terça-feira, 30 de abril de 2019

Exposição Agropecuária de Miracema, RJ, terá shows de Luan Santana e Sorriso Maroto


Programação da festa também contará com rodeio, leilão, motocross, partidas esportivas e bandas locais




A 55ª edição da Exposição Agropecuária de Miracema, no Noroeste Fluminense, terá shows de artistas como Luana Santana, Sorriso Maroto, Henrique e Diego, e Mumuzinho. A festa começa nesta terça-feira (30) e vai até o dia 5 de maio no Parque de Exposições Jamil Cardoso.

Além dos shows, também haverá rodeio, leilão, motocross, partidas esportivas e bandas locais. Terá também tradicional desfile cívico, escolar, militar, comunitário, em comemoração aos 83 anos de Emancipação Político-Administrativa do Município de Miracema.

A programação completa do evento pode ser acessada no site da Prefeitura. Os ingressos podem ser adquiridos também pelo site.


Programação:


·         Terça (30) - Luan Santana
·         Quarta-feira (1º) - 14 Bis
·         Quinta-feira (2) - Marília Cecília & Rodolfo
·         Sexta-feira (3) - Sorriso Maroto
·         Sábado (4) - Henrique e Diego
·         Domingo (5) - Mumuzinho


COMPARTILHE

Beth Carvalho morre no Rio


Artista estava internada em um hospital no Rio


Beth Carvalho - R


Morreu nesta terça-feira (30), a cantora Beth Carvalho. A informação foi confirmada pelo empresário da cantora, Afonso Carvalho, através do seguinte comunicado.



"Queridos amigos e fãs,
Nossa querida Beth Carvalho partiu hoje as 17:33, cercada do amor de seus familiares e amigos. Agradecemos todas as manifestações de carinho e solidariedade nesse momento. Beth deixa um legado inestimável para a música popular brasileira e sempre será lembrada por sua luta pela cultura e pelo povo brasileiro. Seu talento nos presenteou com a revelação de inúmeros compositores e artistas que estão aí na estrada do sucesso. Começando com o sucesso arrebatador de “Andança”, até chegar a Marte com “Coisinha do Pai”, Beth traçou uma trajetória vitoriosa laureada por vários prêmios, inclusive um Grammy pelo conjunto da obra. Assim que possível, informaremos sobre o sepultamento."

COMPARTILHE

segunda-feira, 29 de abril de 2019

TSE diz que 2,6 milhões de títulos de eleitores estão irregulares


Prazo para regularização do documento vai até 6 de maio

Título de eleitor - Arquivo/Marcello Casal Jr/Agência Brasil


Os eleitores que não votaram nem justificaram a ausência às urnas nas últimas três eleições têm até o próximo dia 6 de maio para regularizar a situação. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em todo o país, mais de 2,6 milhões de pessoas estão em situação irregular.
De acordo com o Tribunal, quem não acertar contas com a Justiça Eleitoral pode ter o título cancelado. O TSE informa que são incluídas eleições regulares e suplementares e que cada turno é considerado uma eleição.
O título de eleitor, conforme o TSE é necessário para obter passaporte ou carteira de identidade e para receber vencimentos, remuneração, salário ou proventos de função ou emprego público, autárquico ou paraestatal, bem como de fundações governamentais, empresas, institutos e sociedades de qualquer natureza, mantidas ou subvencionadas pelo governo ou que exerçam serviço público delegado, correspondentes ao segundo mês subsequente ao da eleição.
O documento é exigindo para participar de concorrência pública ou administrativa da União, dos estados, dos territórios, do Distrito Federal, dos municípios ou das respectivas autarquias, para obter empréstimos nas autarquias, nas sociedades de economia mista, nas caixas econômicas federais e estaduais, nos institutos e caixas de previdência social, bem como em qualquer estabelecimento de crédito mantido pelo governo e com essas entidades celebrar contratos.

Concurso

Para inscrição em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado, renovação de matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo e prática de ato para o qual se exija quitação do serviço militar ou imposto de renda igualmente é cobrado o título de eleitor. Sem título, o eleitor não consegue certidão de quitação eleitoral nem documentos em repartições diplomáticas.
O eleitor pode consultar sua situação no portal do TSE, na opção “situação eleitoral”, no canto superior esquerdo da página principal. Após preencher o nome completo e a data de nascimento, o serviço indicará se o título está regular ou irregular.
Quem estiver em situação irregular terá de pagar uma multa no valor de R$ 3,50. Depois precisa ir ao cartório eleitoral e apresentar documento oficial com foto, comprovante de residência e título de eleitor, se ainda o possuir.
Também é possível fazer o processo pela internet, no portal do TSE, na opção quitação de multas. Ainda assim, é preciso levar a documentação ao cartório eleitoral.
Resolução do TSE estabelece o prazo para a atualização do cadastro eleitoral, bem como os procedimentos relativos ao cancelamento dos títulos eleitorais e à regularização da situação dos eleitores.

EBC C/ da Ascom do TSE

 



COMPARTILHE

domingo, 28 de abril de 2019

Servidor estadual que não declarar bens patrimoniais poderá ser demitido


Prazo começa em 1º de maio; procedimento é obrigatório ao pessoal da ativa e quem não cumprir poderá responder a processo administrativo, levando à exoneração dependendo do caso


Funcionários em atividade do Estado do Rio têm a obrigação de 
declarar todos os bens, como imóveis
Daniel Castelo Branco / Agência O Dia



Com o fim do prazo da declaração de Imposto de Renda 2019 (ano-base 2018), que acaba na próxima terça-feira, os servidores estaduais ativos têm outro compromisso: a entrega da Declaração de Bens e Valores. O procedimento é obrigatório e deve ser feito por meio do Sistema de Controle de Bens Patrimoniais dos Agentes Públicos do Poder Executivo Estadual (Sispatri), a partir desta quarta-feira (1º de maio), pelo Portal do Servidor (www.servidor.rj.gov.br).
Cabe ressaltar que aqueles que não cumprirem a determinação poderão responder a processo administrativo disciplinar, gerando consequências como até mesmo demissão. Dessa forma, os funcionários devem ficar atentos, organizar os documentos e acessar a página o mais breve possível. 
Todos os bens
Deverão ser declarados todos os bens e as fontes de renda do servidor, como imóveis, dinheiro, títulos de ações, bens móveis, investimentos financeiros e participações societárias. Em caso de dúvida, o profissional deve entrar em contato com o setor de Recursos Humanos da secretaria à qual é vinculado.
Facultativa em 2018
Em 2018, a entrega das declarações pelo Sispatri foi considera facultativa. Mas neste ano, todos os servidores que possuem vínculos ativos com o Estado do Rio deverão obrigatoriamente fazer a apresentação no sistema virtual até o dia 30 de junho.
O Sispatri é um sistema virtual que aprimora a gestão de informações patrimoniais de servidores estaduais em atividade e foi instituído pelo decreto 46.364, em julho de 2018. A obrigatoriedade da declaração vale apenas para o pessoal da ativa e está prevista pelo Decreto 42.533, de 2010, que regulamenta a aplicação da Lei Federal 8.429 de 1992 no Estado do Rio.
O Dia

COMPARTILHE

Câmara Mirim 2019: alunos eleitos tomam posse dia 29





No próximo dia 29 será formada mais uma Câmara Mirim de Santo Antônio de Pádua. No último dia 15, as escolas municipais e particulares escolheram, via voto direto, seus representantes.

De autoria da vereadora Vanderléia Marques Franco Souza, a Câmara Mirim de Pádua é composta por alunos que cursam do sexto ao nono ano do ensino fundamental.

Ao todo foram 50 candidatos distribuídos nas 10 escolas participantes do projeto. Cada escola terá seu representante titular e suplente. A escola com maior número de candidatos foi o CIEP 469 – Professora Anaíde Panaro Caldas, com 12 alunos candidatos. Na outra ponta, a Escola Municipal João Maurício Brum teve apenas um candidato.

Ao todo foram 50 candidatos distribuídos nas
10 escolas participantes do projeto



Relação dos alunos eleitos vereadores mirins e suplentes

Escola Municipal Sarah Faria Braz
Vereador eleito: Narciso Pimentel Pavan, aluno do 7° ano.
Suplente: Malu Oliveira Araújo, aluno do 8° ano.

Escola Municipal João Maurício Brum, em Boa Nova
Vereador eleito: Marcelo Magalhães Fernandes Rambaldi, aluno do 6° ano.

Escola Municipal Professora Anaíde Panaro Caldas - Ciep 469
Vereador eleito: João Pedro Monteiro Rocha, aluno do 8° ano.
Suplente: Sérgio Izaque Pinheiro Carrozino, aluno do 9° ano.

Escola Municipal Manoel Miguel Couto, em Campelo
Vereador eleito: Rubens Soares Martins Neto, aluno do 8° ano.
Suplente: Antonella Pinho Andrade Vicente, aluna do 9° ano.

Escola Municipalizada Salim Simão
Vereadora eleita: Ana Luíza da Costa de Moraes, aluna do 7° ano.
Suplente: Maria Clara Lugão Pereira, aluna do 7° ano.

Escola Municipal Viva - Professora Edy Bellot
Vereador eleito: Luis Victor Pereira da Silva Pinheiro, aluno do 9° ano.
Suplente: Hevellyn da Silva Reis, aluna do 6° ano.

Escola Municipal Lélia Leite de Faria, em Santa Cruz
Vereador eleito: Miguel da S. Barbosa, aluno do 6° ano.
Suplente: Alice Hielamar N. Souza, aluna do 8° ano.

Escola Municipal Lemant Decnop, em Monte Alegre
Vereador eleito: Davi Marinho Cardoso, aluno do 8° ano.
Suplente: Kawan de Souza Azevedo, aluno do 9° ano.

Colégio de Pádua
Vereador eleito: Elis Leite Sanches, aluna da 8° ano.
Suplente: Danton Francisco Ferreira Barcelos, aluno do 8° ano.

Colégio EPA - Espaço Paduano de Aprendizagem
Vereador eleito: Luís Antônio Rodrigues, aluno do 6° ano.
Suplente: Hugo Borges de Souza, aluno do 6° ano.

 Ascom Câmara Pádua







COMPARTILHE

sábado, 27 de abril de 2019

Austrália quer exterminar 2 milhões de gatos com petiscos envenenados


Governo afirma que os felinos ameaçam cerca de 140 espécies de animais nativas. Entidades criticam proposta


O governo da Austrália anunciou que pretende exterminar cerca de 2 milhões de gatos até 2022. A estratégia usada será com o envenenamento de petiscos, para que os animais os coma. As informação são da BBC.

Os felinos que serão alvo da operação não são gatos quaisquer, mas animais que retornaram para a vida selvagem e agora ameaçam cerca de 140 espécies nativas do país. Eles são chamados gatos ferais.
“Os gatos ferais são da mesma espécie dos gatos domésticos, mas vivem e se reproduzem na selva, sobrevivendo da caça ou de animais mortos. São encontrados em toda a Austrália, em todos os habitats”, afirma o Departamento de Meio Ambiente e Energia do país. Eles se alimentam de outros bichos nativos, como coelhos, pássaros e lagartos.
O governo estima que existam entre dois e seis milhões de gatos ferais no território australiano. Em 2015, o governo declarou oficialmente que a espécie é uma praga no país e ameaça a vida nativa no local. “Eles têm sido um dos principais responsáveis pela extinção de pelo menos 27 mamíferos, desde que foram introduzidos na Austrália. Hoje, colocam em perigo pelo menos 142 espécies e mais de um terço dos mamíferos, répteis, sapos e pássaros que estão ameaçados”, afirma o documento Estratégia para Espécies Ameaçadas, publicado no mesmo ano.
Segundo o Departamento de Meio Ambiente da Austrália a forma mais efetiva de controlar os gatos selvagens em grandes áreas é com petiscos envenenados. A toxina fatal é injetada no alimento e jogados no chão com aviões ou drones.
Proposta é criticada
Diversos abaixo-assinados foram criados contra a medida. Um dos mais populares conseguiu cerca de 30 mil assinaturas. O texto da petição mostra outra solução para o problema: fazer armadilhas para capturar os animais, castrá-los e depois liberá-los. Assim, os animais não se reproduziriam mais.


O caso também ganhou notoriedade após a atriz francesa e ativista pelo direito dos animais Brigitte Bardot se pronunciar em 2015. “Esse genocídio animal é desumano e ridículo. Além de ser cruel, matar esses gatos é absolutamente inútil, já que o resto deles continuará se reproduzindo”, escreveu Bardot em carta para o então ministro do Meio Ambiente australiano.
Em resposta, o governo australiano disse que “não é realista ou factível fazer armadilhas e castrar milhões de gatos ferais nos mais de sete milhões de quilômetros quadrados” do território australiano. Além disso, argumentou que não seria humano permitir que animais nativos continuem sendo mortos pelos gatos, dia após dia.



COMPARTILHE

Maio terá bandeira amarela na tarifa de energia elétrica



A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou hoje (25) que a bandeira tarifária para maio será amarela, com custo adicional de R$ 1 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumido. De acordo com a agência, embora a previsão hidrológica para o mês indique tendência de vazões próximas à média histórica, “o patamar da produção hidrelétrica já reflete a diminuição das chuvas, o que eleva o risco hidrológico e motiva o acionamento da bandeira amarela”.
“Diante da perspectiva de que as afluências aos principais reservatórios fiquem perto da média, o preço esperado para a energia (PLD) deve permanecer próximo ao registrado nos últimos meses”, informou a Aneel.

Sistema

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado, de acordo com a Aneel, para sinalizar aos consumidores os custos reais da geração de energia elétrica. A adoção de cada bandeira, nas cores verde (sem cobrança extra), amarela e vermelha (patamar 1 e 2) está relacionada aos custos da geração de energia elétrica. 
Na amarela há o acréscimo de R$ 1 a cada 100 kWh consumido. Na vermelha, no patamar 1, o adicional nas contas de luz é de R$ 3 a cada 100 kWh; no 2, o valor extra sobe para R$ 5.

Dicas de economia

Para evitar aumento significativo nas contas, a Aneel dá dicas para que os consumidores economizem energia. Entre elas a de, no caso do uso de chuveiros elétricos, tomar banhos mais curtos. A agência sugere também a diminuição no uso do ar-condicionado e que, quando o aparelho for usado, que se evite deixar portas e janelas abertas, além de manter o filtro limpo. 
A Aneel indica, ainda, que o consumidor tenha atenção para deixar a porta da geladeira aberta apenas o tempo que for necessário e que nunca se coloque alimentos quentes em seu interior. Uma outra dica da Aneel para que o consumidor economize energia é a de juntar roupas para serem passadas de uma só vez e que não se deixe o ferro de passar ligado por muito tempo. 

A.Brasil

COMPARTILHE

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Assaltante usa pedra e outro arma para ameaçar vítimas em assalto a padaria em Porciúncula; Vídeo


Câmeras de segurança flagraram a ação dos criminosos


Assaltantes usaram uma pedra e uma arma para ameaçar o funcionário e uma mulher em uma padaria no Centro de Porciúncula, no Noroeste Fluminense, na noite desta quarta-feira (24).

Nas imagens do circuito interno de segurança o homem permanece durante todo o tempo com a pedra e a mão levantada, enquanto o outro aponta a arma para o funcionário.

Eles rendem a vítima do lado de fora do estabelecimento. Aparentemente, é neste momento que um dos assaltantes pega a pedra no chão.



A dupla obriga o homem a entrar na loja para entregar o dinheiro. Segundo a Polícia Militar, foram levados R$ 200.

Ainda segundo a PM, também havia uma mulher na padaria. As vítimas disseram aos policiais que os criminosos fugiram.

A PM fez buscas, mas nenhum suspeito foi encontrado.
O caso está sendo investigado na 139ª Delegacia de Polícia da cidade.


G1

COMPARTILHE

Crise no setor do café pode piorar os dados de desemprego no Brasil



Após um ano de safra recorde, a produção de café no Brasil sofre uma grave crise. Por causa disso, empresários apontam que o setor pode enfrentar muitas baixas, incluindo demissões.
No ano passado, o mundo produziu 160 milhões de sacas, sendo que o mercado consome cerca de 159 milhões anualmente. Foi a maior safra da história. O Brasil também registrou produção recorde, com 62 milhões de sacas. Com a oferta maior que a demanda, o preço do café brasileiro caiu de mais de R$ 400 para algo em torno de R$ 350 este ano.
Segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a cafeicultura emprega hoje cerca de 4 milhões e meio de brasileiros. Alguns empresários já preveem que, se nenhuma medida for tomada, 10 por cento de seus funcionários fixos devem ser demitidos após a colheita, em agosto. É o que aponta o produtor, Sergio Assis, que é também presidente da Federação dos Cafeicultores do Cerrado Mineiro.
‘Após a colheita, no tempo normal – que são os funcionários fixos – é certeza que haverá uma redução. No mínimo 10%’, afirma. ‘Isso no meu caso. No caso do cerrado eu acredito que pode ser maior’.
O presidente da comissão do café da CNA, Breno Mesquita, viaja pelo interior de Minas Gerais debatendo soluções com os produtores há cerca de 20 dias. Ele explica que a cafeicultura está ficando inviável.
‘O que a gente percebe é uma desesperança muito grande’, relata. ‘Para você ter uma ideia, nós temos regiões de Minas Gerais onde o custo de produção ultrapassa R$ 500. Essa mesma região está vendendo café a R$ 350’.
Mais da metade da produção brasileira de café vem de Minas. O estado é responsável por um quinto do café no mundo. Diante da crise no setor, o governo mineiro enviou um ofício ao Ministério da Agricultura solicitando medidas urgentes para evitar impactos na economia. Por exemplo, a extensão dos prazos para pagamentos de financiamento nos bancos públicos, e a publicação de um edital para que os empresários possam vender as sacas para a União. Dessa forma, o governo pode utilizar um preço tabelado, e estocar o café para diminuir a oferta, fazendo o preço subir. Ambas as medidas já foram tomadas em outros momentos de crise nos últimos 18 anos.
Dos 463 municípios de Minas Gerais que produzem café, grande parte depende exclusivamente do grão para fazer a economia girar. É o caso da cidade de Cabo Verde, no sul do Estado. Preocupado, o prefeito Edson José Ferreira conta que a população toda já está sofrendo.
‘O que está acontecendo muito aqui é que a inadimplência está muito grande porque não tem dinheiro’, alega. ‘O problema é que não tem serviço. Não tem outra atividade aqui que dá mais emprego que o café; 80% é para o café. E outra, o ICMS vem em cima do preço do café. A matemática é uma só. Vem menos dinheiro para a prefeitura’.
Questionado sobre a crise no setor do café, o Ministério da Agricultura informou que ainda não tem medidas concretas definidas, mas que está negociando uma forma de atender as demandas.
Fonte: CBN (Por Laura Marques)


COMPARTILHE

Raquel Dodge pede ao STF 22 anos de prisão para Collor


Senador teria participação em propinas que somam R$ 50,9 milhões em contratos da BR Distribuidora


Em alegações finais, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal que imponha uma pena de 22 anos, 8 meses e 20 dias ao ex-presidente da República Fernando Collor de Mello (PROS-AL), em ação penal no âmbito da Operação Lava Jato. A procuradora-geral apontou a suposta participação do senador – atualmente fora de exercício – em supostas propinas, que somadas, chegam a R$ 50,9 milhões em contratos da BR Distribuidora, subsidiária da Petrobras. Ele é acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
A procuradora-geral detalha que “entre 2010 e 2014, uma organização criminosa instalou-se nas Diretorias da Petrobras Distribuidora S/A – BR Distribuidora – capitaneada pelo Partido Trabalhista Brasileiro [partido de Collor à época], em particular na figura do senador Fernando Collor, e também pelo Partido dos Trabalhadores, com destaque para o deputado federal Vander Loubet”.

A procuradora-geral alega que Collor também integrou suposto esquema envolvendo “pelo menos R$ 1.000.000,00 em propinas em razão de contrato de gestão de pagamentos e programa de milhagens”. E ainda propinas de “R$ 20.000.000,00 para viabilizar hipotético e futuro contrato de construção e leasing de um armazém de produtos químicos em Macaé/RJ”.
A procuradora-geral afirma ainda que reforça a culpabilidade o fato de que Collor “foi deputado federal, governador de Estado e mesmo presidente da República, afastado do cargo precisamente por suspeitas de corrupção”. “Agora, anos depois, enquanto senador da República, há não apenas suspeitas, mas prova para além de dúvida razoável de que cometeu crimes”.
Até a publicação desta matéria, Collor ou seus advogados não tinham se pronunciado sobre a manifestação da procuradora-geral da República.

EstadãoConteúdo

COMPARTILHE

Controladoria Geral do Estado lança Disque Rio Contra a Corrupção

O serviço será fundamental para aprimorar o trabalho que vem
sendo realizado pela CGE


A Controladoria Geral do Estado (CGE) inaugurou o Disque Rio Contra a Corrupção, um serviço telefônico onde a população pode denunciar anonimamente casos de corrupção envolvendo agentes públicos do Estado. O canal funcionará de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, pelo número (21) 2276-6556.

Segundo o controlador-geral do Estado, Bernardo Barbosa, o serviço será fundamental para aprimorar o trabalho que vem sendo realizado pela CGE. 

- Nós estamos auditando contratos e fazendo investigações, mas com o Disque Rio Contra a Corrupção vamos receber informações de casos de irregularidades com mais rapidez e precisão. É imprescindível contarmos com o apoio de toda população, que sofre os efeitos dos desvios de verbas, para atingirmos nosso objetivo de tornar o Estado do Rio mais íntegro - destacou Barbosa.   

A iniciativa tem como objetivo dar ao cidadão fluminense uma nova arma para exercer o controle social e poder contribuir, pessoalmente, no combate à corrupção no Rio de Janeiro. As denúncias serão recebidas pela Ouvidoria e Transparência Geral do Estado, órgão subordinado à CGE, e as informações serão analisadas para que as devidas providências sejam tomadas.

Através do telefone podem ser denunciados atos de corrupção como tentativa de suborno, desvio de dinheiro público, nomeação de funcionários fantasmas, entre outros. O custo será o de uma ligação normal para telefone fixo.





COMPARTILHE

Descarte irregular de lixo e entulho contribui para proliferação do Aedes aegypti em Campos


Até o final da última semana, o CRDI havia confirmado este ano 1.933 casos do chikungunya e 32 de dengue




O descarte irregular de lixo e entulho em áreas públicas e terrenos baldios é um grande vilão quando o assunto é combate ao mosquito Aedes aegypti em Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, segundo a Vigilância em Saúde do município.

Os números de casos de chikungunya na cidade são preocupantes. Até o final da última semana, o Centro de Referência de Doenças Imuno-infecciosas (CRDI) havia confirmado 1.933 casos da doença em 2019. A cidade enfrentou uma epidemia de chikungunya em 2018.

A diretora da Vigilância em Saúde, Andréya Moreira, destacou que a população é parte essencial nos cuidados básicos em prol da saúde pública.
"É imprescindível a participação de todos. A Saúde conta com o comitê de combate a arboviroses, com ações efetivas. Mas de nada adiantam essas ações efetivas por parte do poder público, se a população não colaborar e se engajar nessa luta", ressaltou Andréya.

Segundo a Prefeitura, o município mantém as ações de limpeza pública e a coleta de lixo domiciliar é feita regularmente em toda a cidade. Os serviços de capina e roçada seguem um cronograma da Superintendência de Limpeza Pública (Sulimp).

Na última semana, 200 sacos de lixo doméstico despejado em local indevido foram recolhidos em ação conjunta do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e Sulimp no bairro Arraial, no distrito de Travessão.
"A coleta de lixo doméstico neste bairro e em todos os outros da cidade acontece normalmente, no mínimo, três vezes por semana, então não justifica o descarte dos resíduos domésticos nas ruas e terrenos. E para entulhos, o município disponibiliza pontos para descarte, os Peves", disse o secretário de Desenvolvimento Ambiental, Leonardo Barreto.

O coordenador do Programa Municipal de Combate à Dengue, Zika e Chikungunya, Claudemir Barcelos, explicou que o despejo irregular de lixo e entulhos é um dos grandes geradores de focos do mosquito e os moradores precisam estar mais conscientes.
"Aqui no bairro Arraial, encontramos recipientes com água acumulada e isso gera risco à incidência de doenças virais transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Retiramos resíduos acumulados em grande quantidade e precisamos que a população colabore para manter a limpeza e evitar os riscos", pontuou Claudemir.

Em casos de flagrante de descarte irregular, a população deve entrar em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Ambiental através do telefone (22) 98175-1882.



G1

COMPARTILHE

Compartilhe