domingo, 28 de outubro de 2012

Mulim é o novo prefeito de São Gonçalo



O professor e deputado federal Neilton Mulim (PR) foi eleito com 56,78% dos votos válidos, contra 43,22% de Adolfo Konder (PDT).
São Gonçalo que é o segundo maior colégio eleitoral do Estado tem um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 9,6 bilhões, concentrado basicamente no setor de serviços, ocupando o 46º lugar no ranking das economias municipais do país e o quinto lugar no estado, de acordo com dados de 2009 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Neilton começou na carreira política em 1997 quando foi eleito a vereador pelo PV em São Gonçalo, sendo reeleito por mais dois mandatos, foi secretário municipal de Desenvolvimento da cidade e o de secretário estadual da Infância e da Juventude do Rio.


COMPARTILHE

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Viação 1001 divulga lista dos mortos do acidente de ônibus no Rio


A lista divulgada informa o nome de 13 mortos identificados:


Charles Estelitta André
Edes Moraes da Silva
Eduardo Fernandes
Guiomar Pereira da Silva
Ilma da Silva Florido
José Neves Mota
José Severino da Silva
Jussara Nelon Magacho
Lúcia Florido Turques da Silva
Márcio Luis Ramos
Maria Aparecida Mota Neves
Osvaldo Wilson Dias da Costa
Zenalda Pereira Frades

COMPARTILHE

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Inaugurada a nova agência da Caixa em Italva

Foi inaugurada no último dia 10/10 em Italva a nova agência da Caixa Econômica Federal, o banco já estava funcionando desde o dia 26/09, mas por causa das eleições não pôde ser inaugurado.
A cerimônia de abertura contou com a participação de vários comerciantes italvenses, representantes da Caixa Econômica, autoridades municipais e os Prefeitos eleitos de Italva (Leonardo de Souza Guimarães) e de Cardoso Moreira (Gegê Catarino). O uso da palavra foi feito pelo Gerente Geral Cláudio Américo, o Superintendente Regional Marcos Vinicius Silveira e o Secretário Municipal de Defesa Civil de Italva, Gedeão Bispo de Souza, representando o Prefeito Joelson Soares, que não pôde comparecer.
A instalação da Caixa  no município vai atender mais de 14 mil habitantes e prestará trabalhos levando serviços, crédito e programas sociais, não apenas para o município, mas também para todas as cidades da região.


Fonte : Folha de Italva

COMPARTILHE

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Escola abraça sustentabilidade rural no Noroeste Fluminense

Parceria com o Colégio Estadual Chequer Jorge, de Itaperuna, teve início com palestra sobre impactos ambientais

O Noroeste Fluminense possui apenas 4% de sua cobertura nativa de Mata Atlântica, sendo a região com a maior degradação ambiental no estado. Entretanto, cada vez mais pessoas e organizações se sensibilizam e somam forças com o Rio Rural para mudar esse quadro. Em Itaperuna, o Colégio Estadual Chequer Jorge é o mais novo parceiro do programa a promover o desenvolvimento sustentável.
A convite da instituição de ensino, o Rio Rural e a Emater-Rio realizaram na última quarta-feira (3/10) uma palestra para os alunos do curso técnico em Meio Ambiente, sobre os impactos ambientais no Noroeste Fluminense. A atividade foi a primeira da parceria, firmada com a diretoria da escola para proporcionar aos alunos uma vivência extraclasse que agregasse conhecimento sobre os temas debatidos em sala de aula. A palestra foi proferida pelo coordenador do Centro de Referência Agroambiental do Noroeste, o biólogo e técnico da Emater-Rio, Carlos Marconi.
Segundo a professora Carmem Fernandes do Almo, a escolha do tema permite que os estudantes conheçam melhor a paisagem na qual trabalharão no futuro, no papel de técnicos. “Queremos que os alunos adquiram experiência. Esta parceria pode contribuir para abrir as portas do mercado de trabalho, para estagiários, em um primeiro momento, e para os profissionais de meio ambiente”, acrescentou Carmem.
Após apresentar as ações que historicamente transformaram o ecossistema da região, Marconi falou sobre a metodologia implantada pelo Rio Rural, que incentiva projetos que oferecem sustentação econômica, social e ambiental ao agricultor familiar.
O público foi muito participativo, fazendo perguntas e demonstrando interesse pelos projetos implantados na região em que moram. O estudante Ernandes Leite de Oliveira aprovou a iniciativa. “A conscientização é muito importante, muitas pessoas não têm acesso a esse conhecimento. E foi ótimo saber que é possível ganhar dinheiro sem degradar o meio ambiente, que a sustentabilidade é realmente viável”, disse Ernandes.
Escola é referência em boa gestão
No Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), a Chequer Jorge foi avaliada como a escola estadual de melhor gestão no Rio de Janeiro. Seu curso técnico em Meio Ambiente tem duração de um ano e meio, com 85 alunos matriculados. No momento, o colégio está concorrendo para se tornar referência em gestão do ensino público para todo o país. O resultado será divulgado no dia 5 de novembro.
Na Semana Nacional de Ciências e Tecnologia, de 15 a 21 de outubro, outras atividades serão realizadas pelo Rio Rural, em parceria com a escola. O CRAA promoverá a campanha “Água Limpa para o Rio Olímpico” com apoio dos alunos, que vão coletar amostras de água do rio Muriaé e de córregos da cidade e farão análise qualitativa da água, com pastilhas fornecidas pelo Rio Rural. A campanha tem como meta proteger 2016 nascentes até as Olimpíadas do Rio e promover ações de proteção dos recursos hídricos.

Ascom – Rio Rural Noroeste Fluminense

COMPARTILHE

Norte e Noroeste do Rio ganharão projeto de gasoduto

Os governos do Estado do Rio e de Minas Gerais enviaram uma proposta à Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em parceria com a Companhia Estadual de Gás (CEG) e Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), para a construção de um gasoduto interligando Cabiúnas, distrito de Macaé (RJ), e Ipatinga (MG).

O projeto de custo estimado em US$ 400 milhões deverá gerar benefícios ambientais e econômicos para a região do Norte e Noroeste do Rio. O canal com quase 400 quilômetros atravessa cidades, como Cantagalo e Itaperuna.

– Aquela região possui um excelente mercado para o gás natural que é a indústria cimenteira, hoje dependente do coque do petróleo. Essa substituição do combustível é altamente vantajosa em termos ambientais – disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno.

Estimativas da CEG identificaram 18 indústrias localizadas em oito municípios, com consumo diário de cerca 1,3 milhão de metros cúbicos, que podem ser beneficiadas pelo gasoduto. Na rede doméstica, o mapeamento indicou mais de 32 mil potenciais clientes, em 14 cidades. Há ainda a possibilidade de ampliar o uso de gás veicular na região, com a implantação do projeto.

Fonte: Agência Rio

COMPARTILHE

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Rio Irajá ganhará nova unidade de tratamento até o fim deste mês

Despoluição da Baía de Guanabara é o foco do projeto, que usa tecnologia móvel


Uma importante etapa do processo de despoluição da Baía de Guanabara está em andamento. A Secretaria do Ambiente anunciou a construção de uma Unidade de Tratamento de Rio (UTR) até o fim deste mês. O foco da iniciativa será o Rio Irajá, um dos cursos d’água que desemboca na Baía, contribuindo para elevar os níveis de poluição.

Com o objetivo de remover mais de 90% da matéria orgânica localizada na foz do rio - que nasce no Morro do Juramento e passa pelos bairros de Vaz Lobo, Irajá, Brás de Pina, Vila da Penha e Cordovil –, a UTR será concluída em abril de 2013.

– Só o Rio Irajá é responsável por 12% da poluição da Baía de Guanabara. A UTR vai ajudar a retirar a carga de detritos orgânicos de sua foz. O interessante é que a UTR é uma tecnologia móvel. Após o Rio Irajá, poderemos transferi-la para outro curso d’água – disse o secretário do Ambiente, Carlos Minc.

A UTR do Rio Irajá usará a mesma tecnologia da Unidadede Tratamento do Rio Arroio Fundo, construída pela prefeitura
em Jacarepaguá, nos fundos da Vila do Pan, por ocasião dos Jogos Pan-americanos de 2007. Com orçamento de R$ 40 milhões, as obras da UTR do Rio Irajá serão custeadas com recursos oriundos de Termo de Ajustamento de Conduta assinado com a Refinaria de Duque de Caxias (Reduc) como compensação para os danos ambientais.

COMPARTILHE

Compartilhe