terça-feira, 17 de outubro de 2017

Mortandade de peixes no rio Pirapetinga



No último sábado dia 14/10/17, diversos peixes morreram no rio Pirapetinga-MG, a suspeita é que a soma de fatores como estiagem prolongada, aliada ao esgoto doméstico lançado in natura no rio e resíduos industriais tenham contribuído para o problema.

Existe suspeita de que o problema tenha se agravado ainda mais por conta de uma represa próximo a captação de água de uma indústria local, onde os peixes ficavam amontoados, não conseguindo subir o rio.  Vale lembrar que esse é o período da piracema, onde os peixes sobem os rios para desovarem.

Voluntários, juntamente com a ASPIRA (Associação de Proteção Ambiental de Pirapetinga e Região), se uniram para salvar os peixes, transportando-os para a parte de cima da represa.


Voluntários se uniram para salvar os peixes



Estima-se que foram salvos cerca de 500 quilos de peixes, como Traíra, Caximbau e Tilápia.

No dia 16/10/2017, a Guarda Ambiental de Santo Antônio de Pádua (GAM) esteve no local para averiguar o caso e disse que iria encaminhar o ocorrido ao Inea.

O rio Pirapetinga, é um importante afluente do rio Paraíba do Sul, sua nascente é localizada em Leopoldina-MG, e sua foz em Santo Antônio de Pádua, no distrito de São Pedro de Alcântara, desde sua nascente a foz, cerca de 100.000 pessoas são beneficiadas por suas águas. 


Peixes ficam amontoados não conseguindo subir o rio


Estima-se que foram salvos cerca de 500 quilos de peixes

Guarda Ambiental de Santo Antônio de Pádua (GAM) esteve no local 

COMPARTILHE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe