segunda-feira, 3 de junho de 2019

Famílias procuram adolescentes que foram vistos pela última vez na rodoviária


Gabriel Meira Moretto e Lorenna de Souza Lima deixaram Santo Antônio de Pádua em direção à Rodoviária Novo Rio na sexta

 
Gabriel Meira Moretto e Lorenna de Souza Lima
 namoram há três meses - 

As famílias de Gabriel Meira Moretto, de 15 anos, e de Lorenna de Souza Lima, 16, procuram pelos dois adolescentes há quatro dias. Na manhã de sexta-feira, os jovens deixaram Santo Antônio de Pádua, no Noroeste Fluminense, e vieram até a capital do Rio de táxi. Após percorrerem 250 km de distância, o casal de namorados foi deixado na altura da Rodoviária Novo Rio, no Santo Cristo.
Desde então, Gabriel e Lorenna não foram mais vistos. "A minha filha saiu de casa normalmente, como faz para ir à escola", lembra a mãe de Lorenna, a manicure Daiane Souza, 36, sobre a manhã de sexta. "Deu a hora de ela chegar em casa e nada. Ligamos para a escola e a diretora avisou que ela não foi naquele dia".
Daiane conta que ao longo do dia, o pai da adolescente já havia tentado entrar em contato com a filha  por mensagens de WhatsApp e ligações e já não havia conseguido.
"Ficamos sabendo que os dois tiveram na casa da avó dele, por volta das 8h20. Uma colega disse que a viu sentada no banco da praça, perguntou se iria para a escola e ela disse que estava esperando a mãe, eu no caso", a manicure lembra.
Com a notícia de que a menina não tinha ido à escola, a preocupação aumentou e as famílias procuraram a delegacia do município (136ª DP). Foi aberto um inquérito e o taxista que levou os dois até a rodoviária do Rio prestou depoimento. Ele disse que deixou os adolescentes no local às 12h.


Parentes no Rio
Apesar de os dois adolescentes terem parentes no Rio, Daiane diz que nenhum deles foi procurado pelos jovens. "Eles namoram há três meses. Eu gosto muito dele. A gente não teve problema em momento nenhum. A relação é boa", a manicure afirma, sobre o relacionamento da família com Gabriel.
Desde o desaparecimento dos dois, as duas famílias ligam para os telefones deles, sem sucesso. O celular de Lorenna está desligado e o de Gabriel toca, mas ninguém atende.
"A gente não sabe o que aconteceu. Eles não têm motivo para fugirem de casa. Eles têm tudo, amor, carinho", Daiane lamenta.

O Dia

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA