terça-feira, 24 de novembro de 2015

Josias e empresários do setor de pedras participam da Rio + Design




As rochas ornamentais produzidas no Noroeste Fluminense viraram peças de design. Três coleções desenvolvidas pela designer Claudia Kayat, da Hok – Revestimento Interativo I, Linha Diamond e Linha Xadrez, destinadas a pisos e paredes – utilizaram material produzido por empresas integrantes do Arranjo Produtivo Local (APL) de Rochas Ornamentais do Noroeste do Estado do Rio de Janeiro. A governança do APL está a cargo da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, do BID, do Sebrae-RJ e do Sindicato de Extração e Aparelhamento de Gnaisses no Noroeste do Estado do Rio de Janeiro (Sindgnaisses).

As coleções fizeram parte da 8ª edição da Rio + Design, promovida pela Sedeis, que aconteceu no Jockey Club. Entre os presentes à abertura do evento estava o prefeito de Santo Antônio de Pádua, Josias Quintal de Oliveira, além de alguns produtores de rochas ornamentais do município. 

Josias Quintal vem dando apoio ao setor desde o início de sua gestão no município fazendo inúmeras visitas a capital do Estado em companhia do presidente do Sindgnaisses Marco Antonio Pinheiro de Souza e demais empresários do setor, a fim de divulgar e aumentar o comércio das pedras paduanas em todo Estado e também no Brasil. 

A subsecretária de Comércio e Serviços Dulce Ângela Procópio celebrou a inovação que contribui para o desenvolvimento do setor no Noroeste. “O design aplicado às rochas ornamentais do Noroeste Fluminense criam uma nova gama de produtos que estimularão a geração de emprego e renda na região. É um olhar diferente sobre as tradicionais rochas ornamentais, seja através de painéis, aplicados em parede ou em mesas e até mesmo no chão”, destacou.

Presidente do Singnaisses, Marco Antonio Pinheiro de Souza destacou a importância da aplicação das rochas ornamentais de uma forma diferente de seu uso original. “O design chegou às rochas ornamentais. Vemos o mesmo produto utilizado de uma forma diferente. E isso agrega valor, criando um novo mercado e gerando mais emprego e renda”, disse ele.

Com a experiência de quem está no mercado de rochas ornamentais há quase 50 anos, Silvio Ferreira da Silva, presidente da Pedras Paraíso, de Pádua, uma das empresas que produziu o material utilizado pela designer Claudia Kayat, também se surpreendeu com o resultado do trabalho.

“É algo novo, nunca tinha visto. Pode ser um produto diferenciado. É claro que essa nova aplicação irá depender de como os arquitetos e decoradores vão usar nosso material. Mas, até por ser novo, é bom que comecemos devagar, pois também precisamos criar gente qualificada para fazer esse tipo de material”, reforçou.
As rochas utilizadas na criação são certificadas pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Com esta certificação, as pedras Carijó Rio de Janeiro, Madeira Rio de Janeiro e Cinza Rio de Janeiro passam a ter suas próprias marcas de indicação de procedência. O processo foi conduzido pelo Departamento de Recursos Minerais (DRM-RJ). A expectativa é de que com a garantia de qualidade comprovada pelo selo, o valor do produto agregado tenha um aumento entre 60% a 70%.




COMPARTILHE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Compartilhe