sexta-feira, 29 de julho de 2016

Venda do leite Elegê será suspensa a partir desta sexta-feira em todo Estado do Rio

Na quinta-feira, venda do leite Elegê foi suspensa pelo Procon
 Carioca na cidade do Rio
Foto: Divulgação


A venda do leite Elegê está suspensa em todo Estado do Rio, não apenas na capital fluminense. A decisão foi tomada nesta sexta-feira pela Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), por meio do Procon Estadual.
A secretaria tomou conhecimento de que o produto estaria impróprio para consumo por meio do Procon Carioca - que atua apenas no município do Rio - e estendeu a suspensão para todo o estado. Na quinta-feira, o Procon Carioca deu início a uma fiscalização para retirar das prateleiras dos supermercados todos os leites da marca. A ação foi motivada por várias denúncias de consumidores que relataram ter comprado leite com cor, gosto e cheiro anormais. Todos os supermercados do Estado do Rio devem interromper a venda dos leites Elegê, tanto integral, quando desnatado e semidesnatado.

Mercados deverão receber embalagens de leite de volta

Os fiscais do Procon Estadual vão nesta sexta-feira a supermercados de várias cidades da Região Metropolitana – Niterói, São Gonçalo, Nova Iguaçu, Duque de Caxias e São João de Meriti – para entregar o ato de instauração desse processo diretamente aos gerentes dos estabelecimentos.
Pela determinação, os gerentes serão responsáveis por informar a todas as lojas da rede de supermercados em que trabalham sobre a proibição da venda do produto, e os estabelecimentos deverão receber de volta dos consumidores as embalagens do leite Elegê vendido, devolvendo em dinheiro o valor pago.
A fiscalização também irá recolher amostras de cada lote do leite Elegê que estiver à venda para serem analisadas pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Rio de Janeiro Noel Nutels (Lacen-RJ). O leite retirado das prateleiras ficará guardado nos próprios supermercados, e a venda permanecerá suspensa, pelo menos, até sair o resultado desses testes. Os estabelecimentos que não obedecerem essas regras serão multados.
Segundo o processo do Procon Estadual, a BRF, empresa detentora da marca Elegê, também deverá realizar exames de amostras de todos os lotes do leite Elegê que estiverem à venda. O teste deverá ser realizado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com amostras recolhidas após a instalação do processo.
Denúncia atinge sete lotes
As denúncias recebidas pelo Procon Carioca indicam problemas em sete lotes: CDVP 12:49; CDVP 08:09; CDGC 17:37; CDFZ 13:54; CDSA 16:53 3; CDNZ 23:55 3; e CDVP 06:09. Segundo a BRF, porém, apenas os três últimos lotes foram retirados “proativamente” do mercado.

Extra



COMPARTILHE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe