quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Cooperativas familiares impulsionam economia regional



O fomento a cooperativas e associações é uma ação de incentivo à economia regional - como o realizado no sul fluminense - onde 1,7 mil empregos diretos e indiretos foram criados para atender a produção de cooperativas familiares de produção de leite e olerícolas. Em Barra Mansa, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Rio de Janeiro (Emater-Rio), vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento (Seappa), atuou na adequação de uma cooperativa (dentro do Programa Rio Leite) e uma associação (no Programa Rio Horta) que intensificaram a produção na região. Lá, a Emater também agiliza a organização de uma segunda cooperativa.

A ação da Emater visa levar cooperativas e associações a conseguir a sua DAP (Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar). O documento permite acesso ao Programa de Aquisição de Alimentos, Merenda Escolar e Habitação Rural (Pronaf), mas é preciso que cooperativas e associações atendam requisitos para conseguir sua DAP Jurídica.

A Cooperativa de Nossa Senhora do Amparo trabalha com produção de leite e foi a primeira da região a conseguir a DAP Jurídica. Hoje em dia, são mais de 700 trabalhadores, que agem direta ou indiretamente, entre cooperados, empregados, terceirizados, diretoria e familiares, mais de 700 pessoas trabalham direta ou indiretamente na captação de 10 mil litros/dia.

Por sua vez, a Associação de Produtores Santa Rita de Cássia, também dotada de sua DAP Jurídica, é voltada para a cultivo de folhas (olericultura). Mais de mil pessoas atuam na produção, beneficiamento, comércio, transporte das folhas produzidos que atingem 14 mil toneladas/dia.

A Emater entra como um diferencial para intensificar a produção na organização e geração empregos, como explica o supervisor local, Antonio Paz Guiscafré.

- Os representantes da Emater se reúnem com a diretoria das cooperativas que mostram interesse. É feito visita aos produtores para saber se podem ter DAP ou não. A associação deve ter o mínimo de 60% de produtores com DAP individuais, assim é possível ter a DAP Jurídica. Com isso, podem participar de chamadas públicas e ter linhas de crédito exclusivos para Pronaf, PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar e PAA (Programa de Aquisição de Alimento), ações voltadas para segurança alimentar – explica Antonio Paz.

 O Pronaf dá a possibilidade de ter crédito para investimento (a longo prazo) e custeio (pago em um ano, mas que serve para geração de capital de giro), através do Banco do Brasil, com taxas e juros mais baixos; acesso aos programas para fornecer merenda escolar e venda direta para órgãos públicos; além de acesso a editais e chamadas públicas de ministério, entidades privadas e do terceiro setor para elaboração de projetos para desenvolvimento socioeconômico de organizações associativas, de seus associados e agricultores familiares.

 - O Impacto (da organização) é absurdo. A Associação de Santa Rita vende para dez cidades na região, exclusivamente folhosas que servem para merenda escolar. A cooperativa de Amparo fornece leite para merenda para Volta Redonda e tinha uma marca parada há dose anos, a Garça Branca. Com a DAP Jurídica voltou a funcionar, abriram uma área de laticínios para vender manteiga, requeijão e queijo minas. Empregaram muitas pessoas, tiveram que contratar vendedores. Enquanto a Santa Rita de Cássia está visando vender olerícolas para a Academia Militar das Agulhas Negras - afirmou Paz.

O próximo passo da Emater-Rio é conferir a DAP Jurídica a Cooperativa Barra Mansa, o que deve estar concluído em novembro. Ela, que embora não ainda não tenha a DAP Jurídica, é a maior produtora da região, com 90 mil litros de leite/ dia.




Vicente Magno


COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA