quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Preço do aluguel cai 8,56% no Rio com baixa na procura

Indicador leva em consideração contratos novos assinados nos últimos 12 meses



Os preços de novos aluguéis no país recuaram 3,66% no último ano, de acordo com a Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). O Estado do Rio registrou a maior queda, com variação negativa de 8,56% desde janeiro de 2015. O cenário é resposta do mercado à crise econômica, afinal, queda nos preços é resultado mais oferta do que procura por imóveis. Esse momento, segundo especialistas, é ideal para negociar e conseguir um bom abatimento no valor do aluguel.
No último mês, os preços de locação no Brasil registraram queda de 0,16%, em comparação com dezembro. No Rio, o recuo mensal foi de 0,21%. “Uma severa crise atinge o bolso de todos, mas moradia é fundamental. As pessoas estão buscando mais locação, tanto inquilinos como proprietários, já que até vender está difícil”, explicou o advogado e consultor financeiro Ronaldo Gotlib, especialista em Direito Imobiliário.

BAIRROS EM QUEDA
De acordo com Sindicato da Habitação do Rio de Janeiro (Secovi-Rio), o bairro que registrou maior queda no metro quadrado no último ano foi Ipanema, na Zona Sul. O recuo foi de 17,84%, após o valor do metro quadrado ter passado de R$ 71,52 em janeiro de 2015 para R$ 58,76 neste ano. Na Zona Norte, o bairro que mais registrou queda foi o Méier (-10,36%).
Para o vice-presidente Administrativo da entidade, Ronaldo Coelho Netto, agora é momento de usar o diálogo para negociar desconto no aluguel. “Os proprietários estão com medo de perder os inquilinos para a crise, então é normal que estejam mais abertos a acordos. Essa é a hora de tentar um desconto, principalmente na época de reajuste anual. Muitos donos preferem não aumentar para manter um bom pagador”, explicou.

BOM HISTÓRICO

É importante ressaltar que você é um bom inquilino e lembrar ao proprietário que encontrar bons pagadores é raridade. Para tanto, vale levar referências, recibos de pagamento, extratos bancários e análises de crédito para a reunião com o locatário. Peça pesquisa de antecedentes, análise de crédito e verificação de empregos. 

MAIS LONGO

Ofereça-se para assinar contrato mais longo com o proprietário em troca de aluguel menor. A cada vez que há uma troca de inquilinos, o locatário perde dinheiro. Então, dessa forma, a proposta será mais valorizada.

ADMINISTRADORA
Se o valor que o proprietário quer reajustar for acima da capacidade financeira, o inquilino pode conversar com a administradora do imóvel. Mesmo que não consiga o abatimento total do reajuste, é comum que haja um acordo com desconto.

CARTAS NA MANGA
É necessário saber a média de preço para um imóvel semelhante. O ideal é conversar com outros inquilinos do prédio para descobrir o que eles pagam por mês, além de ir a outros prédios nas redondezas.


ODia

COMPARTILHE

Curta Nossa Página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe

CURTA A NOSSA PÁGINA