quarta-feira, 31 de julho de 2019

Secretarias de Polícia Militar e de Polícia Civil recebem 2.892 viaturas

Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel



O governador Wilson Witzel participou, nesta quarta-feira (31/7), da entrega de 2.892 viaturas para as polícias Militar e Civil, no Monumento aos Pracinhas, no Aterro do Flamengo. Os veículos foram disponibilizados pelo Gabinete de Intervenção Federal (GIF) e serão distribuídos para as corporações até outubro. 

- Estamos passando por uma grave crise financeira não só no estado do Rio de Janeiro, mas no Brasil. Então, cabe a nós usar bem aquilo que estamos recebendo. É com estes equipamentos que vamos continuar defendendo a liberdade das nossas famílias que querem sair à noite, se divertir e voltar para casa – afirmou o governador.

Responsável pelo comando da intervenção, iniciada em 2018, o general Walter Souza Braga Netto disse que o investimento em equipamentos contribui para melhorar a eficiência do trabalho policial.

- Deixamos um legado tangível e intangível que continua dando frutos. Ao realizar esta entrega simbólica, dentre tantas outras que já aconteceram e estão por vir, temos a sensação de missão cumprida. Estou seguro de que estes investimentos trarão o fôlego necessário para melhorar, ainda mais, a eficiência das polícias e implementar ações – ressaltou o ex-interventor.

Entrega de 2.892 viaturas para as polícias Militar e Civil


A Secretaria de Polícia Militar recebeu 1.071 viaturas Toyota Corolla e 588 picapes. Já a Secretaria de Estado de Polícia Civil foi contemplada com 1.233 veículos Toyota Corolla. O investimento feito pelo governo federal foi de R$ 1,2 bilhão.

Julia Brito


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

terça-feira, 30 de julho de 2019

Governo do Estado repassa R$ 71 milhões para as prefeituras fluminenses

Os depósitos semanais são feitos por meio da Secretaria de Fazenda



O Governo do Estado repassou nesta semana R$ 71 milhões para os 92 municípios fluminenses. O depósito feito pela Secretaria de Fazenda refere-se ao montante arrecadado no período de 22 a 26 de julho. Os valores correspondem à distribuição de parte da arrecadação de Royalties do petróleo e dos tributos ICMS, IPI e IPVA às administrações municipais.

O total depositado neste mês de julho foi de R$ 735 milhões. Desde o início deste ano, ao adicionar as cotas-parte e os repasses relacionados às transferências federais e à receita diretamente arrecadada pelo Estado, os municípios receberam um total acumulado de R$ 7,13 bilhões.

Os depósitos semanais são feitos por meio da Secretaria de Fazenda, conforme prevê a Lei Complementar nº 63, de 11 de janeiro de 1990. As consultas dos valores dos exercícios anteriores podem ser feitas no Portal do Tesouro do site da Fazenda (www.fazenda.rj.gov.br).

Os valores semanais transferidos aos municípios fluminenses variam em função dos prazos fixados na legislação vigente. Dependendo do mês, pode haver até cinco datas de repasses. As variações destes depósitos oscilam conforme o calendário mensal, os prazos de recolhimento tributário e o volume dos recursos arrecadados.  A agenda de recolhimento tributário pelos contribuintes está concentrada no dia 10 de cada mês.

Índice de Participação dos Municípios

Os repasses aos municípios dos tributos IPI e ICMS são liberados de acordo com os respectivos Índices de Participação dos Municípios (IPM), apurados anualmente para aplicação no exercício seguinte, conforme determina a Constituição Federal e observado o disposto na Lei Complementar Federal nº 63, de 11 de janeiro de 1990, nas Leis Estaduais nº 2.664, de 27 de dezembro de 1996, e nº 5.100, de 04 de outubro de 2007, e nos Decretos Estaduais nº 46.470, de 23 de outubro de 2018, e nº 46.575, de 13 de fevereiro de 2019.

Secretaria de Fazenda



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Fluminense chega em Pádua e melhora a economia da cidade





Foi inaugurada na última terça-feira a primeira loja do grupo Fluminense em Santo Antônio de Pádua. Centenas de pessoas prestigiaram a abertura do novo mercado, localizado na Avenida Chaim Elias, nº 5, Centro da cidade. Esta é a 14ª unidade do grupo.



A solenidade oficial aconteceu às 9 horas, com a presença de várias autoridades. O presidente do grupo Fluminense, José Francisco de Souza Silva recebeu o prefeito, vereadores, clientes e amigos.
O padre Paulo Henriques abençoou as novas instalações, para que o local receba a proteção de Deus e seja mais um sucesso.


José Francisco afirmou que abertura da loja em Pádua era um sonho antigo da executiva do Fluminense. 

Vale lembrar que o mercado Fluminense gerou mais de 140 empregos diretos e indiretos com a abertura da loja, melhorando significativamente a economia e o fortalecimento da cidade.

Sobre o Grupo Fluminense

A história dos Supermercados Fluminense teve início em 1984 quando, José Francisco de Souza Silva e seu pai Francisco Filogono Silva montaram no bairro Niterói, um pequeno Bar e Mercearia. Mais tarde, resolveram dedicar-se somente à mercearia. Mesmo com muita dificuldade na aquisição de crédito, já que sua família era de outro município, mas, com muita garra, determinação e trabalho, adquiriram em 1992, um pequeno imóvel na Rua João Dias da Silva, onde funciona atualmente a loja 1 dos Supermercados Fluminense.
Inicialmente era uma pequena loja que empregava apenas cinco funcionários e as entregas em domicílio eram feitas em bicicletas. Depois de 4 anos, esses batalhadores empresários conseguiram ampliar suas instalações, podendo assim contratar mais pessoas e comprar um veículo para fazer as entregas que se avolumavam com o crescimento do empreendimento.
Com o passar do tempo, aquela pequena mercearia cresceu. Hoje possui 1.600 m² de área construída e um estacionamento com 800m². As entregas em domicílio gratuitas abrangem Itaperuna e várias cidades e distritos vizinhos com frota própria de caminhões.
Devido ao aumento da demanda pelos serviços oferecidos pelos Supermercados Fluminense foi inaugurada em Junho de 2005, outra loja com 9.000m² de área construída e com estacionamento para 100 veículos. Esta loja localizada no bairro Cidade Nova, próximo ao Centro Poliesportivo de Itaperuna, conta com Lanchonete e Choperia, Drogaria, Papelaria e Magazine.
E a história do Fluminense não parou por aí, hoje já são 14 lojas, oferecendo a população: conforto, comodidade, entrega em domicílio grátis, variedade de produtos e condições especiais de pagamento.
A empresa, que hoje se denomina Grupo Fluminense, gera mais de 1200 postos de trabalho direto e 300 indiretos.

Marco Sameiro
Fotos: Simone Gargano

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Irmãos Moreira Salles revelam detalhes de investimento milionário do Botafogo para reforços



Um dos clubes mais endividados do futebol brasileiro hoje é o ​Botafogo e as dificuldades extracampo atingem elenco e o técnico Eduardo Barroca dentro das quatro linhas. Atraso de salários e direitos de imagem e falta de investimento para trazer grandes nomes do mercado limitam as chances de título do Glorioso nas principais competições, embora o jovem treinador esteja fazendo um excelente trabalho no Campeonato Brasileiro e na Copa Sul-Americana. 

A grave crise financeira em General Severiano, todavia, pode estar com os dias contados. Na última sexta-feira (26), ​os irmãos Walter e João Moreira Salles, por meio da empresa de auditoria Ernst & Young e o escritório Trengrouse Advogados, apresentaram um plano de recuperação econômica aos dirigentes do Botafogo. 

De acordo com o jornal O Globo, a proposta prevê a criação de uma S/A (a Botafogo S/A, no caso) para gerir somente o futebol e quitar até R$ 350 milhões das dívidas do clube. O presidente Nelson Mufarrej e a diretoria deram aval e aprovaram a proposta. Nas redes sociais, os torcedores do Glorioso vibraram com a notícia e espalharam a hashtag #assumeMoreiraSalles nos termos mais comentados do Twitter. 

Publicidade


"Nossa intenção não é determinar o destino do Botafogo, mas oferecer opções. Somos torcedores do Botafogo e queremos o melhor para o clube. Acima de tudo, não queremos ser donos do clube ou administrá-lo", declararam os irmãos Salles em entrevista à Rádio Brasil. "Nossa única intenção ao contratar a Ernst & Young foi entregar ao Botafogo, nesse momento tão crítico, um roteiro realista dos caminhos possíveis a serem percorridos. A partir daí, caberá ao clube e aos seus torcedores definir o seu futuro", completaram. 

Além de negarem qualquer tentativa de assumir uma eventual presidência do clube, os empresários disseram que o plano obviamente contemplará investimentos para reforços. Em entrevista ao jornalista Rodrigo Capelo, colunista do ​site GloboEsporte.com, os irmãos Moreira Salles fizeram uma previsão de verba para o clube ir ao mercado a partir de 2020. 

"Apesar de não haver previsão de quantias elevadas, algo entre R$ 20 milhões e R$ 30 milhões seriam reservados para investimentos em novos jogadores. Os responsáveis pelo projeto entendem que este investimento é necessário para evitar um rebaixamento à segunda divisão, que poderia ser fatal para todo o projeto por reduzir receitas operacionais", responderam os empresários botafoguenses. 


90MiN

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

domingo, 28 de julho de 2019

Cabral e Cunha preparam livros sobre os bastidores da política



Lado a lado em duas pequenas celas, no presídio de Bangu 8 , na Zona Oeste do Rio, o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha e o ex-governador do Rio Sérgio Cabral têm planos em comum: prometem contar em livro os bastidores do que viveram na política. Formado em jornalismo, Cabral começou a rascunhar de próprio punho numa espécie de caderno escolar. Ele promete dar detalhes e ir além das confissões feitas à Justiça sobre o esquema de corrupção que comandou no Rio.
Já Cunha quer retomar a ideia de contar suas memórias sobre o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff em 2016, quando protagonizou a articulação que levou ao afastamento da petista. No relato, não deve deixar de fora histórias de como Dilma foi alvo de fogo amigo de aliados, cujos nomes devem ser citados.
 
Publicidade




ExtraOnline

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

sexta-feira, 26 de julho de 2019

Projeto proíbe estados e municípios em situação de calamidade pública de realizarem eventos festivos com recursos públicos



O Projeto de Lei 3022/19 proíbe estados e municípios em situação de calamidade pública de realizarem eventos festivos com recursos públicos. A medida se aplica também ao Distrito Federal. 

Pelo texto, o evento só poderá ser realizado se ficar comprovado que ele trará mais benefícios sociais do que prejuízos. 

O descumprimento da proibição poderá acarretar multas e sanções cíveis e criminais aos responsáveis.

O deputado Célio Studart (PV-CE), autor da proposta, afirma que a iniciativa pretende evitar gastos com eventos festivos em momentos críticos como a decretação de calamidade pública.

Studart ressaltou que Pernambuco já adota essa regra por meio de lei estadual. 

Tramitação
O projeto será analisado em caráter conclusivo pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Publicidade



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Acidente deixa quatro feridos na RJ-116, em Aperibé


Caso aconteceu na noite desta quinta-feira (25) no km 210 da rodovia

 
Segundo o BPRv, carro capotou no km 210, em uma área rural de Aperibé
 Foto: Divulgação/BPRv

Um acidente deixou quatro pessoas feridas na noite desta quinta-feira (25) na RJ-116, em Aperibé, no Noroeste Fluminense.

Segundo o Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv), houve uma capotagem no km 210. Todas as vítimas estavam no mesmo veículo, que ficou destruído com o impacto.

Todas as vítimas foram socorridas para o Hospital Municipal Augutinho Gesuald Blanc.

As causas do acidente são investigadas na 136ª Delegacia de Polícia de Santo Antônio de Pádua.

Publicidade
G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Homens assaltam carro dos Correios e fazem motorista refém em Campos


Vítima foi deixada dentro do porta-malas na Estrada do Mergulhão, no bairro Fazendinha. Os dois suspeitos foram detidos




Dois criminosos assaltaram um carro dos Correios e fizeram o motorista refém na tarde desta quinta-feira (25) em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense.

De acordo com a Polícia Militar, o motorista foi abordado enquanto fazia uma entrega no bairro Penha.

A polícia foi informada do roubo e fez buscas na região. O veículo foi encontrado na Estrada do Mergulhão, no bairro Fazendinha. A vítima foi deixada dentro do porta-malas do carro.

Publicidade

Durante a chegada da PM, dois homens retiravam o carregamento do carro, próximo a uma mata.

Um dos suspeitos foi detido no local e outro conseguiu fugir a pé com parte do material, mas também foi detido por volta das 20h. Ele foi localizado perto do Centro de Eventos Populares Osório Peixoto (Cepop), no bairro Vila da Rainha, ainda segundo a PM.

A assessoria dos Correios informou que o motorista passa bem. O caso está sendo investigado e também será registrado na Polícia Federal. A nota diz ainda que por ser assunto relativo à segurança, a empresa não divulga nomes, detalhes, números ou valores.

Os dois homens foram encaminhados para a 134ª Delegacia de Polícia do Centro.



G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

quinta-feira, 25 de julho de 2019

Juliana Paes sai em defesa de Jair Bolsonaro após polêmica


Juliana Paes voltou a causar polêmica nas redes sociais ao sair mais uma vez em defesa do atual presidente da República, Jair Bolsonaro 


A atriz Juliana Paes, que está no ar em A Dona do Pedaço na pele da protagonista Maria da Paz, causou revolta nas redes sociais na última terça-feira, 23 de julho. 

Em entrevista para o jornal O Globo, Juliana Paes abriu o jogo sobre o que pensa sobre o atual momento da política brasileira e voltou a gerar polêmica com suas declarações. 

Na conversa, Juliana Paes afirmou que torce para que o país dê certo, independentemente de quem esteja no comando em Brasília. A atriz garantiu que não bate palma para tudo o que o presidente Jair Bolsonaro fala, mas pediu pra que todos o apoiem enquanto ele estiver no poder. 

Juliana Paes então garantiu que não irá boicotar e disse que a atual polarização é boba. Para ela, existem infinitos pensamentos e ponderações e garantiu estar sempre aberta para o diálogo. 

Ainda sobre as eleições, Juliana Paes falou sobre sua ausência na campanha “Ele Não” durante a corrida eleitoral. A atriz diz não ser obrigada a usar uma hashtag só porque ‘geral usou’. Ela não considera algo ético usar suas redes sociais, que acumulam quase 20 milhões de seguidores, para opinar sobre um tema que não tem tanto domínio assim. Ela disse então que prefere se abster. 

Questionada sobre a sua aposentadora, Juliana Paes, que está com 40 anos de idade, está trabalhando para se aposentar aos 45 anos. A artista da Globo garantiu que só sairá de casa para fazer algo que esteja muito afim. Ela ainda afirmou que pretende, talvez, se tornar uma produtora ou diretora, alegando que sempre dizem que seus palpites são bons. 

Sobre a criação de seus filhos, Juliana Paes disse estar criando os seus meninos para que não “façam distinção entre cores de roupas” e que estejam sempre ativos na luta pela equidade entre os gêneros. 

Com uma carga horária de trabalho de no mínimo 12h por dia com sua personagem em A Dona do Paz e com oflga apenas aos domingos, quando dá, Juliana Paes falou garantiu que seus filhos entendem seu ofício e sentem orgulho dela. 

“Dia desses, fui buscar o Antônio no colégio e, ao me ver, ele virou para os amiguinhos e soltou: ‘Ali minha mãe! Ela é famosa’”, disse Juliana Paes, se derretendo pelo filho e sua atitude pra lá de fofa. Ela ainda disse que nesse dia, uma criança perguntou se ela tinha levado bolo e falou que o público infantil da novela da faixa das 21h da Rede Globo é enorme. 

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Luan Santana fará show no festival do vinho de Varre- Sai


Programação conta também com bandas e cantores locais, além de tenda cultural


A 44ª edição do tradicional Festival do Vinho de Varre-Sai, no Noroeste Fluminense, terá Luan Santana como principal atração neste domingo (28).

Para o evento, a Prefeitura adquiriu 4 mil litros de vinho. A programação conta também com bandas e cantores locais, além de tenda cultural.

No domingo, grande dia da festa, os portões serão abertos a partir das 13h.

Os ingressos podem ser adquiridos pelo site ou nos pontos de vendas físicos.

O festival acontece na Praça de Lazer Pedro de Assis Moraes.

Confira a programação:

 

Sexta-feira (26)
·         19h - Homenagem aos idealizadores do Festival de Vinho
·         20h - Grupo de dança cultural
·         21h - Baden Baden
·         22h - Camilo de Lellis
·         23h30 - Ramirez Show
·          
Sábado (27)
·         17h - Desfile das famílias italianas - Presença da Lira Santa Cecília
·         19h30 - Mini Tombo da Polenta
·         20h - Bailando Italiano
·         20h30 - Toni Boni
·         22h30 - Banda Parametro
·         00h - Banda Neon do Brasil
·          
Domingo (28)
·         13h - Abertura dos portões
·         13h30 - Rodrigo 2U
·         14h - Primeiro barril de vinho
·         14h30 - Damião Sim - Tenda cultural


G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Detran.RJ leiloa mais de 9 mil veículos e arrecada R$ 2,5 milhões



Em três leilões realizados em 2019, o Detran.RJ bateu a marca de 9.171 veículos arrematados. Esvaziar os pátios com veículos acautelados há anos era uma das metas da gestão atual, que assumiu em janeiro. O total das vendas dos três leilões gerou uma arrecadação de aproximadamente R$ 2,5 milhões, além de reciclar cinco toneladas de material ferroso. 

O terceiro leilão deste ano ocorreu na última segunda-feira (22/07), com a oferta de 6.956 veículos classificados como inservíveis e acautelados nos pátios de Niterói, Santa Cruz da Serra e Duque de Caxias. Os lotes foram arrematados por duas empresas que vão reciclar cerca de quatro toneladas de material ferroso.

O leilão, realizado pela leiloeira Juliana Vetorazzo, aconteceu na sede do departamento, no Centro do Rio, e contou com a participação de oito empresas previamente cadastradas. Os lotes dos depósitos de Duque de Caxias e Santa Cruz da Serra foram arrematados pela empresa Gerdau, que pagou R$ 0,45 e R$ 0,55 o quilo, respectivamente. O lote do pátio de Niterói foi adquirido pela empresa MJ Reciclagens, no valor de R$ 0,50 o quilo.

- O Detran.RJ não realizava um leilão de sucatas desde 2014. Em apenas sete meses, conseguimos promover três leilões de veículos inservíveis, o que permitirá a desocupação dos pátios.  Além da economia gerada, estamos colaborando efetivamente com o meio ambiente. Quero parabenizar a todos os envolvidos nessa conquista - declarou o vice-presidente do Detran.RJ, Marcelo Bertolucci.

As empresas que arremataram os lotes devem realizar os preparativos da descontaminação e posterior prensagem em 90 dias, contados a partir da emissão do contrato, sendo permitida a comercialização do material ferroso apenas para indústria siderúrgica, que deverá possuir licença ambiental para o desenvolvimento de atividades inerentes à trituração e à reciclagem de sucatas de veículos.

Publicidade



COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Operação vai destruir cerca de 16 mil armas no Rio de Janeiro



Cerca de 16 mil armas apreendidas serão destruídas nesta sexta-feira (26) durante a Operação Rolo Compressor III, conduzida pelo Exército Brasileiro. Há três anos a iniciativa se repete com o objetivo de conscientizar os cidadãos brasileiros sobre a violência armada. 

O material será destruído no período da manhã, no Batalhão de Manutenção e Suprimento de Armamento, em Deodoro, na zona oeste do Rio de Janeiro. 

Esses armamentos apreendidos foram considerados dispensáveis para a continuidade de processos judiciais a que estavam relacionados. Por isto, receberam a ordem de destruição por magistrados. As armas nessa situação são encaminhadas à destruição ou à doação a órgãos de segurança pública e às Forças Armadas.

Publicidade



A.Brasil

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

quarta-feira, 24 de julho de 2019

Workshop reúne agentes públicos e empresários para geração de emprego e renda

Vice-governador, Cláudio Castro, participou do evento.

O Noroeste Fluminense é uma das seis mesorregiões do Rio e precisa estar alinhado com o restante do estado para desenvolver cada vez mais as atividades econômicas e sociais. Visando promover essa integração e elaborar propostas do plano estadual de desenvolvimento do Noroeste Fluminense, o vice-governador Cláudio Castro, participou do 1° workshop de desenvolvimento da região que aconteceu, nesta terça-feira (23), em Itaperuna.

Durante o evento, foram abordadas diversas áreas, entre elas: Energia e Comunicação; Licenciamento Ambiental; Logística das Estradas e Agronegócios (Setor Cafeeiro).

Cláudio compôs a mesa com o tema “Custo da Logística”, que também contou com a participação do presidente do DER-RJ, Uruan Cintra de Andrade, do diretor da AGETRANSP, Vicente Loureiro, do chefe de gabinete da Secretaria Estadual de Transportes, André Aguiar, e do presidente da Agência Estadual de Fomento do Rio de Janeiro, Alexandre Rodrigues.

Publicidade

"Precisamos trazer educação, saúde e viabilizar negócios e empregos para o Noroeste. Fizemos recentemente um convênio do DER com o BPRV para voltar a fiscalizar as rodovias estaduais, o que diminuiu em 30% o roubo de cargas. Retomar a logística é retomar a capacidade de desenvolvimento e de investimento no Rio", disse Cláudio Castro.

O evento contou com a presença de diversas autoridades, como prefeitos, vereadores e secretários, entre eles Lucas Tristão, da pasta de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais.
.

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Associação que resgata animais abandonados em Além Paraíba pede ajuda para manter as portas abertas

Instituição recebeu uma ordem de despejo por falta de pagamento de aluguel. Veja como ajudar



A Associação Protetora dos Animais S.O.S Amor, que cuida de mais de 100 cães, em Além Paraíba, corre o risco de fechar as portas por falta de recursos financeiros. Funcionando desde 1998, o projeto tem o objetivo de alimentar e cuidar dos animais que são abandonados nas ruas. 

Segundo uma das diretoras da Associação, Mila Erbiste, a Organização Não Governamental (ONG) está sem condições financeiras para continuar cuidando de cães e gatos. 

Publicidade


Em entrevista, Mila contou que a associação recebeu uma ordem de despejo por falta de pagamento da propriedade, que atualmente é alugada. "Em setembro completamos dois anos sem quitar o aluguel no valor de R$ 600 mensais", explicou. 
Como ajudar 

As doações ou adoções de animais podem ser feitas diretamente na Associação S.O.S Amor, localizada na BR-393, entre Além Paraíba e Volta Grande, ou através de depósitos em contas bancárias. Confira os dados abaixo: 

Caixa Econômica Federal 

· Agência 1023 

· Operação 013 

· Conta Poupança 52979-6 



G1

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Abertura do mercado de gás pode derrubar preço em até 40%, diz Guedes


Bolsonaro assina decreto que cria Comitê de Monitoramento para o setor 


O presidente Jair Bolsonaro assinou hoje (23), em cerimônia no Palácio do Planalto, o decreto que institui o Comitê de Monitoramento da Abertura do Mercado de Gás Natural (CMGN), com o objetivo de estimular a competição no setor. A estatal Petrobrás detém o controle tanto da produção como da distribuição do gás natural no país, apesar deste monopólio ter sido quebrado na legislação em 1997. O objetivo do governo com essa política é concretizar a abertura para novas empresas, o que não ocorreu ainda.
Publicidade

"É uma quebra de dois monopólios, basicamente. O monopólio de produção e exploração de gás natural, como recurso básico, e também dos monopólios estaduais na distribuição", disse o ministro da Economia, Paulo Guedes. Apesar de não cravar um número definitivo, Guedes disse que técnicos do governo estimam uma queda no preço do produto em até 40% em dois anos. 
"Tem gente muito boa que estima em até 40% em dois anos a queda do preço do gás natural no Brasil. Nós temos certeza que o preço vai cair, porque nós vamos aumentar brutalmente a oferta, com um choque de investimentos no setor. Então, que o preço vai cair, vai, agora se vai cair 20%, 30%, 40% ou mais, não sabemos", disse. 

A.Brasil

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Mãe e filha são mortas a tiros dentro de casa por briga de herança

O pai e outro filho da família foram baleados; o mais novo foi atingido na cabeça 


Duas pessoas da mesma família morreram a tiros e outras duas ficaram baleadas em um ataque que aconteceu na casa deles, na madrugada desta terça-feira, em Marechal Hermes, na Zona Norte do Rio. Luciana Almeida da Silva, de 35 anos, e Lindsay de Almeida Reis, 15, mãe e filha, morreram, a adolescente na hora. 

O marido de Luciana, Wladimir Dativo dos Santos, 41, e outro filho do casal, Wictor Dativo de Almeida, 7, foram socorridos a hospitais da região; Wladimir para o Hospital Albert Schwietzer, em Realengo, e o mais novo para o Carlos Chagas, ainda em Marechal. 

Wictor foi atingido na cabeça e Wladimir foi baleado em diversas partes do corpo. Ainda não há informações sobre o estado de saúde deles. Os tiros em Luciana a acertaram na coxa e virilha esquerda e no braço direito. Ela também chegou a ser socorrida no Carlos Chagas, mas não resistiu aos ferimentos. 

Publicidade


De acordo com testemunhas, por volta das 3h de ontem, dois homens armados entraram na casa da família, que fica na Rua Igaratá, e atiraram contra todos eles. O motivo dos disparos teria sido uma briga por causa da divisão de uma herança.

Policiais militares do 9º BPM (Rocha Miranda) foram acionados e estiveram no local. Eles acionaram a Delegacia de Homicídios da Capital (DH), que investiga o caso.Parte superior do formulário

ODia

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

terça-feira, 23 de julho de 2019

Ministro vai conversar com caminhoneiros para evitar paralisação


Tarcísio de Freitas conversou com embarcadores sobre tabela de frete

Representantes dos embarcadores, como são conhecidas as empresas que contratam os fretes de transporte de carga rodoviário, se reuniram hoje (23) com o Ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para debater o impasse envolvendo a tabela de cobranças de frete mínimo.  Esta é a primeira rodada de debates. Amanhã, o ministro se reunirá com representantes dos caminhoneiros para avançar nas discussões. O objetivo do governo é evitar uma nova paralisação dos caminhoneiros.
Após a reunião, os representantes disseram ter estranhado a suspensão da resolução com o piso mínimo de frete, realizada pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), após pedido do ministério, mas que aguardavam as negociações com os caminhoneiros.
"A reunião foi justamente porque o setor produtivo demonstrou grande estranheza da revogação em tese, mas foi nos esclarecido que não houve revogação. Houve apenas suspensão para permitir se encaminhar alguns consensos para encaminhamentos de uma forma mais tranquila no futuro", disse a diretora de Relações Institucionais da Confederação Nacional das Indústrias (CNI), Mônica Messenberg.
No final de semana, os caminhoneiros demonstraram descontentamento com a metodologia aplicada na resolução da ANTT, elaborada em parceria com a  Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da USP, sobre o piso mínimo de frete.
Os caminhoneiros questionam alguns pontos da resolução que consideram como "diferenças conceituais entre o valor do frete e o piso mínimo" . Entre eles, está a própria definição do valor de frete.  Em razão disso, o ministério sugeriu à ANTT a alteração em um artigo da norma para melhorar a compreensão das diferenças conceituais entre o valor do frete e o piso mínimo.

Outro ponto é o fato de a resolução excluir do cálculo do piso mínimo, os valores de pedágio que podem ser pagos pelos caminhoneiros. Isso poderia abrir brecha para se praticar os fretes sem considerar os valores de pedágio apesar de estar previsto na lei que criou o piso mínimo de frete.


A diretora da relações institucionais da CNI se disse confiante na possibilidade de se chegar a um entendimento satisfatório entre os dois setores. Mônica disse que os embarcadores defendem a aplicação da resolução suspensa, segundo ela, construída de forma mais "técnica". Mas que estão dispostos a chegar a um consenso em alguns pontos.
"Certamente, no curto prazo, vamos tentar resolver isso e retornar a tabela da Esalq que efetivamente é reconhecida como a tecnicamente mais adequada e que reflete os custos mínimos do setor", afirmou.  "[Esta tabela], Nós tecnicamente acreditamos ser a mais razoável para começar a construção de um preço de frete", acrescentou Mônica.

A.Brasil

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA