticultura da Emater-Rio, Martinho Belo, a novidade fortalecerá os agricultores e agregará valor ao produto.

- Todos os consumidores vão ter a certeza de que estão adquirindo um morango de origem conhecida, um produto de sabor e com qualidade - afirmou.

Governo incentiva o plantio

Em março de 2011, o secretário estadual de Agricultura Christino Áureo autorizou a inclusão do morango no rol de produtos financiados pelo Frutificar, programa setorial de fomento à fruticultura irrigada no território fluminense. A medida integrou as ações emergenciais de reconstrução das áreas rurais da serra, após a catástrofe climática de janeiro de 2011. Na ocasião, foram liberados, inicialmente, R$ 272 mil para seis agricultores.

- O Frutificar foi fundamental na recuperação das lavouras, uma vez que viabilizou a compra de mudas e, dessa forma, garantiu a continuidade da produção - explicou Christino.

Segundo o gerente técnico Martinho Belo, a ação integrada entre os programas Frutificar, Prosperar, Rio Rural Emergencial e Estradas da Produção vem estimulando os agricultores a apostar na cadeia produtiva do morango em Nova Friburgo.

- Outros produtores estão buscado informações sobre o Frutificar. Muitos, já beneficiados, agora estão investindo em novas tecnologias como, por exemplo, o cultivo suspenso - acrescentou.

Dono de três áreas de produção nas localidades Vendas das Pedras e Salinas, em Nova Friburgo, José Luiz Brantes perdeu 30 mil pés de morango, em fase inicial de colheita, para as chuvas de 2011. Na época, foi um dos primeiros contemplados pelo Frutificar, investindo R$ 50 mil do programa na aquisição de uma carreta tracionada e na compra de mudas. A variedade utilizada foi a Camino Real, cujas plantas, provenientes da Califórnia (EUA), foram cultivadas no Chile, onde solo e temperatura são propícios a sua multiplicação, com clima semelhante ao de Nova Friburgo.

Atualmente, um contrato complementar de R$ 13 mil está em fase de tramitação. Com produção integralmente escoada para o Rio de Janeiro e para o mercado local, José Luiz tem como metas investir numa agroindústria de geleia, montar um receptivo turístico e aplicar novas tecnologias de manejo.

- A marca coletiva chegou num ótimo momento. Nosso diferencial de mercado são os morangos selecionados - comemora.

Por meio de linha de crédito específica para financiamento de projetos, com juros de 2% ao ano, o Frutificar também incentiva - com assistência técnica e apoio à comercialização - a produção de abacaxi, goiaba, coco, pêssego, banana, laranja, tangerina e limão.



Ascom da Secretaria de Agricultura

COMPARTILHE

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Governo autoriza reajuste de até 6,31% no preço de remédios

O governo autorizou nesta quinta-feira (4) o reajuste de até 6,31% no preço dos medicamentos. A alta no preço depende da categoria dos remédios.
Para os de nível 1 (medicamentos em que a participação de genéricos no mercado é igual ou superior a 20%), o reajuste máximo será de 6,31%.
Para os de nível 2 (medicamentos com participação de genéricos entre 15% e 20%), o reajuste máximo será de 4,51%.
Para os de nível 3 (medicamentos com participação de genéricos abaixo de 15% do mercado), o reajuste máximo será de 2,70%.
O reajuste foi autorizado pela CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos) e publicado no "Diário Oficial da União" de hoje.
Em 2012, o reajuste autorizado pelo governo para medicamentos vendidos em todo o país chegou a 5,85%.
Segundo o Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo), se todos os medicamentos forem reajustados pelos índices máximos autorizados, o aumento médio ponderado será de 4,59%.
INFLAÇÃO
A entidade criticou o reajuste, dizendo que o percentual é baixo e não repõe as perdas para a inflação.
"Mais uma vez, o governo aplicou um discutível cálculo de produtividade que reduz o índice de reajuste e prejudica muitas empresas, ao impedi-las de repor o aumento de custos de produção do período", informou o Sindusfarma, em nota.
As indústrias de produtos farmacêuticos em São Paulo diz que, em 2012, os medicamentos subiram em média 4,11% e a inflação, 5,84% segundo o IPCA (índice de inflação oficial do governo, medido pelo IBGE).
RENTABILIDADE
"Desde 2011, a indústria farmacêutica enfrenta fortes pressões de custo, principalmente com pessoal, insumos e matérias-primas", diz o Sindusfarma. "Até agora, o setor absorveu esse impacto, mas em contrapartida experimentou queda de rentabilidade."
O setor diz que "a continuidade dessa situação vai afetar a saúde financeira das empresas, podendo comprometer o lançamento de produtos e os investimentos necessários ao desenvolvimento de medicamentos inovadores".

UOL

COMPARTILHE

quarta-feira, 3 de abril de 2013

Nova Friburgo, RJ, se prepara para mais uma feira de Promoções

Evento é realizado há 13 anos e atrai consumidores de toda a região.
Descontos podem chegar a 70% em vários produtos.

 

Começa hoje a Feira de Promoções (Fepro) em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio.  São mais 100 estandes com produtos variados. Além dos tradicionais  produtos de vestuário, os organizadores afirmam que será possível até mobiliar a casa, aproveitando os descontos da feira.
Esta é a 13ª Feira da Promoção de Nova Friburgo e o evento promete movimentar a economia da cidade. Brinquedos, colchões, bolsas, os consumidores poderão encontrar de tudo na feira. Empresários dos mais variados segmentos vão vender produtos com até 70%  de desconto
A expectativa é de que cerca de 30 mil pessoas passem pela Fepro durante os cinco dias de feira, que acontece desta quarta (3) a domingo (7) , no Nova Friburgo Country Clube. A entrada custa R$ 2,00 (Dois Reais)
G1

COMPARTILHE

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Agricultores do programa Rio Rural já protegem 635 nascentes

Produtores aderiram à campanha Água Limpa para o Rio Olímpico


Seja para o consumo direto, para a produção de alimentos ou qualquer outra finalidade, a água é indispensável em todas as atividades humanas. A conservação deste recurso natural é tão significativa que a ONU instituiu a data de 22 de março para lembrar sua importância e promover a conscientização sobre o tema. Neste mês, o programa Rio Rural, da Secretaria de Agricultura, contabilizou a marca de 635 nascentes protegidas em parceria com os agricultores familiares.

Os produtores aderiram à campanha Água Limpa para o Rio Olímpico, que tem como meta a proteção de 2016 nascentes nas propriedades rurais. Todo o trabalho é realizado com apoio dos técnicos da Emater-Rio, empresa de assistência técnica e extensão rural vinculada à secretaria, e inclui ações de sensibilização e mobilização dos agricultores e parceiros.

Com as ações, cada vez mais os moradores do campo estão valorizando suas nascentes, principalmente quem já passou dias difíceis devido à escassez. Na microbacia Santa Maria, em São José de Ubá, no Noroeste Fluminense, a água dos poços artesianos é salobra, e as poucas nascentes existentes na localidade estão praticamente secas. No entanto, uma nascente abastece dez casas e a escola local. Protegida com recursos do Rio Rural há cerca de quatro anos, a fonte do Sítio Santa Cruz tem a água mais pura da localidade, com qualidade garantida pelo monitoramento realizado pelo programa.

Os 57 alunos da Escola Municipal Maria de Azevedo bebem daquela água. São pelo menos 200 litros por semana, transportados em galões de 20 litros, utilizados também para fazer a merenda.

– Se não tivéssemos acesso a esta água, teríamos que comprar água mineral. A água que chega aqui não é boa para o consumo – disse Márcia Valéria da Silva, diretora da escola.

Noêmia Moura Marinho, dona do sítio Santa Cruz, se orgulha de ter um oásis em sua propriedade e divide com os vizinhos o bem que possui. Ela canalizou, de maneira artesanal, a água da nascente até as dez casas da vila, incluindo a sua. São mil metros de mangueira que passam por baixo da terra levando água para estas famílias.

– A água vale muito, eu falo para as pessoas protegerem suas fontes. Depois que cercamos nossa nascente, nunca mais faltou água, nem no período mais crítico da seca – afirmou Noêmia.

Em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, o agricultor Genílson de Souza Pinto, 45 anos, é outro exemplo de como a preservação da nascente faz diferença. O Assentamento Santo Amaro, na microbacia Rio Preto, onde ele tem sua propriedade, enfrentou um verão muito seco este ano. Como Genílson protegeu, há três anos, a nascente de sua propriedade, com incentivo do Rio Rural, ele não deixou de ter abastecida sua caixa d’água.

Embora este ano ainda não tenha sido possível plantar milho nem feijão, como Genílson faz netsa época do ano, o produtor teve condições de permanecer em sua casa, para onde se mudou apenas alguns meses depois de proteger a nascente.

– Ele não morava no lote porque nos meses secos não tinha água para abastecer a casa – afirmou Geraldo Monteiro, técnico agrícola da Emater-Rio e assessor técnico do Rio Rural.

Antes, por falta de água no local, o agricultor residia com a família numa vila próxima.

No verão de 2013, a chuva só chegou na última semana à microbacia do Rio Preto. O pequeno açude que se forma abaixo da nascente quase secou.

– Passou o verão todo e eu não deixei de ter água em casa, para as galinhas e para o gado. Não fosse essa nascente, a gente não podia nem ficar aqui na propriedade. A nascente cercada rendeu porque o mato cresceu e porque os bois não puderam mais entrar. O gado socava a nascente e a água não rendia – explicou Genílson.

Incentivos

O Rio Rural oferece incentivos financeiros diretos ao produtor que deseja preservar as fontes de água. Cada agricultor que participa do programa pode receber até R$ 7 mil, de acordo com o perfil de sua propriedade, como incentivo para proteger as nascentes e córregos e adotar práticas de produção sustentável.

A conscientização, no entanto, vai muito além do apoio financeiro. De acordo com o gerente estadual de Desenvolvimento Sustentável da Emater-Rio, Herval Lopes, dos agricultores que aderiram à campanha, 262 protegeram suas nascentes com recursos próprios. Eles foram motivados pelo exemplo de vizinhos ou amigos, depois de participarem de atividades de campo, ou mesmo por vontade individual.

Ações ambientais

O programa Rio Rural atua junto às comunidades das microbacias hidrográficas do estado, onde há um grande potencial de expansão das ações ambientais. Um estudo da secretaria mostra que existem 44.889 quilômetros de rios nessas microbacias, que podem ser preservados ou manejados de modo sustentável. O rol de práticas incentivadas pelo programa inclui proteção de nascentes, recuperação de matas ciliares, áreas de recarga hídrica e projetos de geração de renda com efeitos ambientais positivos.

No entanto, a prática ambiental com maior número de adesões é a preservação das fontes. A área no entorno de cada nascente protegida (um hectare) equivale a um campo de futebol. O cercamento dessas fontes evita a degradação por conta, principalmente, do pisoteio pelos animais. Dessa forma, ajuda a regularizar o ciclo da água e, assim, reduzir os custos de tratamento. Além disso, com a maior disponibilidade de água, diminui os efeitos da seca na pastagem e na lavoura, incrementando a produção agrícola e pecuária.

Água Limpa para o Rio Olímpico

A campanha busca inspiração no espírito olímpico para atingir sua meta. Como a água é um elemento indispensável à prática esportiva, não apenas agricultores, mas também atletas, personalidades, empresas e todas as pessoas preocupadas com o meio ambiente são convidadas a participar. O futebol é um exemplo de esporte que exige uma grande quantidade de água: apenas para irrigação do gramado, são necessários cerca de 40 mil litros.

Enquanto, em condições normais, o organismo de um adulto, composto por 70% de água, perde em média 2,5 litros por dia, apenas durante uma partida de futebol cada jogador gasta cerca de três litros. Além disso, a água gerada na zona rural é utilizada para a produção de alimentos, que fornecem energia aos esportistas e torcedores no país do futebol.

De acordo com estimativas do Rio Rural, o volume de água produzido em 2016 nascentes equivale a aproximadamente 2.600 piscinas olímpicas cheias por ano.

Ascom da Secretaria de Agricultura

COMPARTILHE

AgeRio financia indústria de laticínios no Noroeste Fluminense

Empresa vai atender mercado do Rio oferecendo produtos, com foco no mercado local

A Agência Estadual de Fomento (AgeRio) assinou contrato de financiamento para a implantação de uma indústria de laticínios em Santo Antônio de Pádua, município do noroeste do estado. A empresa beneficiada foi a Nata Indústria de Laticínios Pádua, que obteve crédito de R$ 900 mil da Agência.

O projeto, que prevê a geração de 40 empregos diretos, recebeu investimento total de R$ 2,2 milhões. A Nata vai atender o mercado do Rio de Janeiro em geral, com foco no Noroeste, oferecendo produtos como iogurte, queijo e requeijão.

O contrato foi assinado na sede da Agência, nesta quarta-feira (27/03). Representando a AgeRio estavam os diretores Dário Araújo e Roberta Maia, os chefes de departamento Fernando Rangel e Daniel Setani, e o assessor André Angelo. Representando a Nata estavam seus três sócios: Luciano Chaves, Nilson Nunes e Henrique José Esteves.

De acordo com Nilson Nunes:

- O atendimento feito pela Agência foi excelente, desde a captação até o acompanhamento, sempre com muito profissionalismo – afirmou o empresário.


COMPARTILHE

Compartilhe