quinta-feira, 2 de junho de 2016

Mel de Teresópolis ganha prêmio da FIRJAN por gestão ambiental


O Sistema FIRJAN premiou, nesta quarta-feira, 1º de junho, empresas fluminenses que se destacam na gestão ambiental e no desenvolvimento sustentável. O Prêmio FIRJAN de Ação Ambiental foi entregue às empresas Mel de Teresópolis, Águas de Juturnaíba, Carbografite, Fernandes Maciel Construtora, Laboratórios B. Braun. Além disso, a Braskem e a Hi-Tech receberam menções honrosas. A ideia da Federação é reconhecer o empenho do setor produtivo na busca por soluções criativas e eficazes que vão além das obrigações legais ligadas ao meio ambiente. A cerimônia foi realizada na sede da FIRJAN, no Centro do Rio.

A empresa Mel de Teresópolis ganhou o prêmio na categoria Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos. Para se tornar um modelo viável de produção apícola associada à preservação de áreas nativas remanescentes de Mata Atlântica, a companhia fortaleceu o serviço ecossistêmico de polinização, através da produção de mel, própolis, cera, pólen, geleia real e apitoxina, largamente utilizados nas áreas de saúde, nutrição, médica e industrial. Com isso, atingiu um aumento de 300% em sua produtividade, com menos desmatamento e fortalecimento da agroindústria familiar.

Segundo o presidente Adriano Azevedo, o prêmio vem coroar o trabalho que é realizado há 16 anos e serve de estímulo para novos investimentos. “É um ânimo para continuarmos a busca por novos recursos e implementar, por exemplo, a divulgação necessária para que as pessoas se conscientizem sobre a importância de um manejo correto da apicultura”, explica. De acordo com dados do United States Departament of Agriculture, as abelhas são responsáveis pela polinização de 70% das culturas agrícolas. No Brasil, estima-se a existência de mais de 3.000 espécies diferentes, mas apenas pouco mais de 400 estão catalogadas.

“Esse prêmio tem o objetivo de mostrar as boas práticas ambientais da indústria em prol da sustentabilidade, que podem trazer benefícios de longa duração”, disse o diretor executivo de Operações do Sistema FIRJAN, Alexandre dos Reis. Ele aproveitou para lembrar as ações ambientais propostas pelo Mapa do Desenvolvimento (2016-2025), lançado pela Federação no último dia 30. Para os próximos dez anos, o documento propõe medidas como a ampliação do acesso à rede de coleta e tratamento de esgoto, a destinação correta e o reaproveitamento de resíduos e a garantia de disponibilidade de água no Rio de Janeiro. O mapa foi construído por mais de mil empresários e envolveu os 92 municípios fluminenses, com o objetivo de fazer do estado do Rio o melhor ambiente de negócios do Brasil.

Outros premiados

Na categoria Gestão de Resíduos Sólidos, a Águas de Juturnaíba, de Araruama, foi premiada por um projeto de logística reversa aplicada a resíduos de uma estação de tratamento de esgoto. Através de um sistema de pós-tratamento que não utiliza produtos químicos, parte dos resíduos gerados é utilizada na produção de artigos artesanais, que são vendidos por cooperativas da empresa, e outra é destinada a uma planta de compostagem. Mais de 547 toneladas de resíduos deixam de ser depositadas anualmente em aterros sanitários, o que gera uma economia de mais de R$ 390 mil para a empresa.

A Carbografite, de Petrópolis, foi premiada na categoria Relação com Públicos de Interesse por promover educação ambiental com a população local a fim de estimular escolas e estabelecimentos comerciais a disseminarem o conceito de desenvolvimento sustentável. O projeto já alcançou mais de 38 mil pessoas, distribuiu 25 mil cartilhas pedagógicas e promoveu o plantio de nove mil espécies de árvores nativas da Mata Atlântica, reflorestando 81 mil metros quadrados.

Premiada pela FIRJAN na categoria Gestão de Água e Efluentes, a Construtora Fernandes Maciel desenvolveu um sistema de reuso de águas e aproveitamento pluvial, em Niterói. O objetivo é racionalizar o consumo nos empreendimentos erguidos pela empresa. O sistema reduz a demanda de água em 50% e o lançamento de esgotos.

A Laboratórios B. Braun ganhou o prêmio na categoria a Gestão de Gases de Efeito Estufa (GEEs) e Eficiência Energética por um projeto na sede de Guaxindiba, em São Gonçalo, onde foi incorporado o conceito de construção sustentável. O local concilia aspectos funcionais com ambientes abertos, integrados à paisagem local, com o aproveitamento máximo das condições de iluminação, ventilação natural e da orientação solar. Com o projeto, a empresa tem uma redução de consumo de 40% em iluminação nos ambientes internos e de 35% nos ambientes externos, além de menos uso de ar condicionado.

Menção Honrosa

A Braskem recebeu menção honrosa por um projeto de redução das emissões de CO2 provenientes da queima de propeno em flare e, consequentemente, a redução do impacto ambiental gerado por estas emissões. Com isso, as unidades da empresa no Rio de Janeiro reduziram, entre outros gases, em 47% a intensidade de suas emissões de CO2 e 44% da perda de propeno.

Também ganhou menção honrosa a empresa Hi-Tech, de Levy Gasparian, com sua Linha Biossustentável Inteligente, que otimiza e torna mais sustentável o processo de lavagem de suas peças. O resultado é uma economia de até 83% do consumo de água utilizada no processo e, na mesma proporção, na geração de efluentes.

A entrega do prêmio faz parte da programação do Seminário Ação Ambiental, realizado em 1º e 2 de junho, na sede da Federação. A programação do evento conta com debates sobre Economia Circular, Logística Reversa e Reciclagem. Mais informações podem ser obtidas pelo www.firjan.com.br/acaoambiental.

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA