quinta-feira, 30 de abril de 2020

Covid-19: País ultrapassa dos 85 mil casos confirmados



O Brasil chegou a 85.380 pessoas infectadas por covid-19, doença respiratória causada pelo novo coronavírus. O país registrou recorde de novos casos, em 24 horas, com a adição de 7.218 infectados às estatísticas, um aumento de 9% em relação a ontem, quando foram registradas 78.662 mil pessoas nessa condição.

Segundo atualização do Ministério da Saúde divulgada nesta quinta-feira (28), o total de mortes subiu para 5.901. De ontem para hoje, foram registrados 435 novos óbitos, um aumento de 8% em relação a quarta-feira (29), quando foram contabilizados 5.466 falecimentos. A letalidade ficou em 6,9%.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de falecimentos (2.375). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (854), Pernambuco (565), Ceará (482) e Amazonas (425).  

Além disso, foram registradas mortes no Pará (208), Maranhão (184), Bahia (104), Paraná (83), Espírito Santo (83), Minas Gerais (82), Paraíba (62), Rio Grande do Norte (56), Rio Grande do Sul (51), Santa Catarina (46), Alagoas (47), Amapá (34), Distrito Federal (30), Goiás (29), Piauí (24), Acre (16), Sergipe (12), Rondônia (16), Mato Grosso (11), Mato Grosso do Sul (9), Roraima (7) e Tocantins (3).

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Pádua registra primeira morte pelo novo coronavírus; veja o vídeo



O Coordenador do Combate ao COVID-19 no município de Santo Antônio de Pádua, Dr.Marco Antônio, confirmou neste momento através da página oficial da prefeitura que a cidade registrou o primeiro óbito por coronavírus. 

De acordo com o Dr. Marco Antônio, a prefeitura não vai informar o sexo ou a idade da vítima fatal da Covid-19. 

Veja o vídeo do comunicado:


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Estado do Rio de Janeiro tem 8.869 pessoas infectadas pelo coronavírus



O estado do Rio de Janeiro registrou 794 mortes causadas pela doença. Os dados da secretaria estadual de Saúde anunciados ontem (29) mostram 8.869 casos confirmados. Há ainda 275 óbitos em investigação e 145 que estavam sem diagnóstico e agora foram descartados.

Das 794 vítimas, 496 foram na cidade do Rio de Janeiro. O município de Duque de Caxias, que só começou o isolamento social após a primeira morte registrada, tem 70 óbitos. Nova Iguaçu (30), São Gonçalo (22) e Niterói (20) completam a lista dos cinco principais municípios do estado com mortes causadas pelo novo coronavírus.

Com 5.689 casos, a capital segue com o maior número de pessoas infectadas. Em seguida, vem Duque de Caxias, com 357, Nova Iguaçu com 339, Niterói, 282 e São Gonçalo, com 231 infectados.

Os municípios com mortes causadas pela covid-19 são: Rio de Janeiro (496), Duque de Caxias (70), Nova Iguaçu (30), São Gonçalo (22), Niterói (20), São João de Meriti (16), Mesquita (12), Volta Redonda (11), Belford Roxo (9), Petrópolis (9), Itaboraí (8), Macaé (8), Maricá (8), Rio das Ostras (7), Tanguá (6), Magé (5), Nilópolis (5), Iguaba Grande (4), Itaguaí (4), Nova Friburgo (4), Queimados (4), Resende (4), Barra do Piraí (3), Cabo Frio (3), Rio Bonito (3), Campos dos Goytacazes (2), Guapimirim (2), Japeri (2), Mangaratiba (2), São Pedro da Aldeia (2), Sapucaia (2), Araruama (1), Arraial do Cabo (1),Barra Mansa (1), Bom Jardim (1), Bom Jesus de Itabapoana (1), Cachoeira de Macacu (1), Miguel Pereira (1), Paracambi (1), Paraty (1), São Francisco de Itabapoana (1) e Teresópolis (1).


Com A.Brasil

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Coronavírus: escolas do Rio devem repor aulas em feriados e fins de semana


Conselho Nacional de Educação também definiu que o calendário escolar de 2020 pode se estender até o próximo ano em todo o Brasil



Ainda não há uma previsão de data, mas quando reabrirem, as escolas públicas e particulares do Rio podem compensar a carga horária perdida durante a quarentena com aulas no contraturno – quem estuda pela manhã repõe aulas à tarde, por exemplo, ou em dias não-letivos, como sábados, domingos e feriados.

As orientações foram aprovadas pelo Conselho Nacional de Educação (CNE) na última terça-feira (28). Também ficou decidido que o calendário escolar de 2020 pode se estender até o próximo ano, e a definição da data do Enem deve aguardar o retorno das aulas. O parecer sobre a reorganização dos calendários escolares por causa da quarentena, no entanto, ainda precisa ser homologado pelo Ministério da Educação.

O material aprovado pelo CNE tem o objetivo de orientar estados, municípios e escolas particulares sobre as práticas que devem ser adotadas durante a pandemia, mas a reorganização dos calendários é de responsabilidade dos sistemas de ensino. Os conteúdos repassados à distância serão contabilizados como “matéria dada” a partir do ensino fundamental. Na educação infantil a reposição terá que ser presencial. O documento, no entanto, flexibiliza a carga horária obrigatória (que é de 800 horas no ano letivo) de 100% para 60%.

O Sindicato das Escolas Particulares do Rio ainda não se posicionou sobre as diretrizes do CNE. A tendência, em ambos os casos, é seguir as propostas do Conselho.

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

MEC libera R$ 364 milhões para estados e municípios reverterem recursos em alimentação escolar para alunos





Valor referente à parcela de maio foi antecipado por causa da covid-19
Foto: Daniel Tavares

O Ministério da Educação (MEC) informou, na quarta-feira (29) que foram liberados antecipadamente R$ 364,4 milhões para estados e muncípios aplicarem na alimentação escolar durante a pandemia do novo coronavírus. Os recursos são do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação (FNDE). O valor é referente à parcela do mês de maio destinada às unidades da federação. 
De acordo com as orientações do FNDE, devido à suspensão das aulas por causa da covid-19, a distribuição de alimentos tem de ser feita por meio de kits, que devem ser elaborados conforme as regras do Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae), levando-se em conta os hábitos alimentares de cada região e a qualidade nutricional. 
O Pnae oferece alimentação a cerca de 40 milhões de estudantes da educação básica pública em todo o país diariamente. Desde o início do ano, R$ 1,4 bilhão do programa foram destinados a estados e municípios. 
 EBC


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Quinta da Carne - Fluminense




COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

quarta-feira, 29 de abril de 2020

Mesmo com casos confirmados de Covid-19, prefeitura de Itaperuna autoriza reabrir o comércio



O prefeito da cidade de Itaperuna fez um vídeo na página oficial da prefeitura no facebook autorizando a reabertura do comércio no município.
Veja o vídeo abaixo:





Vídeo: Blog do Alan Gonçalves

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Inscrições para Vestibular Cederj oferece vagas em 17 cursos




Para quem planeja iniciar o curso superior ainda este ano, uma ótima oportunidade é o vestibular para o segundo semestre do Consórcio Cederj que oferece 7.874 vagas em  17 cursos na modalidade de Ensino Superior a Distância (EaD) em regime semipresencial. Os cursos são oferecidos pelas universidades públicas Cefet-RJ, Uenf, Uerj, UFF, UFRJ, UFRRJ e UniRio com polos regionais em todo o estado do Rio de Janeiro. 

As inscrições para o Vestibular Cederj 2020.2 estão abertas até o dia 14 de maio, no site do Instituto Selecon (selecon.org.br), organizador do concurso. A taxa de inscrição é de R$ 69,00 e deverá ser paga até o dia 15 de maio. Somente após o pagamento a inscrição no vestibular é confirmada. Antes de efetuar a inscrição, é preciso ler atentamente o edital, disponível no site selecon.org.br.


O total de vagas oferecidas (7.874) contempla os cursos de Licenciaturas em: Ciências Biológicas, Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Química e Turismo.  Há vagas também para cursos de bacharelado em Administração, Administração Pública, Ciências Contábeis, Engenharia Meteorológica, Engenharia de Produção, além de cursos de Tecnologia em Sistemas de Computação; Tecnologia de Gestão de Turismo e Tecnologia em Segurança Pública e Social. 


As vagas para o curso de Tecnologia em Segurança Pública e Social são destinadas somente aos profissionais da ativa da Segurança Pública: Agentes Penitenciários, Agentes Portuários, Bombeiros, Guardas Municipais, Policiais Civis e Militares do Estado do Rio de Janeiro, Policiais Rodoviários Federais, Policiais Federais, membros das Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) e Policiais Civis e Militares de outros Estados da federação.

Prova em junho


O concurso será realizado por meio de prova objetiva prevista para o dia 14 de junho. O exame será composto por 80 questões de múltipla escolha e uma redação. Serão eliminados aqueles que obtiverem zero na prova de múltipla escolha de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira e nas questões das disciplinas específicas do curso escolhido.


Terão a prova de Redação corrigida aqueles que não forem eliminados e obtiverem no mínimo 50% dos pontos da prova de múltipla escolha. O resultado da prova de múltipla escolha será divulgado no dia 29 de junho. E o resultado final do vestibular sairá no dia 13 de julho de 2020.

Polos Regionais

I Bom Jesus do Itabapoana, Itaocara, Itaperuna, Miracema, Natividade, São Fidélis e São Francisco de Itabapoana.

II Cantagalo, Itaocara, Nova Friburgo e Santa Maria Madalena.
III Angra dos Reis, Barra do Piraí, Itaguaí, Miguel Pereira, Paracambi, Piraí, Resende e Volta Redonda.

IV Macaé, Magé, Rio Bonito, Saquarema e São Pedro da Aldeia.
V Petrópolis, Rio das Flores e Três Rios.

VI Belford Roxo, Campo Grande, Duque de Caxias, Mesquita, Niterói, Nova Iguaçu, Paracambi, Rio de Janeiro (Rocinha) e São Gonçalo.


Serviço:

Vestibular Cederj de Graduação a Distância
Valor da Inscrição: R$ 69,00
Período de Inscrição: de 30/03/2020 a 14/05/2020
Site: selecon.org.br
Informações: faleconosco@selecon.org.br
Prova: 14/06/2020



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Em reunião virtual CNE autoriza atividades não presenciais em todas as etapas de ensino



Parecer foi aprovado na terça e precisa ser homologado pelo MEC

O Conselho Nacional de Educação (CNE) autorizou, em parecer, a oferta de atividades não presenciais em todas as etapas de ensino, desde a educação infantil até o ensino superior. A partir do ensino fundamental, tais atividades podem contar para cumprir a carga horária obrigatória. O parecer foi elaborado para orientar a educação do país em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19), que levou à suspensão de aulas presenciais em todos os estados. 
O parecer, aprovado no dia 28 em reunião virtual, ainda precisa ser homologado pelo Ministério da Educação (MEC). Conselhos estaduais e municipais de Educação poderão ainda definir como cada localidade seguirá as orientações. As decisões finais sobre como ficará o calendário escolar deste ano caberão a estados, municípios, às instituições de ensino superior e às escolas privadas.  
As atividades não presenciais podem ser ofertadas por meio digitais, ou não. Podem ser ministradas, por exemplo, por meio de videoaulas, de conteúdos organizados em plataformas virtuais de ensino e aprendizagem e pelas redes sociais, entre outros. Podem ainda ser oferecidas por meio de programas de televisão ou rádio; pela adoção de materiais didáticos impressos e distribuídos aos alunos e seus pais ou responsáveis; e pela orientação de leituras, projetos, pesquisas, atividades e exercícios indicados em materiais didáticos. 
“A comunicação é essencial neste processo, assim como a elaboração de guias de orientação das rotinas de atividades educacionais não presenciais para orientar famílias e estudantes, sob a supervisão de professores e dirigentes escolares”, diz o texto. 
Carga horária 
Devido à pandemia, o MEC autorizou que o ano letivo tenha, em 2020, menos de 200 dias, mas manteve a obrigatoriedade de 800 horas no ano para as escolas de todo o país. 
Na educação infantil, etapa que compreende creche e pré-escola e atende crianças de até 5 anos de idade, devido à limitação legal, as atividades não presenciais não poderão contar no calendário letivo, e as aulas terão que ser repostas presencialmente. Apesar disso, o CNE diz que as escolas podem desenvolver atividades para serem realizadas pelos pais junto com as crianças. O mesmo pode ser feito nos anos iniciais do ensino fundamental, quando as crianças são alfabetizadas. 
O CNE recomenda que, no retorno às aulas presenciais, as escolas façam uma avaliação diagnóstica de cada estudante para verificar o que foi de fato aprendido no período de isolamento. 
“Muito além da carga horária, o principal que a gente coloca ali é que se consigam cumprir os objetivos de aprendizagem previstos no currículo e na Base Nacional Comum Curricular. A ideia é que se possa garantir atividades para os alunos nesse período e, ao mesmo tempo, para os alunos que não conseguirem realizar as atividades, que a rede tenha planos [de reposição] no retorno das atividades presenciais”, diz o relator do parecer, o conselheiro Eduardo Deschamps. 
Ensino presencial 
As atividades remotas não são obrigatórias. As redes podem optar pela reposição da carga horária de forma presencial ao fim do período de emergência. Para isso, podem aproveitar, por exemplo, os sábados e o recesso escolar do meio do ano. Podem ainda optar por um modelo misto, com a ampliação da carga horária diária e a realização de atividades pedagógicas não presenciais, quando as aulas forem retomadas.  
O CNE ressalta que a possibilidade de a longa duração da suspensão das atividades escolares presenciais dificultar a reposição das aulas de forma presencial e de comprometer o calendário escolar de 2021 e até mesmo de 2022. 
"A realização de atividades pedagógicas não presenciais visa, em primeiro lugar, a evitar retrocesso de aprendizagem por parte dos estudantes e a perda do vínculo com a escola, o que pode levar à evasão e ao abandono", diz o CNE. 
Avaliações nacionais
O CNE também sugere que as avaliações e exames nacionais e estaduais - como o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) - considerem as ações de reorganização do calendário de cada sistema de ensino para o estabelecimento de seus cronogramas. 
“É importante garantir uma avaliação equilibrada dos estudantes em função das diferentes situações que serão enfrentadas em cada sistema de ensino, assegurando as mesmas oportunidades a todos que participam das avaliações em âmbitos municipal, estadual e nacional”, diz o documento. 
Realidades locais
O CNE decidiu elaborar o documento devido às várias dúvidas de estados, municípios e escolas que queriam saber se as práticas adotadas durante a pandemia estavam em conformidade com as normas vigentes. Uma das dúvidas mais frequentes é como ficará o calendário escolar de 2020. Também é dúvida se as aulas e as atividades a distância contarão como horas letivas ou terão de ser integralmente repostas quando as aulas presenciais forem retomadas. 
O conselho faz a ressalva de que, na hora de definir o calendário, é preciso observar a realidade das redes de ensino e os limites de acesso dos estabelecimentos de ensino e dos estudantes às diversas tecnologias disponíveis. É necessário ainda "considerar propostas inclusivas e que não reforcem ou aumentem a desigualdade de oportunidades educacionais”, diz o texto. 
No Brasil, em todos os estados, houve suspensão de aulas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. A medida não foi adotada apenas no Brasil. De acordo com os últimos dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que monitora os impactos da pandemia na educação, 186 países determinaram o fechamento de escolas e universidades. A decisão afeta cerca de 1,3 bilhão de crianças e jovens, o que corresponde a 73,8% de todos os estudantes no mundo.


EBC

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Quarta Maluca - Fluminense


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

terça-feira, 28 de abril de 2020

Sobe para 4 o número de casos de coronavírus confirmados em Pádua; veja o vídeo



Sobe para 4 o número de casos confirmados do coronavírus em Santo Antônio de Pádua.
O Coordenador do Combate ao COVID-19 no município Dr.Marco Antônio, fez um vídeo confirmando os casos e esclarecendo a situação da cidade neste momento para a população.

Veja o vídeo abaixo:




COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Farmácias podem realizar testes rápidos para o novo coronavírus



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou nesta terça-feira (28), a aplicação de testes rápidos para o novo coronavírus em farmácias – geralmente, são aqueles feitos com uma gota de sangue. Antes, somente hospitais e clínicas das redes públicas e privadas podiam fazer os testes para detectar COVID-19.

As farmácias não serão obrigadas a disponibilizar o teste, mas aquelas que optarem por oferecer precisarão ter um profissional qualificado para realizar do exame. Os testes deverão serão feitos no local e o resultado deverá ser interpretado por um profissional de saúde, juntamente com outros dados do paciente.

Esses testes, no entanto, não irão para a contagem de casos do coronavírus no País. Além disso, o teste não terá efeito de confirmação do diagnóstico para o coronavírus.

De acordo com Antonio Barra Torres, diretor presidente substituto da Anvisa, que foi o relator do processo, há a possibilidade de o teste apontar o chamado “falso negativo” quando o paciente é testado ainda nos primeiros dias de sintomas.

“Os testes imunocromatográficos não possuem eficácia confirmatória, são auxiliares. Os testes com resultados negativos não excluem a possibilidade de infecção e os positivos não devem ser usados como evidência absoluta de infecção, devendo ser realizados outros exames laboratoriais confirmatórios”, disse.

O diretor Marcos Miranda fez uma observação de que as secretarias estaduais e municipais de saúde devem se reunir com as farmácias para determinar um fluxo de informação sobre os resultados desses testes.

A liberação dos testes será temporária e deve permanecer no período de emergência de saúde pública nacional decretado pelo Ministério da Saúde. Essa medida enfrentava resistências devido a questões sanitárias e ligadas também à eficácia dos exames.


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Porciúncula: estabelecimento que descumprir novo decreto pode ter alvará cassado



O Prefeito Municipal Leo Coutinho assinou, nesta segunda-feira, o Decreto 2.067/2020 em que dispõe sobre atividades econômicas como medidas de prevenção ao coronavírus. A situação atualizada da pandemia no município é de 01 caso confirmado (curado), 01 caso confirmado por teste rápido e 03 suspeitos em isolamento domiciliar, além de 10 casos descartados. A Secretaria Municipal de saúde informa que nenhum caso necessitou de internação.

A partir dos números atuais, de medidas sanitárias de controle e prevenção da pandemia pela Secretaria de Saúde e a capacidade total disponível para atendimento na Unidade Mista de Saúde, o município adotou o Distanciamento Social Ampliado, uma estratégia para grupos em risco de desenvolverem a doença, idosos e pessoas com doenças crônicas ou condições de risco.
No entanto, com a economia municipal afetada pelo isolamento social imposto inicialmente, o comércio teve permissão para funcionamento em delivery. A população sentiu-me mais livre e relaxou nos cuidados.  Com mais um caso confirmado e três suspeitos, o atual decreto impõe novas medidas de segurança:
- Bares, restaurantes, lanchonetes e congêneres estão restritos a venda de produtos, sendo impedida a permanência e consumo no local. Funcionários devem cumprir medidas de biossegurança e o local deve disponibilizar álcool em gel para todos. É vedada a ocupação de mesas no interior, calçadas e praças;
- É obrigatório o uso de máscaras para quem sair às ruas e circular em estabelecimentos abertos ao público, meios de transporte e locais autorizados a funcionar;
O novo decreto altera o anterior em caso de descumprimento das medidas previstas anteriormente. Aqueles que não cumprirem o decreto, estão sujeitos a sanções, como:
- Advertência requisitando a adequação;
- Multa para casos reincidentes ou novas infrações;
- Cassação de alvará de funcionamento do estabelecimento.
As demais recomendações e restrições impostas no decreto 2053/2020 continuam prevalecendo. Segue impedido o funcionamento de academias, clubes, centros esportivos, igrejas, templos religiosos, hotéis e pousadas, ambulantes em geral (verdureiros, pula-pula, churrasquinho, cachorro quente, carrocinha de café, água de coco, pipoca e similares).
O Decreto assinado hoje já está em vigor e tem validade de 15 dias.

Ascom

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Governo do estado pode aumentar margem de empréstimo consignado dos servidores públicos



O Poder Executivo poderá ampliar as margens consignáveis dos servidores públicos estaduais junto às instituições financeiras. A determinação é do projeto de lei 2.074/2020, que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) vai votar em discussão única nesta terça-feira (28/04). O texto ainda pode ser alterado caso sejam aprovadas emendas parlamentares durante a votação.

Atualmente, o servidor tem direito a adquirir empréstimo consignado - que é descontado diretamente no contracheque - de no máximo 30% do seu salário. O aumento da margem percentual somente poderá acontecer enquanto durar o estado de calamidade pública devido ao Coronavírus.

O deputado Sérgio Louback (PSC), autor original da proposta, afirmou que o objetivo é ampliar linha de crédito dos funcionários públicos neste momento de crise. “Queremos possibilitar ao funcionalismo e seus familiares meios para uma reorganização financeira, honrando seus compromissos e estimulando a economia do estado neste momento complicado de pandemia”, declarou.

Também assina o projeto o deputado Vandro Família (SDD).

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Bolsonaro nomeia André Mendonça para a Justiça e Ramagem para a PF


Os decretos com as nomeações são publicados no Diário Oficial

André Mendonça, de 46 anos, é natural de Santos, em São PauloJosé Cruz/Agência Brasil

André Luiz de Almeida Mendonça e Alexandre Ramagem Rodrigues são nomeados ministro da Justiça e Segurança Pública e diretor-geral da Polícia Federal (PF), respectivamente. Os decretos assinados pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, estão publicados no Diário Oficial da União desta terça-feira (28). André Mendonça passa a ocupar o comando do ministério com a saída de Sergio Moro e Alexandre Ramagem a chefia da PF no lugar de Maurício Valeixo.
André Mendonça, de 46 anos, é natural de Santos, em São Paulo, advogado, formado pela faculdade de direito de Bauru (SP). Ele também é doutor em estado de direito e governança global e mestre em estratégias anticorrupção e políticas de integridade pela Universidade de Salamanca, na Espanha; é pós-graduado em direito público pela Universidade de Brasília.
É advogado da União desde 2000, tendo exercido, na instituição, os cargos de corregedor-geral da Advocacia da União e de diretor de Patrimônio e Probidade, dentre outros. Recentemente, na Controladoria-Geral da União (CGU), como assessor especial do ministro, coordenou equipes de negociação de acordos de leniência celebrados pela União e empresas privadas.


Alexandre Ramagem é noemado diretor-geral da Polícia Federal  
Valter Campanato/Agência Brasil


Alexandre Ramagem, que exercia o cargo de diretor da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), é graduado em direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio). Ingressou na Polícia Federal (PF) em 2005 e atualmente é delegado de classe especial. Sua primeira lotação foi na Superintendência Regional da PF no estado de Roraima.
Em 2007, ele foi nomeado delegado regional de Combate ao Crime Organizado. Ramagem foi transferido, em 2011, para a sede do PF em Brasília, com a missão de criar e chefiar Unidade de Repressão a Crimes contra a Pessoa. Em 2013, assumiu a chefia da Divisão de Administração de Recursos Humanos e, a partir de 2016, passou a chefiar a Divisão de Estudos, Legislações e Pareceres da PFl.
Em 2017, tendo em conta a evolução dos trabalhos da operação Lava-Jato no Rio de Janeiro, Ramagem foi convidado a integrar a equipe de policiais federais responsável pela investigação e Inteligência de polícia judiciária no âmbito dessa operação. A partir das atividades desenvolvidas, passou a coordenar o trabalho da PF junto ao Tribunal Regional Federal da 2ª Regional, com sede no Rio de Janeiro.
Em 2018, assumiu a Coordenação de Recursos Humanos da Polícia Federal, na condição de substituto do diretor de Gestão de Pessoal. Em razão de seus conhecimentos operacionais nas áreas de segurança e Inteligência, assumiu, ainda em 2018, a Coordenação de Segurança do então candidato e atual presidente da República, Jair Bolsonaro.

EBC


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Terça Verde Fluminense


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

segunda-feira, 27 de abril de 2020

Projeto autoriza gratificação temporária para profissionais da saúde pública



A Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) irá votar em discussão única, nesta terça-feira (28/04), o projeto de lei 2.215/2.020. A medida autoriza o governo a instituir uma gratificação especial temporária para profissionais que atuam nas unidades públicas enquanto durar o estado de calamidade, decretado por conta da pandemia de Covid-19. Caso receba emendas, a medida sairá de pauta para ser novamente analisada pelas comissões técnicas.

Se aprovada, a medida valerá para médicos, enfermeiros, fisioterapeutas e demais auxiliares. O valor da gratificação será estipulado por ato do Poder Executivo, desde que haja dotações orçamentárias próprias disponíveis, e, se necessário, poderão ser suplementadas por verbas dos poderes Federal, Municipal e do Legislativo estadual. O projeto é do deputado Brazão (PL).

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Covid-19: Brasil passa dos 66 mil casos confirmados


Número de mortes chega a 4.543 em todo o país


O Brasil chegou a 66.501 casos confirmados de coronavírus, de acordo com atualização do Ministério da Saúde, divulgada hoje (27). Nas últimas 24 horas foram adicionadas às estatísticas mais 4.613 pessoas infectadas, aumento de 7,5% em relação a ontem (26), quando foram registrados 61.888 mil casos confirmados.

Foi o segundo maior número de casos de contaminação em um dia, perdendo apenas para o sábado (24), quando foram acrescidos 5.514 casos ao balanço.

Já o número de mortes subiu para 4.543, com 338 novos óbitos de ontem (26) para hoje (27), um incremento de 8%. O número de novos óbitos em 24 horas ficou abaixo da quinta-feira (22), quando foram contabilizados 407. A taxa de letalidade ficou em 6,8%.

São Paulo se mantém como epicentro da pandemia no país, concentrando o maior número de mortes (1.825). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (677), Pernambuco (450), Ceará (284) e Amazonas (320).  

Também foram registradas mortes no Maranhão (125), Pará (114), Paraná (75), Bahia (76), Minas Gerais (62), Paraíba (50), Espírito Santo (57), Santa Catarina (43), Rio Grande do Norte (45), Rio Grande do Sul (42), Alagoas (34), Distrito Federal (26), Goiás (26), Amapá (26), Piauí (20), Acre (14), Sergipe (10), Mato Grosso (10), Mato Grosso do Sul (9), Rondônia (10), Roraima (4) e Tocantins (2).



A.Brasil

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Luz do sol pode destruir coronavírus rapidamente, revela estudo nos Estados Unidos

Ilustração 3D do novo coronavírus (PM)



Um estudo realizado nos Estados Unidos descobriu que o novo coronavírus é rapidamente destruído quando exposto à luz do sol. A novidade foi divulgada nesta última semana e traz esperança principalmente para os países onde o verão está iniciando.
William Bryan é consultor de ciência e tecnologia do Departamento de Segurança Interna, ele deu entrevista na Casa Branca e contou que os cientistas do governo fizeram uma importante descoberta em relação ao poder dos raios ultravioletas para combater o novo coronavírus.
“Nossa observação mais impressionante até o momento é o poderoso efeito que a luz solar parece ter sobre a morte do vírus, tanto na superfície quanto no ar”, informou Bryan. Ainda, segundo ele, foi confirmado um efeito parecido tanto em relação à temperatura como também a umidade.
Se há aumento da temperatura, da umidade ou até mesmo de ambas, então o ambiente fica menos favorável ao novo coronavírus. Através de um slide foi feita uma apresentação com todos os resultados deste estudo feito pelo Centro Nacional de Análise e Contramedidas da Biodefesa.
Com uma temperatura entre 21 a 24 graus Celsius, a quantidade de vírus foi reduzida à metade em um período de 18 horas. Esse teste foi feito em uma superfície não porosa, que corresponde a maçanetas, entre outras.
Se a umidade subir para 80%, então a meia-vida do vírus cai pela metade em apenas 6 horas. Por fim, adicionando luz solar à equação, bastaram 2 minutos para ter um resultado positivo.
Mas os cientistas deixaram claro que não significa que o sol ou o verão elimina totalmente o novo coronavírus, é preciso continuar tomando todos os cuidados para reduzir o contágio.

I7News

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Conselho Nacional de Educação (CNE) vota diretrizes para reorganizar o calendário escolar


Decisões finais sobre calendário caberão a estados e municípios


Decisões finais sobre calendário caberão a estados e municípios
O Conselho Nacional de Educação (CNE) deve votar na próxima terça-feira (28), em plenário virtual, as diretrizes que irão orientar as escolas de todo país a como conduzir o ensino diante da pandemia do novo coronavírus. O documento traz orientações e sugestões para o ensino superior e para cada etapa de ensino da educação básica, desde a educação infantil ao ensino médio. 
A proposta de parecer sobre a reorganização dos calendário escolares e realização de atividades pedagógicas não presenciais durante o período de pandemia de covid-19 passou por consulta pública e recebeu mais de 1 mil contribuições.
O CNE decidiu elaborar o documento devido às várias dúvidas de estados, municípios e escolas sobre se as práticas adotadas durante a pandemia estavam em conformidade com as normas vigentes. Uma das questões mais preocupantes é como ficará o calendário escolar de 2020 e se as aulas e as atividades a distância contarão como horas letivas ou terão de ser integralmente repostas quando as aulas presenciais forem retomadas. 
Versão preliminar 
Na versão preliminar do parecer, o CNE lista uma série de atividades não presenciais que podem ser consideradas pelas redes de ensino durante a pandemia. O Conselho recomenda que as atividades sejam ofertadas, desde a educação infantil, para que as famílias e os estudantes não percam o contato com a escola e não tenham retrocessos na aprendizagem. 
Na educação infantil, que é composta por creche e pré-escola, embora a escola possa orientar os pais e responsáveis na realização de atividades, a recomendação é que elas não contem no calendário oficial e as aulas sejam todas repostas, pois há impedimento legal para considerar essas atividades como regulares.
A partir do ensino fundamental é possível que as atividades remotas sejam consideradas no calendário. A decisão final, no entanto, cabe a cada rede de ensino, que deverá definir a melhor forma de cumprir as 800 horas obrigatórias do ano letivo escolar. Para isso, o documento diz que é preciso considerar a realidade de cada localidade e o acesso às diversas tecnologias de ensino. É também necessário “considerar propostas inclusivas e que não reforcem ou aumentem a desigualdade de oportunidades educacionais”, reforça o CNE. 
Por não se saber ao certo quanto tempo durará a suspensão das aulas nas várias cidades brasileiras, o CNE recomenda que as escolas ofereçam atividades não presenciais, em todos os níveis de ensino mesmo que não contem como horas letivas oficiais. 
Essas atividades, de acordo com o documento preliminar, podem ocorrer por meios digitais ou não. Podem ser ministradas, por exemplo, por meio de videoaulas, de conteúdos organizados em plataformas virtuais de ensino e aprendizagem, pelas redes sociais, entre outros. Podem ainda ser oferecidas por meio de programas de televisão ou rádio; pela adoção de materiais didáticos impressos e distribuídos aos alunos e seus pais ou responsáveis; e pela orientação de leituras, projetos, pesquisas, atividades e exercícios indicados nos materiais didáticos. 
No ensino infantil e nos primeiros anos do ensino fundamental, quando ocorre a alfabetização, o CNE ressalta que é fundamental o acompanhamento dos pais e responsáveis. A escola deverá estar à disposição para orientá-los, estabelecendo canais para tal. 
Avaliação 
O CNE orienta que cada sistema de ensino, ao definir a reorganização do calendário do ano letivo, considere, entre outros pontos, realizar uma avaliação diagnóstica de cada criança quando as aulas presenciais forem retomadas. O objetivo é avaliar o que foi aprendido nas atividades não presenciais. Além disso, os sistemas são orientados a construir um programa de recuperação, caso seja necessário, para que “todas as crianças possam desenvolver de forma plena o que é esperado de cada uma ao fim de seu respectivo ano letivo”. 
O CNE recomenda ainda que o MEC e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) acompanhem as ações de reorganização dos calendários de cada sistema de ensino antes de estabelecer os novos cronogramas de avaliações de alcance nacional, como o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 
“Recomenda-se, em especial, que o MEC e o Inep aguardem o retorno das aulas para definir o cronograma e as especificidades do Enem 2020 de modo a evitar qualquer prejuízo aos estudantes nos processos seletivos às instituições de ensino superior”, diz o texto. 
A aplicação da prova impressa do Enem foi mantida nos dias 1º e 8 de novembro, segundo o Inep, para dar segurança aos estudantes de que a prova ocorrerá esse ano. Já o Enem digital, inicialmente mantido, foi adiado para os dias 22 e 29 de novembro. 
Próximos passos
Após aprovado pelo CNE, o documento terá ainda que ser homologado pelo Ministério da Educação. Conselhos estaduais e municipais de educação poderão ainda definir como cada localidade seguirá as orientações. As decisões finais de como o calendário será cumprido caberão a estados e municípios. 
No Brasil, em todos os estados há suspensão de aulas para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. A medida não é exclusiva do país. No mundo, de acordo com os últimos dados da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), que monitora os impactos da pandemia na educação, 191 países determinaram o fechamento de escolas e universidades. A decisão afeta cerca de 1,6 bilhão de crianças e jovens, o que corresponde a 90,2% de todos os estudantes no mundo.
EBC


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Auxílio Emergencial: saques em dinheiro da poupança digital começam a ser liberados nesta segunda; veja calendário


 Calendário vai liberando saques até dia 5 de maio, com base na data de nascimento


Quem recebe na nova conta digital da Caixa até agora só podia usar
 dinheiro como débito ou transferência


A Caixa Econômica Federal (CEF) começa a liberar nesta segunda-feira (27) os saques em dinheiro dos recursos do Auxílio Emergencial depositados nas poupanças digitais do banco. Esses depósitos foram feitos para os beneficiários que não recebem Bolsa Família e que não possuem conta em outro banco.
A liberação de saques em dinheiro segue um calendário que depende da data de nascimento do beneficiário, que vai desta segunda até 5 de maio.
Para quem ainda não teve o saque liberado em dinheiro, mas já teve a quantia depositada na poupança digital, os recursos podem ser usados de forma digital, para o pagamento de faturas ou usando código de barras, e para transferência para contas de outros bancos.
A limitação só vale para quem está recebendo o auxílio pela poupança digital criada pela Caixa. Quem indicou conta bancária anterior ou vai receber os R$ 600 em substituição ao Bolsa Família não tem restrição para saque.
Segundo a Caixa, o calendário de saques é uma medida de prevenção contra a pandemia de Covid-19. O objetivo é de “evitar aglomerações nas agências e unidades lotéricas, expondo empregados, parceiros e clientes ao risco de contágio”.
Confira o calendário de saques:
27 de abril: pessoas que nasceram em janeiro e fevereiro
28 de abril: nascidos em março e abril
29 de abril: nascidos em maio e junho
30 de abril: nascidos em julho e agosto
4 de maio: nascidos em setembro e outubro
5 de maio: nascidos em novembro e dezembro
Como sacar
Os trabalhadores poderão sacar o auxílio nos caixas eletrônicos e casas lotéricas de todo o país, sem a necessidade de usar um cartão. Porém, será preciso solicitar a retirada por meio do aplicativo Caixa TEM. Até o momento, não foi informada nenhuma outra forma de solicitar o saque.

G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Dia das Mães - Supermercados Fluminense



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

domingo, 26 de abril de 2020

BNDES libera R$ 1,1 bi para empresas afetadas por pandemia




Dinheiro equivale a 22% de linha de capital de giro de R$ 5 bi   
Foto: Arquivo/Agência Brasil

A liberação de linhas de capital de giro para empresas afetadas pela pandemia de coronavírus somou R$ 1,1 bilhão, informou o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O montante equivale a 22% da linha de crédito de R$ 5 bilhões anunciada no mês passado para ajudar micro, pequenas e médias empresas.
De acordo com o banco, 3 mil empresas tiveram acesso ao financiamento até agora, com o valor médio das operações atingindo R$ 368 mil. Das companhias beneficiadas, 82% atuam nos setores de comércio e de serviços, e 65% operam na Região Sudeste.
A linha de crédito dispõe de R$ 5 bilhões para financiar o capital de giro de micro, pequenas e médias empresas, que faturam de R$ 360 mil a R$ 300 milhões por ano. A partir de maio, as fintechs – tipo de banco digital – do tipo Sociedade de Crédito Direto poderão operar a linha de crédito. O Conselho Monetário Nacional concedeu autorização para o BNDES repassar recursos às fintechs, de forma a apoiar o banco de fomento na oferta da linha emergencial.
EBC

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA