quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

SUS usará supercomputadores para integrar prontuários eletrônicos de todo o País

Transmissão 100% digital dos dados da rede municipal à base nacional permite ainda que o Ministério da Saúde verifique on-line como está sendo investido cada real do SUS na saúde do brasileiro


O Ministério da Saúde investiu R$ 67 milhões na compra de três supercomputadores capazes de processar todas as informações e lançamentos do Sistema Único de Saúde (SUS) simultaneamente.
Os equipamentos vão ampliar em até 10 vezes o armazenamento de dados. Essa expansão vai permitir a unificação de todos os sistemas de informática da saúde. Saiba mais sobre os computadores aqui.
Com isso, será possível integrar em todo território nacional o uso dos recursos e o histórico de atendimento dos pacientes.
Os novos equipamentos representam redução de gastos públicos, com manutenção dos sistemas e melhoria da gestão da saúde. Haverá também ganho para o cidadão, com atendimento mais ágil por meio do prontuário eletrônico, do Cartão Nacional de Saúde (CNS), do Registro Eletrônico em Saúde (RES), entre outros.
“Os supercomputadores são uma base para a implantação do Registro Eletrônico em Saúde e um controle de qualidade dos serviços públicos de saúde no País”, declarou o ministro da Saúde, Ricardo Barros.
Nesta quinta-feira (8), dois servidores foram instalados no Centro de Informações do Datasus, em Brasília. O terceiro começa a funcionar ainda neste mês no Rio de Janeiro e terá a função de fazer a segurança das informações.
Aumento da capacidade
Antes da compra dos supercomputadores, a capacidade de uso de processamento dos servidores estava em torno de 92%. Com a aquisição das máquinas, esse número foi reduzido para uma média de 15 a 20% em horários de pico.
A alta disponibilidade alcançada com essa aquisição é condição fundamental para a implantação do Registro Eletrônico de Saúde, que reunirá dados como histórico das consultas, internações, dos medicamentos indicados, resultado de exames e a aplicação dos recursos na saúde.
A implantação do RES proporcionará uma economia estimada de 10 a 20% dos gastos com Atenção à Saúde, ou seja, de R$ 7 bilhões a 14 bilhões por ano.
Prontuário eletrônico
No sábado (10), termina o prazo para adoção do prontuário eletrônico nas unidades básicas de saúde. Com a plataforma digital, todos os serviços de saúde da cidade poderão acompanhar histórico,  dados e resultado de exames dos pacientes.
Será possível também verificar em tempo real a disponibilidade de medicamentos ou registrar visitas de agentes de saúde, melhorando o atendimento ao cidadão.
A transmissão 100% digital dos dados da rede municipal à base nacional permite ainda que o Ministério da Saúde verifique on-line como está sendo investido cada real do SUS na saúde do brasileiro.
A plataforma digital permite o acompanhamento do histórico médico do paciente em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS), oferecendo ganho na qualidade e na gestão da Atenção Básica para o gestor, para os profissionais de saúde e para o cidadão.
Com Ministério da Saúde

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA