quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Postos do Detran no interior do Rio passam a atender por agendamento

Serviço de identificação civil começa a ser agendado a partir de quinta (1º).
Segundo o órgão, 22 postos passam a adotar medida


O Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ) começará a atender por agendamento prévio a partir desta quinta-feira (1º) em 22 postos de identificação civil no interior do Estado. Segundo o órgão, a medida já é adotada na Região Metropolitana e visa a evitar demora no atendimentos aos clientes.
De acordo com o Detran, para agendar serviços, como primeira e segunda via da carteira de identidade, os interessados devem entrar em contato pelos telefones 0800-0204040 ou 0800-0204041 ou pela internet.
Os postos que passarão a fazer o atendimento de identificação civil por agendamento são: Bom Jesus do Itabapoana, Cardoso Moreira, Carmo, Casimiro de Abreu, Conceição de Macabu, Duas Barras, Eng. Paulo de Frontin, Miguel Pereira, Natividade, Paraíba do Sul, Paraty, Paty dos Alferes, Pinheiral, Porciúncula, Rio das Flores, São Fidélis, São José de Ubá, São José do Vale do Rio Preto, Silva Jardim, Sumidouro, Trajano de Moraes e Cambuci.

Sobrevivente da tragédia diz que se salvou por ficar em posição fetal

Boliviano Erwin Tumiri é técnico do voo da companhia aérea LaMia

Foto: Reprodução / Facebook 

Um dos sobreviventes do acidente no voo fretado da Chapecoense, o boliviano Erwin Tumiri deu detalhes de como foram os últimos momentos antes da queda da aeronave. 

Segundo ele, que viajava como técnico do voo da companhia LaMia, muitos dos passageiros se levantaram dos assentos e começaram a gritar, em pânico. 

O boliviano deu o relato à Rádio Caracol, a principal da Colômbia, enquanto era conduzido à Clínica Sommer, hospital na cidade de Rionegro, onde está em recuperação depois de ser resgatado na localidade de La Unión, a cerca de 60 quilômetros de Medellín, destino final do voo. 

— Diante da situação, muitos se levantaram dos assentos e começaram a gritar — relatou Tumiri, que só se salvou porque cumpriu o protocolo recomendado para acidentes aéreos.

— Coloquei as maletas entre as pernas para formar a posição fetal, que é o que se recomenda em acidentes — complementou.

Dos nove tripulantes bolivianos que estavam trabalhando na viagem, apenas Tumiri e a assistente de voo Ximena Suárez sobreviveram. Os dois, conforme as informações das autoridades colombianas, estavam fora de perigo. 

Completavam a equipe de bordo os pilotos Miguel Quiroga, Ovar Goitia y Sisy Arias, além do comissário Rommel Vacaflores e dos assistentes de voo Alex Quispe, Gustavo Encinas e Angel Lugo.

ZHESPORTES

FIRJAN Noroeste Fluminense promove encontro para estimular negócios

A Representação Regional FIRJAN/CIRJ no Noroeste Fluminense promove na próxima quinta-feira, 1º de dezembro, em Itaperuna, um Encontro de Negócios. O evento é gratuito e terá como empresas âncoras o Sistema FIRJAN e a Vest Surf.

O objetivo é aproximar empresas de todos os setores, permitindo contato direto entre fornecedores de pequenas e médias e departamentos de compras de grandes corporações, visando fomentar os negócios no estado do Rio.

A demanda das empresas âncoras reúne diversos itens de produtos e serviços, como por exemplo, material de escritório, manutenção industrial, conservação predial, equipamentos de segurança e uniformes.

A lista completa de demandas da empresa pode ser conferida neste link, por onde é possível se inscrever: https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfcUlEP7sZ5NwaBvbqiBvHeKtrk7Y4gRVtbog662JSYYUchtA/viewform .

A sede da FIRJAN no Noroeste Fluminense fica na Rua Apolinário Cunha, 51, Cidade Nova, Itaperuna. Mais informações pelo telefone (22) 3811-1650.

EVENTO: ENCONTRO DE NEGÓCIOS
DATA: QUINTA-FEIRA, 1º DE DEZEMBRO DE 2016
HORÁRIO: ÀS 9H30
LOCAL: REPRESENTAÇÃO REGIONAL FIRJAN/CIRJ NO NOROESTE FLUMINENSE – RUA APOLINÁRIO CUNHA, 51, CIDADE NOVA, ITAPERUNA

Vacinação contra Febre Aftosa termina dia 30

Nesta segunda etapa anual da campanha, que teve início no dia 1° de Novembro, devem ser vacinados bovinos com até 24 meses de idade



A secretaria estadual de Agricultura alerta os pecuaristas fluminenses sobre o termino no próximo dia 30 (quarta-feira), de Novembro, do prazo para vacinação dos bovinos e bubalinos (búfalos), com até 24 meses de idade, contra a Febre Aftosa. O Estado do Rio de Janeiro está há 19 anos sem o registro da doença em seu rebanho com status de área livre da doença.

Apesar desta segunda etapa anual de imunização ser parcial, após a vacinação é
obrigatória a apresentação da Declaração de Vacinação em um dos Núcleos de Defesa Agropecuária ou Postos Municipais no local de sua propriedade. O lançamento do documento também poderá ser feito, pelo próprio produtor, através da internet, diretamente no Sistema de Integração Agropecuária - Siapec, na página da secretaria estadual de Agricultura www.agricultura.rj.gov.br, implementado pelo serviço de Defesa Agropecuária.

Segundo o superintende de Defesa Agropecuária da secretaria estadual de Agricultura, Paulo Henrique Moraes, no documento deverão constar todos os bovídeos da propriedade - tanto os imunizados na etapa Novembro quanto os dispensados. Ele orienta ainda os produtores a adquirir a vacina nas lojas agropecuárias autorizadas e imunizar seus animais durante o prazo de duração da campanha.
- Os criadores devem estar atentos aos prazos para a imunização e declaração da vacinação junto à defesa agropecuária, pois só assim evitarão a multa e a interdição de suas propriedades - informou.

O secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo, frisa a importância do envolvimento de toda a cadeia produtiva nas etapas de vacinação.
- Esta é mais uma etapa para alertar a todos, envolvidos ou não com a atividade pecuária, sobre a importância de se defender contra a febre aftosa. A vacinação feita de forma adequada é o que garante a sanidade do rebanho - finalizou o secretário.

Sobreviventes da Chapecoense são operados e seguem na UTI

O zagueiro Hélio Neto está com traumas no crânio, tórax e pulmões. Alan Ruschel teve a coluna operada e ainda corre risco de ficar paraplégico


Médicos colombianos continuavam nesta quarta-feira o atendimento aos sobreviventes do acidente aéreo na Colômbia que deixou 71 mortos após a queda do avião que levava a equipe da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana em Medellín. O desastre aéreo é o pior já registrado na Colômbia em mais de vinte anos, e o mais grave na história do futebol brasileiro.
Os sobreviventes estavam sendo atendidos em hospitais locais. Entre os jogadores, o goleiro Jackson Follmann se recupera de uma amputação da perda direita e segue numa unidade de terapia intensiva (UTI), segundo os médicos. O zagueiro Hélio Neto também seguia sob cuidados intensivos por traumas severos no crânio, tórax e pulmões. O lateral Alan Ruschel teve a coluna operada e ainda corre risco de ficar paraplégico.
O acidente destruiu o sonho do clube que se tornou exemplo de êxito no Brasil e buscava dar o primeiro passo para vencer o torneio sul-americano diante do Atlético Nacional, da Colômbia, nesta quarta-feira. Somente seis pessoas, entre elas três jogadores, um jornalista e dois tripulantes, sobreviveram ao acidente na noite de segunda-feira, quando o avião que transportava a delegação se chocou contra uma área montanhosa no noroeste da Colômbia.
Investigadores brasileiros seguiam para a Colômbia para se encontrar com autoridades locais e revisar as caixas-pretas do avião da companhia Lamia, que ficaram no local do acidente, próximo à cidade de La Unión. A Bolívia, onde fica a sede da companhia Lamia, e o Reino Unido também enviaram especialistas para ajudar na investigação.

Com agência Reuters

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Avião da Chapecoense já tinha sido usado pela Argentina


O avião que sofreu um acidente na noite de ontem (28) com o time da Chapecoense foi o mesmo usado pela seleção argentina para viajar ao Brasil para as eliminatórias da Copa do Mundo de 2018.
Lionel Messi e seus colegas viajaram na mesma aeronave para irem até Minas Gerais, onde enfrentaram a seleção brasileira de Tite, no Mineirão, no último dia 10 de novembro. O astro do Barcelona chegou a passar mal no voo de volta a Buenos Aires devido a turbulências, conforme relatado na época.
De acordo com sites especializados, a aeronave tem 17 anos de uso, capacidade para 95 pessoas e é a única da companhia aérea Lamia, da Bolívia. O avião é o Avro Regional Jet 85, também conhecido como Jumbolino, de matrícula CP-2933, fabricado pela British Aerospace.

Avião com equipe da Chapecoense cai na Colômbia e deixa mortos

Segundo autoridades colombianas, há 76 mortos e 5 sobreviventes




O avião que transportava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia, sofreu um acidente na madrugada desta terça-feira (29), informam autoridades colombianas. Segundo autoridades colombianas, há 76 mortos e cinco sobreviventes. O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.

Segundo o Aeroporto Internacional José Maria Cordova, de Medellín, os cinco sobreviventes são os jogadores Alan Ruschel, Danilo e Follmann, o jornalista Rafael Henzel e a comissária Ximena Suarez.

O ex-jogador Mario Sergio, comentarista do canal FoxSports, está entre as vítimas, segundo o Bom Dia Brasil.

Os jogadores da equipe de Santa Catarina são os goleiros Danilo e Follmann; os laterais Gimenez, Dener, Alan Ruschel e Caramelo; os zagueiros: Marcelo, Filipe Machado, Thiego e Neto; os volantes: Josimar, Gil, Sérgio Manoel e Matheus Biteco; os meias Cleber Santana e Arthur Maia; e os atacantes: Kempes, Ananias, Lucas Gomes, Tiaguinho, Bruno Rangel e Canela.

O acidente

O voo que transportava a equipe da Chapecoense partiu na noite de segunda-feira de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, em direção a Medellín. Segundo a imprensa local, a aeronave  perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília), entre as cidades de La Ceja e Abejorral, e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.

O Comitê de Operação de Emergência (COE) e a gerência do aeroporto informaram que a aeronave se declarou em emergência por falha técnica às 22h (local) entre as cidades de Ceja e La Unión.
Os motivos do acidente ainda são desconhecidos. A imprensa colombiana chegou a cogitar possível falta de combustível como causa do acidente, mas também informou que o piloto despejou combustível após perceber que o avião iria cair.
Uma operação de emergência foi ativada para atender ao acidente. A Força Aérea Colombiana dispôs helicópteros para ajudar em trabalhos de resgate, mas missões de voos foram abortadas nesta madrugada por causa das condições climáticas. Choveu muito na região na noite de segunda, o que reduziu muito a visibilidade.
Equipes chegaram ao local do acidente por terra, mas o acesso à região montanhosa é difícil e a remoção é lenta.
Final de campeonato

O time da Chapecoense embarcou para a Colômbia na noite de segunda (28), para disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na quarta (30). Inicialmente, a delegação embarcou em um voo comercial de São Paulo até a Bolívia. Lá, o grupo pegou um voo da LaMia.

Em comunicado, o clube de Santa Catarina informou que espera pronunciamento oficial da autoridade aérea colombiana sobre o acidente.
Em seu perfil no Twitter, o Atlético Nacional lamentou o acidente e prestou solidariedade à Chapecoense: "Nacional lamenta profundamente e se solidariza com @chapecoensereal pelo acidente ocorrido e espera informação das autoridades".
O primeiro jogo da decisão, marcado para esta quarta-feira (30), foi cancelado, segundo a  Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol). A CBF adiou a final da Copa do Brasil, entre Grêmio e Atlético Mineiro, que também estava prevista para quarta-feira.
O Itamaraty, pelo telefone, informou que a embaixada do Brasil em Bogotá está em contato com as autoridades colombianas para obter informações sobre o acidente. A assessoria informou que as notícias ainda chegam desencontradas.
O Ministério das Relações Exteriores vai esperar um posicionamento oficial sobre vítimas e circunstâncias do acidente para se pronunciar. Está previsto que divulguem uma nota oficial ainda agora de manhã. O embaixador em Bogotá se chama Julio Bitelli.
A companhia

A LaMia (Línea Aérea Mérida Internacional de Aviación) é uma companhia de aviação que foi inicialmente constituída na Venezuela no ano de 2009 e depois mudou sua sede para a Bolívia (Santa Cruz de la Sierra). A empresa vem sendo desenvolvida para voos não regulares (charter), com o objetivo de permitir o desenvolvimento de atividades no país e no exterior, com aeronaves de grande porte - de passageiros e de carga.

G1

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Protesto em Saquarema alerta para redução de vagas em colégio estadual

Estudantes e professores fizeram passeata no município do RJ



Alunos e professores realizaram um protesto no último sábado (26) em Saquarema, Região dos Lagos do Rio, por conta da possibilidade de redução de vagas para o ensino médio no Colégio Estadual Oliveira Viana, que fica em Bacaxá. Segundo os participantes, cerca de 70 pessoas fizeram passeata pelo Centro da cidade e na frente da instituição, na Rua José Souza.
Os profissionais afirmam que a redução foi confirmada pela Secretaria Estadual de Educação. 
Segundo informações passadas por um professor da unidade, das 20 turmas existentes no Colégio Estadual Oliveira Viana hoje, 12 serão transferidas para um Ciep. Ainda segundo o educador, a mudança deve deixar as salas de aula no Ciep superlotadas e ainda resultar na demissão de professores.

Capital de giro da Caixa ultrapassa R$ 1 bi mensal em contratações

Cerca de 183 mil micro e pequenas empresas acessaram o crédito pré-aprovado do banco; linha oferece condições fáceis de pagamento

Empréstimo pode ser solicitado pelo caixa automático,
aplicativo de smartphone e internet banking


Cerca de 183 mil micro e pequenas empresas contrataram, neste ano, o empréstimo Giro Caixa Fácil, da Caixa Econômica Federal. A linha de crédito é destinada aos empreendimentos com faturamento de até R$ 15 milhões anuais.
Segundo a superintendente nacional de Estratégia para Micro e Pequeno Empreendedorismo, da Caixa, a contratação é fácil. “O cliente vai antes até a sua agência, leva toda a documentação necessária e deixa o crédito pré-aprovado”, explica.
A partir daí, o empréstimo pode ser solicitado via qualquer canal eletrônico: caixa automático, aplicativo de smartphone e internet banking. Com R$ 10,1 bilhões de saldo, a linha representa a maior operação de capital de giro da Caixa no segmento de micro e pequenos empreendedores.
Desde setembro, o volume de contratação mensal do Giro Caixa Fácil dobrou para pouco mais de R$ 1 bilhão.
Além de ser uma época do ano em que empresas tradicionalmente buscam mais crédito para fazer frente a custos trabalhistas (13º, férias) e ampliar estoques, Eugênia ressalta que o resultado está ligado a uma ação específica do banco, que enviou mensagens aos clientes lembrando-os dos limites pré-aprovados. 
“À medida que você vai pagando as parcelas, o limite vai se recompondo e você pode contratar novamente a diferença. Muitas vezes, a empresa está pagando direitinho, mas esquece disso”, diz. 
Além da facilidade, a linha também oferece condições atrativas. Os empréstimos, com teto de R$ 2 milhões e valor médio de R$ 65 mil, têm taxas de juros a partir de 1,49% ao mês, dependendo do relacionamento com a Caixa, e prazo de 24 a 60 meses.

Estado do Rio tem 465 vagas de emprego

Salários são de até R$ 4 mil, mais benefícios

O Governo do Rio de Janeiro anuncia 465 oportunidades de emprego em todo o estado, com salários de até R$ 4 mil, mais benefícios. São chances para ambos os sexos e exigem formação entre o ensino fundamental incompleto e o superior completo.

A Capital tem 381 chances, com destaque para 75 de Atendente de Lanchonete, 55 para Atendente de Lojas, 50 para Motorista de Ônibus, 50 de Vendedor, entre outras. A Região Metropolitana oferece 19 vagas, sendo 15 para Motorista de Ônibus, três para Supervisor de Vendas e uma para Repositor de Mercadorias.


Para a Região Serrana são 12 oportunidades, com cinco para Representante Comercial, cinco para Vendedor, uma para Almoxarife e uma para Empregado Doméstico. No Médio Paraíba, são 16 vagas. Entre elas estão quatro para Encanador, uma para Cozinheiro e uma para Faxineiro. No Noroeste Fluminense, há uma vaga para Técnico em Segurança no Trabalho.


Para deficientes existem 36 vagas, sendo onze para Faxineiro, oito para Atendente de Lanchonete, sete para Vendedor de Comércio Varejista, cinco para Embalador, entre outras.


As inscrições para se candidatar às vagas coletadas podem ser feitas nos postos SINE/Setrab ou no site maisemprego.mte.gov.br.


O banco de dados de emprego pode sofrer alterações momentâneas como inclusão/fechamento de vagas ou ampliação/redução de ofertas.


Ascom da Secretaria de Trabalho e Renda

domingo, 27 de novembro de 2016

Semana da Saúde realiza mais de 4.500 atendimentos em três dias de ação


Ao todo 2.078 voluntários procuraram o Hemorio para doar sangue, 1.555 homens passaram pelas consultas com urologistas e fizeram exames de PSA 


Em três dias de campanha, a Semana da Saúde mostrou que ‘solidariedade’ e ‘prevenção’ são palavras que fazem parte da rotina dos cariocas. Na ação promovida pela Secretaria de Estado de Saúde em parceria com a BandNews, 2.078 voluntários compareceram à Cinelândia ou à sede do Hemorio para doar sangue e 1.543 bolsas foram coletadas. O stand da Saúde do Homem, espaço dedicado a consultas com urologistas e testes de PSA, teve intenso movimento ao longo de toda a campanha e atendeu 1.555 pacientes. Além disso, todos os que passaram pela Cinelândia puderam receber orientações sobre os cuidados para se proteger da dengue, zika e chikungunya.

- Tivemos três dias de muito trabalho e contamos com a parceria de diversas instituições. Ampliamos a Semana Nacional do Doador oferecendo novos serviços à população e o resultado superou nossas expectativas – disse o secretário de Estado de Saúde, Luiz Antônio Teixeira Jr.

Na estrutura montada para receber o Hemorio, cerca de 35 profissionais trabalharam nos três dias da ação, para que os voluntários pudessem fazer a sua doação de sangue. Logo depois do almoço, quem estava na Cinelândia foi surpreendido com os integrantes da Conexão do Bem, grupo voluntário que animou quem esperava o atendimento. Quem também marcou presença no evento foram os músicos do Cacique de Ramos.

- Com o reforço que recebemos na Semana da Saúde, conseguiremos manter nossos estoques abastecidos para as festas de fim de ano, quando o número de doações é reduzido em cerca de 30%. Quem não conseguiu doar na Cinelândia, pode comparecer à sede do Hemorio todos os dias da semana, inclusive domingos e feriados – explicou o diretor geral do Hemorio, Luiz Amorim.

Para se antecipar ao período do verão, a equipe da Vigilância em Saúde também marcou presença no evento reforçando a campanha de conscientização contra dengue, zika e chikungunya.

- Este ano estamos registrando um número expressivo de casos de chikungunya, por isso é importante reforçar os cuidados coibindo a proliferação do mosquito. As campanhas de conscientização são importantes para alertar a população de que o engajamento de todos é fundamental – contou Alexandre Chieppe, subsecretário de Vigilância em Saúde.


Crise do Estado fecha colégios da rede e secretário é convocado a dar explicações à Alerj



A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) realiza audiência pública, na próxima quarta-feira (30/11), para debater o fechamento de unidades escolares da rede SEEDUC. O Secretário de Estado de Educação, Wagner Victer foi convocado pelo colegiado para dar explicações sobre o encerramento das atividades. O encontro contará com a participação de representantes do SEPE, da UPPES e de colégios que já estão com o término das atividades em curso.

“Queremos que o secretário de Educação explique os critérios que estão sendo adotados para o fechamento de unidades, para a municipalização das escolas estaduais e para a extinção de turnos.O Executivo justifica o pacote de austeridade como uma medida imprescindível para preservar áreas prioritárias como saúde, segurança e educação. O fechamento de escolas neste momento é a maior prova da negligência do governo com a área. Negar aos nossos estudantes acesso à Educação é negar o futuro desses jovens", explica Comte Bittencourt.

Local: Local: Palácio Tiradentes – Rua Dom Manuel, s/n° - sala 316 – Centro do Rio
Data: 30/11/2016
Hora:10h.

Alemães adotam técnica de combate a erosão no Noroeste Fluminense

Práticas aplicadas em Itaocara utilizam materiais naturais para evitar empobrecimento do solo e queda de barrancos

No pequeno município de Itaocara distante quase 300 quilômetros da capital, pesquisadores
 da Universidade de Leipzig, na Alemanha, adotaram uma técnica de bioengenharia já consagrada na Europa, que inclui o terraceamento com mudas – espécies de rampas niveladas – e parcelamento de morro, adaptado para áreas de pastagem. O trabalho faz parte do Projeto Intecral, uma cooperação científica entre o Programa Rio Rural, da Secretaria estadual de Agricultura do Rio de Janeiro, e o Ministério de Educação e Pesquisa da Alemanha.
“É importante que pequenos produtores tenham acesso a conhecimentos de ponta na agricultura. A parceria valoriza o protagonismo dos agricultores familiares, permitindo a implantação de técnicas avançadas e sustentáveis que melhoram a produção e aumentam a competitividade”, ressalta o secretário estadual de Agricultura, Christino Áureo.
Produzir sem destruir
Assim como outros municípios da região, Itaocara é um grande produtor de leite e 85% de sua área é ocupada por pastagens. Em morros, as trilhas formadas pelo gado favorecem a erosão, já que, em terreno pisoteado, o solo fica compactado e exposto, sem vegetação. Nessas condições, a chuva provoca o deslizamento de barrancos.
Além da superlotação bovina, o manejo não sustentável do solo com o uso de tratores que aram de cima para baixo em terrenos muito inclinados – prática proibida por legislação ambiental – agrava a situação. Eram essas as condições do terreno de quase quatro hectares utilizado na pesquisa, que contou com o apoio do escritório da Emater-Rio em Itaocara. Em menos de dois anos, os resultados são animadores, segundo os alemães.
A técnica de terraceamento agrícola abre caminhos no morro bem mais largos do que os feitos pelos animais. Vistos de frente, são como os degraus de uma escada. Em cada um deles, foram plantadas mudas de espécies nativas resistentes à seca, como aroeira, jacarandá de espinho e outras leguminosas. Quando crescem, elas se tornam uma cerca viva (função similar às cercas elétricas), ajudando a controlar a área disponível para o gado. O revezamento dos espaços promove a regeneração do capim, protegendo o solo contra a erosão.
Somado ao parcelamento de morro – de longe é possível perceber a divisão em faixas –, o terraceamento ajuda a conter o escoamento da água da chuva, pois os arbustos da cerca viva ajudam na infiltração da água. Nas áreas mais críticas da propriedade foram construídas cercas com estacas de bambu e eucalipto, procedimento conhecido como paliçada, que mantém a terra e os sedimentos no terreno, em caso de erosão.
“A equipe de pesquisa gostou muito do resultado. A maioria das espécies que usamos estão adequadas à região, têm alto valor ecológico, atraem pássaros e ainda podem fornecer sombra para o conforto térmico dos animais. A erosão foi contida”, comenta Dietmar Sattler, biólogo responsável pelo trabalho de recuperação de áreas degradadas.
Paulo César Alves, proprietário do terreno onde a pesquisa foi aplicada, está otimista. “Fiz o sacrifício de deslocar o gado para outra área, mas a recompensa é grandiosa. O capim brota com força e tem vindo pessoas de vários locais impressionadas com a mudança na paisagem”, conta.
Segundo Dietmar, a experiência bem sucedida de implantação da técnica no Brasil pode servir de inspiração para outros países que sofrem com níveis graves de erosão, como Índia e Vietnã. O custo com materiais e com a estrutura utilizados na recuperação do terreno foi de R$ 15 mil. 

Oportunidade única para quem sonha ser um astro do futebol

Observadores do Fluminense farão avaliação de atletas em Macuco



Se você é daqueles garotos adora uma bola de futebol, é apaixonado por esse esporte, alimenta o desejo de um dia se tornar um profissional de verdade e vestir a camisa de um grande clube brasileiro, este sonho pode estar ao seu alcance, ou melhor, está muito mais próximo do que você imagina. Basta acreditar em seu potencial, talento e disciplina e comparecer ao Estádio Doutor Mário Freire Martins, campo do Macuco Esporte Clube, na próxima terça-feira, dia 29 de novembro, às 14 horas.

Por iniciativa da Liga Desportiva de Macuco (LDM), com idealização de seu presidente, o desportista Diogo Latini, nessa data será realizado um evento que irá movimentar a garotada de Macuco e região e promete atrair dezenas de jovens valores do futebol regional. Trata-se da Captação de Atletas de Futebol, uma rara oportunidade de os garotos serem observados por profissionais competentes da área esportiva e quem sabe serem chamados para integrar os quadros uma grande equipe nacional de futebol.

Segundo o presidente da Liga, atendendo a diversos pedidos dos alunos da Escolinha do Léo Moura em Macuco e também levando em conta a vontade de atletas de toda a região, a realização dos testes será gratuita e as avaliações dos jogadores estará sob responsabilidade do Fluminense Futebol Clube, atual Campeão da Primeira Liga de Futebol do Brasil. “Os testes serão para avaliar os garotos com idade de 12 a 16 anos e a coordenação será toda do pessoal do Fluminense. Vale lembrar que os atletas deverão apresentar atestado médico para inscrição na avaliação e devem comparecer levando short e meião. Aproveito para convidar toda a garotada a participar, pois vejo o evento como uma chance imperdível para os que sonham ser atletas profissionais”, convida Diogo Latini. 

Ascom

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Centro de Hemodiálise é inaugurado em Teresópolis após 3 anos de obras

Atendimentos aos pacientes começam na terça-feira (29)




Foi inaugurado na manhã de quinta-feira (24) o Centro Municipal de Diálise em Teresópolis, Região Serrana do Rio. Segundo informações da prefeitura, a unidade começa a atender cerca de 90 pacientes renais do município na próxima terça (29). A estrutura foi inaugurada após três anos de obras. Neste período, mais de 40 pessoas morreram com a rotina pesada de viagens para tratamento em Itaboraí e Magé.

Com licença do Governo do Estado, a Prefeitura aguarda habilitação do Ministério da Saúde, responsável pelos custos do tratamento. Porém, a unidade vai começar a funcionar. “A Prefeitura vai assumir temporariamente o pagamento para que essas pessoas possam usufruir imediatamente dos serviços de hemodiálise em Teresópolis”, disse o prefeito Mário Tricano.
Segundo o secretário municipal de Saúde, Julio Cesar Ambrosio, até segunda-feira (28) a unidade passará por desinfecção de todas as instalações e também serão montados os turnos de atendimento.

“O tratamento em si sacrifica bastante, mas a viagem debilita ainda mais o paciente, que passa horas numa máquina. A gente espera melhorar a qualidade de vida dessas pessoas, que poderão se tratar na cidade onde moram”, afirmou o secretário. 

A unidade
Localizada na Rua Roberto Rosa, 366, na Tijuca, o centro de terapia renal funcionará de segunda a sábado, das 7h as 17h. Com equipamentos e profissionais especializados, a clínica tem 35 cadeiras e capacidade para até 105 atendimentos.

O serviço será prestado pela empresa Renal Assistência Médica, contratada por licitação para gerir a unidade.
“Vamos acompanhar quem faz hemodiálise e os que fazem consulta no ambulatório do SUS e forem referenciados pela rede. A clínica está estruturada para atender até 200 pacientes por mês, conforme determinação do Ministério da Saúde”, explicou o médico nefrologista Virgílio Delgado, responsável técnico da clínica.

Segundo ele, haverá retaguarda hospitalar para casos mais graves. “Quem passar mal durante o tratamento terá atendimento assegurado no Hospital das Clínicas e no São José que estão contratualizados como hospitais de retaguarda do Centro de Diálise. Também daremos suporte à UPA”, informou Virgílio.

Camila Lima de Mello faz hemodiálise há 16 anos e comemorou a conquista. “É uma emoção muito grande. Muitos disseram que não veriam a clínica aberta e realmente não viram. Eles jamais serão esquecidos. Agradecemos a Deus, a tudo o que foi feito. Agradecemos também ao pessoal de Itaboraí que durante três anos nos ajudou muito na nossa caminhada para que pudéssemos estar aqui hoje”, contou.
G1

Rio vai obter R$ 400 milhões com fundo de incentivos

Dinheiro que será cobrado de empresas só chega ao caixa em janeiro

O recolhimento de 10% do valor de incentivos fiscais para um fundo estadual deve render R$ 400 milhões anuais para o Rio. Esse dinheiro começará a ser cobrado em dezembro e entrará nos cofres públicos a partir de janeiro. Mas poderia ter chegado antes — e assim amenizar a crise financeira do estado. O projeto que criou o Fundo Estadual de Equilíbrio Fiscal (FEEF), previsto para vigorar por dois anos, foi aprovado pela Alerj em julho. A lei foi promulgada pelo então governador em exercício, Francisco Dornelles, no final de agosto, mas ainda precisava ser regulamentada por meio de decreto — o que o governo só fez agora, em novembro. Após se reunir esta semana com os governadores em Brasília, o Ministério da Fazenda anunciou que este tipo de fundo será adotado por todos os estados que buscam o ajuste fiscal.


SETORES FICARAM FORA DA LEI

A estimativa de R$ 400 milhões foi feita pelo presidente da Comissão de Tributação da Alerj, deputado Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), com base no orçamento de 2017 e consultas à Secretaria da Fazenda. A arrecadação seria bem maior se a lei não tivesse aberto exceções. Vários setores — como moda, móveis, metal, sucroalcooleiro, cervejas artesanais, produção cultural, esportes — e empresas que produzem medicamentos básicos, material escolar, produtos da cesta básica, além das pequenas e médias, estão livres de contribuir para o FEEF.
Essa exclusão foi negociada pela Federação das Indústrias do Rio (Firjan). Mesmo assim, a Firjan pediu à Condeferação Nacional da Indústria (CNI) no final de setembro que questionasse a constitucionalidade do FEEF no Supremo Tribunal Federal (STF). Apesar de considerar que as medidas trazem “insegurança jurídica para o ambiente de negócios”, a Firjan orientou seus filiados a cumprirem as novas regras. Se não depositar no fundo os valores corretos, a empresa pode perder, em três meses, o incentivo fiscal.

OGlobo





Técnico, Ceni pede estádio cheio: "Espero estar à altura do São Paulo"

Anunciado pela diretoria como treinador para 2017, ex-goleiro experimenta banco de reservas do Morumbi e revela busca por um time "melhor do que nos últimos tempos"



Em seu primeiro dia como técnico do São Paulo, Rogério Ceni foi ao Morumbi, sentou-se no banco de reservas de onde comandará a equipe a partir de janeiro de 2017, e falou ao site oficial sobre a sensação de voltar ao clube, um ano depois de se despedir como goleiro. O principal vencedor da história tricolor deu algumas dicas de como será seu trabalho na nova função.

VOLTA AO MORUMBI
– Acho que daqui eu nunca saí. As memórias são ainda muito recentes. O Morumbi é como se fosse minha casa. O que eu espero é estar à altura de um clube como o São Paulo, da grandeza do São Paulo. Tentei me aplicar bastante, estudar bastante nesse espaço de tempo de quase um ano que eu fiquei afastado do futebol como atleta.
CENI TÉCNICO
– Agora, em uma nova função, o que eu pretendo é ter pessoas que tenham conhecimento, possam somar e ajudar muito a construir uma nova história para o São Paulo: jogadores, comissão técnica, integrados à parte de futebol, de marketing, comunicação e à presidência do clube. Acho que isso é o mais importante para que a gente possa fazer um São Paulo melhor do que vem sendo nos últimos tempos.
SAMPAOLI
– Ser goleiro e técnico numa mesma vida é um desafio muito grande, são duas posições em que a pressão é muito forte. Me perguntaram por que escolhi assistir aos treinos do Jorge Sampaoli. E respondi que ele é um treinador que tinha características muito parecidas com a maneira que eu enxergava futebol. Fui muito bem recebido no Sevilha, escolhi passar uma semana até a preparação para um jogo e pude aprender muito.
TORCIDA
– A grande estrutura do clube, o peso da camisa do São Paulo, isso tudo pode dar combustível. E com o principal: ver o Morumbi cheio, ver o Morumbi a cada jogo com pelo menos seus 40 mil lugares da parte de cima lotados. O combustível desse time, por mais contratações que você faça, vem da arquibancada.
RELAÇÃO COM OS JOGADORES
– A relação e o trato com os jogadores serão os mesmos de quando eu era atleta. Agora ocupando uma posição diferente, mas com o mesmo respeito, o mesmo carinho pelos amigos, aqueles que ainda estão aqui enquanto eu jogava, alguns jovens que subiram da categoria de base. Aqueles mais velhos que chegaram logo depois da minha saída.
DESAFIO
– O grande segredo do futebol é administrar pessoas e se relacionar bem com seus jogadores. São eles que podem fazer diferença. Eu quero que eles vejam futebol da maneira como eu via quando jogava, eu quero um time vencedor, que tenha uma mentalidade vencedora. Eu tenho certeza que eles vão entender isso, já conheço muitos deles e sei da mentalidade vencedora que eles têm. Nós vamos ajustar apenas alguns detalhes. O mais importante é destacar que não sou eu, mas toda a equipe de trabalho que será colocada à disposição desses atletas.
Globo Esporte

Aprovadas as contas de Miracema de 2015


A prestação de contas de governo da prefeitura de Miracema, referente ao exercício de 2015, foi aprovada pelo Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), na sessão plenária desta quinta-feira (24/11). O colegiado da Corte de Contas acompanhou o voto do relator do processo, conselheiro José Gomes Graciosa, e aceitou o parecer prévio favorável às contas do prefeito Juedyr Orsay Silva. A prefeitura trabalhou com a previsão inicial de arrecadar R$ 81.415.540,45, mas o recolhimento efetivo foi inferior e somou apenas R$ 78.627.457,46, o que representa uma diferença negativa de arrecadação de 3,42%, ou R$ 2.788.082,99 em relação ao total previsto. Somadas todas as receitas e despesas pagas, a prefeitura registrou um déficit de caixa na ordem de R$ 33.215.729,25. Vale destacar que o exercício de 2015 foi o terceiro ano desta gestão com déficit financeiro, ultrapassando consideravelmente os números negativos de 2013 (R$ 699.861,50) e de 2014 (R$ 10.508.479,41). Para o relator do processo, o elevadíssimo déficit do último período, com certeza, comprometerá o exercício de 2016, último ano do atual mandato. A decisão do TCE-RJ seguirá agora para a Câmara Municipal para o julgamento final.
Receita corrente Líquida – Indicador para apuração dos limites legais com gastos, inclusive com a folha de pagamento de pessoal, a Receita Corrente Líquida (RCL) – resultante da soma das receitas tributárias, de contribuições, patrimoniais, industriais, agropecuárias, de serviços e transferências correntes entre outras receitas correntes – apresentou uma redução de 4,52% em relação ao ano anterior. No 3º quadrimestre de 2015, a RCL alcançou a soma de R$ 74.237.163,10, valor menor do que o apurado no ano de 2014, registrado em R$ 77.748.185,10.
Gastos com pessoal – Os gastos com pessoal do Poder Executivo de Miracema não ultrapassaram o limite máximo exigido pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que é de 54% da RCL. No 3º quadrimestre de 2015, os valores chegaram a R$ 37.828.522,70 ou 50,96% da RCL. No exercício anterior, os gastos do município ficaram em R$ 34.586.220,80, ou 44,48% da RCL. A diferença entre os exercícios de 2014 e 2015 representa um aumento de 9,37% nas despesa com pessoal na cidade.
Educação - O gasto com a manutenção e desenvolvimento do ensino de Miracema foi de R$ 10.237,964,28, o correspondente a 25,63% da receita com impostos e transferências, que somaram no exercício de 2015 R$ 39.940.304,62. O resultado alcançado demonstrou que o município aplicou acima do mínimo exigido pela Constituição Federal, que fixa em 25% do valor dos impostos que servem como base de cálculo.
Fundeb – Na prestação de contas, o prefeito de Miracema demonstrou aplicação de R$ 7.479.297,01 no pagamento da remuneração dos profissionais que atuam no ensino básico (infantil e fundamental). O valor corresponde a 60,76% dos recursos recebidos à conta do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais de Educação (Fundeb), ficando acima do valor mínimo preconizado pelo artigo 22 da Lei Federal nº 11.497/07, que é de 60%.
Saúde – A prefeitura destinou às ações e serviços de saúde o valor de R$ 10.342.199,97 que representou 26,40% das receitas de impostos e transferências de impostos. O resultado ficou acima dos 15% fixados na Lei Complementar nº 141/12, que regulamenta a Constituição Federal, fixando os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, estados, municípios e Distrito Federal.

TCU vê descalabro, pedalada e dívida escondida de R$ 3,1 bilhões no Fies

O tribunal determinou que oito autoridades dos governos Lula e Dilma sejam ouvidas, incluindo o atual prefeito de SP; auditoria cita ‘concessão indiscriminada’ de bolsas. Parecer indica rombo de até R$ 20 bi



Uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) aponta “descalabro” na gestão do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e dificuldades para que o programa banque os estudos de gerações futuras em instituições privadas de ensino superior. O relatório da fiscalização, julgado nesta quarta-feira, 23, em plenário, sustenta que o governo escondeu dívida de R$ 3,1 bilhões com as faculdades, praticando uma espécie de “pedalada” na educação. Uma projeção dos técnicos da Corte, à qual o Estado teve acesso, mas não consta do parecer, indica que o rombo pode chegar a R$ 20 bilhões no início da próxima década. 
O tribunal determinou, por unanimidade, que oito autoridades dos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff sejam ouvidas em audiências para explicar as irregularidades no Fies. Entre elas, estão os ex-ministros da Educação Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo, Aloizio Mercadante e José Henrique Paim. Também terão de apresentar justificativas os ex-titulares do Planejamento Miriam Belchior e Nelson Barbosa. Ao fim do processo, eles podem ser punidos com multas de até R$ 54 mil e inabilitação para o exercício de cargos em comissão e funções de confiança no serviço público.
“Não posso deixar de destacar minha indignação com o descalabro da gestão do Fies”, afirmou, na sessão, a ministra Ana Arraes, relatora do processo no TCU. O trabalho de fiscalização mostra que, entre 2009 e 2015, o número de beneficiários do programa cresceu aceleradamente, alcançando 2,2 milhões, enquanto o governo afrouxava as exigências para a participação. A maior adesão (1,2 milhão de novos contratos) se deu entre 2013 e 2014, período que antecedeu a campanha de Dilma Rousseff pela reeleição, no qual Mercadante e Paim se alternaram no comando da Educação. 
A flexibilidade foi tanta que, em 2013, 98% dos jovens com mais de 17 anos se enquadravam nos critérios de renda exigíveis, situação que se manteve até o primeiro semestre de 2015. No ano passado, em função da crise, o governo passou a restringir a participação. 
Para o TCU, houve “desvirtuamento” dos propósitos do programa, com a “concessão indiscriminada de crédito” sem análise prévia, resultado da falta de planejamento do governo.
Juros. A taxa de juros era tão baixa que, mesmo para quem podia pagar mensalidade, era mais vantajoso recorrer ao Fies e aplicar o próprio dinheiro no mercado financeiro. De 2010 a 2015, se descontada a inflação, os juros praticados foram negativos, chegando a - 6,57% em 2015. Estimulado por essas condições, quem estava matriculado em instituições privadas sem depender do governo passou a pedir financiamento.
“É certo que o Fies passou a ser visto não apenas como oportunidade de acesso ao ensino superior, mas também como chance de realização de negócios”, registra a auditoria. O TCU aponta ainda que haverá sérias dificuldades para manter a concessão de financiamentos. A inadimplência, em 31 de dezembro de 2015, chegava a 49% dos contratos em fase de amortização - desse universo, metade tinha atrasos superiores a 360 dias. O calote impossibilita o “círculo virtuoso” em que a receita desses pagamentos serve para bancar novos empréstimos. 
“As ausências de planejamento e do real dimensionamento dos impactos fiscais advindos da expansão do Fies levaram a aumento exponencial das despesas, incompatível com a crise fiscal que assolou o País”, sustenta Ana Arraes. A auditoria cita dados do Ministério da Fazenda que indicam que, ainda que não haja inadimplência, para cada R$ 100 desembolsados pelo Tesouro Nacional, só R$ 53 retornariam ao Fies. Apenas para manter os financiamentos assinados até 2015, serão necessários R$ 55 bilhões até 2020. 
Como consequência das dificuldades para sustentar os benefícios, segundo a auditoria, o governo Dilma editou uma portaria no ano eleitoral de 2014 que previa, em vez de 12 pagamentos por ano às principais instituições privadas do Fies (um por mês), apenas oito (um a cada mês e meio). Assim, a cada 45 dias, elas receberiam por 30. Esse mecanismo permitiu, segundo o TCU, que o governo ocultasse passivos com as faculdades, a chamada “pedalada”.
Entre 2010 e 2015, o governo previu no orçamento do Fies muito menos recursos que o necessário para custeá-lo, o que, conforme os auditores, mascarou as contas do programa. Em 2014, por exemplo, a previsão inicial correspondeu a 12% das despesas. A presidente Dilma, diz o relatório, abriu créditos extraordinários de forma irregular para complementá-las.
Excel. O TCU indica também que o programa tem sido controlado de forma rudimentar. “As informações estariam sendo monitoradas apenas mediante planilha eletrônica (Excel)”, escrevem. Na decisão, os ministros fazem várias determinações para corrigir as falhas. 
Haddad e Mercadante alegam ter deixado bolsas ‘acessíveis'
O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), responsável pelas principais mudanças do Financiamento Estudantil (Fies) na gestão Luiz Inácio Lula da Silva disse, por meio de nota oficial, que “até 2009 (o Fies) era um programa inacessível para a população de baixa renda. No seu último ano de gestão, 2011, foram firmados apenas 154 mil contratos, número irrisório diante das necessidades do País, como o próprio relatório do TCU deixa claro.” Na realidade, os números avançaram até 731,3 mil bolsas em 2014, caindo para 243 mil em 2015.
Nos bastidores, interlocutores de Haddad avaliaram que as eventuais falhas apontadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ocorreram após a saída dele do ministério. Sua equipe teria até elaborado uma série de dispositivos para calibrar o sistema, como implementação de uma nota de corte no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e direcionamento dos contratos para carreiras com maior demanda de profissionais, que acabaram não sendo levadas adiante pelos ministros seguintes, no governo Dilma Rousseff. Alterações só ocorreram em 2015.
Seu sucessor, o ex-ministro Aloizio Mercadante, que chefiou a Educação em duas ocasiões, afirmou que desconhece o teor da decisão, mas que está “à inteira disposição para colaborar com o TCU”. 
Ele não comentou os apontamentos da auditoria, mas sustentou que o Fies, durante a gestão da petista, “se tornou um importante programa de acesso ao ensino superior, especialmente para os estudantes de baixa renda”. Ministro entre 2014 e 2015, Henrique Paim também disse que, apesar de não ter tido acesso ao relatório, está à disposição da Corte para prestar esclarecimentos.
Os ex-ministros do Planejamento Miriam Belchior e Nelson Barbosa não comentaram o relatório, pois ainda não tiveram acesso a ele. O Ministério do Planejamento informou que não lhe cabe se posicionar sobre o tema, uma vez que o processo está em andamento e as autoridades foram convocadas a prestar esclarecimentos. “O ministério seguirá as determinações do TCU”, acrescentou.
MEC. O Ministério da Educação informa que ainda não foi notificado oficialmente. “Quando isso ocorrer, (o processo) será encaminhado para o Jurídico do departamento, para que adote as medidas jurídicas e de controle cabíveis ao caso.”
O Estado de São Paulo