sexta-feira, 31 de março de 2017

Cabral delata juízes, desembargadores e membros do MP. Total: 97!

A Lista de Janot vem causando movimentos sísmicos na política? Pois esperem para ver a “Lista de Cabral”!!! A terra pode tremer de verdade


Segundo quem está por dentro do assunto e não costuma errar, neste exato momento, Sérgio Cabral, ex-governador do Rio, está fazendo o primeiro depoimento de sua delação premiada.
A julgar pelo procedimento adotado pela moral profunda da Lava Jato, o prêmio de Cabral será gigantesco, né?, já que o Paradigma Sérgio Machado prova que, quanto mais bandido, mais benefícios se recebem.
Conhecem aquela piada do tenor que, coitado, arrancava as últimas reservas de ar de pulmões já cansados, sob uma intensa vaia da plateia?
O homem se cansou da humilhação e dos tomates e disse, no palco do Scala de Milão: “Aspetta il baritono!!!”. Em tradução livre: “Ah, tão me achando ruim, né? Esperem o barítono”.
A Lista de Janot vem causando movimentos sísmicos desagradáveis na política? Pois esperem para ver a “Lista de Cabral”!!! A terra pode tremer de verdade. Escombros à vista!
Quem tem acesso à coisa assegura que ela inclui 97 nomes — 97!!! — de juízes, desembargadores e membros do Ministério Público.
A coisa vai ser feia. Como já resta claro a esta altura, existiu o petrolão, sob o comando de uma verdadeira organização criminosa, com a sua devida hierarquia, e havia o “esquema do Rio”. Ali, Cabral conseguiu, vamos dizer, a sua independência. Ele chefiava uma espécie de enclave dentro do esquema geral.

Veja

Ovo de Páscoa de coxinha é aposta de salgadeira no Paraná

Marilza Veiga, de 41 anos, aceitou a sugestão de uma cliente e lançou a novidade. “Os pedidos não param”, comemora a moradora de Cascavel

Ovo de Páscoa de coxinha é entregue em uma embalagem de ovo
 de colher, pesa 1,3 kg e custa R$ 30
Foto: Marilza Veiga / Arquivo Pessoal


Salgadeira Marilza Veiga, de Cascavel, no oeste do Paraná, decidiu apostar em um ovo de Páscoa diferente. Ao aceitar a sugestão de uma cliente decidiu adaptar os salgados que faz para aumentar a renda e lançou moda: o ovo de coxinha.
“Recebi uma mensagem no celular de uma pessoa me perguntando se eu poderia fazer um ovo de Páscoa de coxinha. Ela queria dar de presente para o namorado que não gosta de doce. Resolvi fazer e deu certo. Fiz para os meus filhos e os colegas. Todo mundo gostou. Até fotografei o prato vazio”, brinca.
As fotos, ela mandou para um cliente, que repassou para uma blogueira. Com a divulgação, no mesmo dia a página em que ela anuncia os salgados no Facebook saltou de cerca de 240 curtidas para mais de 2 mil. E, nesta sexta-feira (31) já se aproximava de 5 mil.
Para a Páscoa, ela tinha pensado em fazer coxinhas doces, com massa de churros e recheio de doce de leite, chocolate e beijinho. Mas, com o sucesso do ovo de coxinha, as novas opções devem ficar para outra ocasião.
Marilza, que há 11 anos trabalha como doméstica na mesma casa ficou surpresa com a repercussão que a novidade ganhou.

Encomendas de todo o país

“Nem imaginava. Tem gente de São Paulo e do Rio de Janeiro me pedindo o ovo coxinha. Mas, não tem como mandar, né? O melhor de tudo é que vou receber muitas encomendas de salgadinhos. Não só do ovo coxinha”, avalia ao lembrar que esta sexta é seu último dia de trabalho com a família que a empregava.
A partir de agora, o que era um reforço na renda há cerca de três anos vai passar a ser a atividade principal de Marilza. Em um mês ela já chegou a entregar dez mil salgados. “Não tem fim de semana que não tenha encomenda. Por causa disso, tinha dias que saía do trabalho, chegava em casa por volta das 18h e ia dormir depois da 1h. Faço tudo sozinha. Às vezes meu filho mais novo, de 17 anos, me ajuda.”
O ovo coxinha, agora a mais famosa das opções, pesa 1,3 kg e custa R$ 30. A montagem, diz, é rápida. Leva cerca de cinco minutos para ficar pronto. O que mais demora é a preparação da massa e do recheio de frango desfiado. A mesma quantidade equivale a 30 coxinhas convencionais de 45 gramas.

Recorde e novidades

“Meus salgados são maiores que o normal. Não adianta. Não consigo fazer menor. Agora quero quebrar o recorde da maior coxinha feita no Brasil, de 11 kg. Passada essa correria com as encomendas vou fazer uma de 15 kg”, adianta.
Para o Dia das Mães está pensando em outra novidade. Mas, prefere guardar segredo para não estragar a surpresa e nem dar chance para a concorrência.

Extra




Olimpíada da Matemática recebe inscrições até sexta-feira

Competição nacional busca estimular o estudo da disciplina e revelar talentos

 As inscrições para a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), a maior competição estudantil do mundo, terminam hoje, e devem ser feitas pelo site www.obmep.org.br. A OBMEP é destinada a estudantes do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e das 1ª, 2ª e 3ª séries do Ensino Médio e tem como objetivo estimular o estudo da Matemática e revelar talentos.

Criada em 2005 pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), a OBMEP tem como parceira a Sociedade Brasileira de Matemática (SBM). A iniciativa tem contribuído com a descoberta de jovens talentosos e com a melhoria do ensino da disciplina no Brasil. A partir deste ano, a OBMEP e a Olimpíada Brasileira de Matemática (OBM) serão integradas e, pela primeira vez, a competição terá a participação de alunos de escolas particulares.

Vencedores

Na edição de 2016, seis alunos de escolas da Secretaria de Educação receberam medalhas de ouro e 36 de prata ou bronze. Além disso, diversos estudantes da rede pública estadual de ensino foram premiados com medalhas de honra.

– Buscamos a adesão de 100% das escolas estaduais na Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas deste ano – explicou o secretário de Educação, Wagner Victer.


IPTU de Varre-Sai com desconto até dia 30 de maio


A Prefeitura Municipal de Varre-Sai começará a distribuir o carnê de IPTU no início de abril. Os contribuintes terão até o dia 30 de maio para efetuar o pagamento em cota única, com desconto de 10%. Aqueles que optarem por parcelar o imposto, poderão quitar o IPTU em até três vezes, sem desconto.

Quem não receber os carnês, deve procurar o Setor de Rendas da Prefeitura de Varre-Sai e comunicar o fato.Os contribuintes em débito com o imposto também devem procurar o Setor de Rendas, na Prefeitura de Varre-Sai, para negociar suas dívidas com condições especiais. E assim, evitar transtornos como ter o nome inscrito na dívida ativa do município.
“É muito importante manter os impostos em dia, além de estar colaborando para o crescimento e a manutenção da cidade, o contribuinte fica quite com suas obrigações tributárias”, destacou o assessor de Arrecadação, Melchior Pelegrini.

O dinheiro arrecadado com o pagamento do imposto é utilizado na Saúde, Educação, Folha de Pagamento, Agricultura, Estradas, Saneamento, Promoção Social, entre outros.
“Devido à crise instaurada no Brasil atualmente, há necessidade desse dinheiro para que possamos suprir os compromissos da Prefeitura”, lembrou o secretário municipal de Fazenda, Celso da Silva Garcia.

Encontro de Motociclistas deve receber participantes de 900 motoclubes



Motociclistas do Brasil e do exterior já começaram a chegar a Rio das Ostras. A 22ª edição do Encontro Internacional de Motociclistas de Rio das Ostras – Ostrascycle começou nesta quinta-feira, 30, em Costazul, com shows e feira de produtos temáticos.

A movimentação começou no início da noite quando representantes de motoclubes do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e Argentina chegaram à cidade. A expectativa dos organizadores do evento é receber cerca de 100 mil pessoas e 900 motoclubes de todos Brasil e do exterior, até domingo.

Além dos shows que acontecem até domingo em dois palcos simultâneos – área de eventos de Costazul e Avenida Roberto Silveira, feira de produtos temáticos e exposição de carros antigos, atrações esportivas também agitarão a programação.

Os motores vão roncar nas apresentações do Globo da Morte marcadas para sexta às 22h, sábado nos intervalos entre os shows e domingo pela manhã. As apresentações de Willing, quando os motociclistas mostram suas habilidades em duas rodas, acontecerão às 14h de sábado e 15h de domingo, no trecho da Av. Roberto Silveira, em frente a entrada da área de eventos.

O Encontro Internacional de Motociclistas de Rio das Ostras – Ostrascycle é uma realização da Prefeitura de Rio das Ostras, tem organização dos motoclubes Ostradeiros e Jaguar do Asfalto e apoio da Associação de Motociclistas do Rio de Janeiro.



Ascom

Teatro Popular de Rio das Ostras apresenta música e circo no fim de semana


O Teatro Popular de Rio das Ostras abre as portas neste fim de semana para música popular e espetáculo circense. Na sexta-feira, dia 31, a cantora Thati Hércules se apresenta a partir das 21h, interpretando compositores já consagrados como Caetano, Gonzaguinha e Baden Powell. E no sábado e domingo, 1 e 2 de abril, o Coletivo Nó de Gravata encena “Crônicas & Circo”, às 20h.

O show “Eu gosto assim” da cantora Thati Hércules propõe uma viagem pelas influências e pensamentos que marcam a vida da cantora. O repertório reúne canções de grandes compositores brasileiros, além de músicas autorais e de artistas da região.

O Coletivo Circense Nó de Gravata, em parceria com Entrupinados, Corpus in Scena e Trupe Meu Vizinho Trapezista, leva a magia do circo para o Teatro Popular.

A programação do Teatro tem apoio cultural da Fundação Rio das Ostras de Cultura e Prefeitura Municipal.

Serviço:
Teatro Popular de Rio das Ostras (Av. Amazonas, s/nº - Centro)
Show “Eu gosto assim” com Thati Hércules
Dia 31 de março – 21h
Ingressos R$ 30 / R$ 15 (meia-entrada)
Espetáculo Circense Crônicas & Circo
Dias 1 e 2 de abril – 20h
Ingressos R$ 20 / R$ 10 (meia-entrada)
Ingressos à venda também na Banca da Praça

Prefeitura adere à campanha de conscientização sobre o Autismo


Desde a noite desta quinta-feira, 30, a fachada da Prefeitura de Teresópolis está iluminada em azul, confirmando sua adesão ao Dia Mundial de Conscientização sobre o Autismo. Criada pela Organização das Nações Unidas em 2007, a data é celebrada no dia 2 de abril, para alertar população e autoridades sobre esse transtorno de desenvolvimento do cérebro, que afeta cerca de 70 milhões no mundo.

“De 3 a 5 de abril, a Secretaria de Cultura e a Apae Teresópolis vão realizar uma exposição dos trabalhos artesanais produzidos pelos autistas atendidos pela instituição. Convidamos a todos para prestigiarem a mostra, pois é uma forma de ajudar a derrubar preconceitos e também de aprender como lidar com a síndrome”, convida o secretário de Cultura, Márcio de Paula.

A exposição será montada no hall da Prefeitura, localizada na Avenida Feliciano Sodré, 675, na Várzea, e poderá ser visitada de segunda a quarta-feira – 3 a 5 de abril, das 9h às 16h. 

Prefeito de Miracema determina busca de vans em Muriaé


O prefeito municipal, Clóvis Tostes, determinou a busca de três veículos que se encontravam há 02 anos em uma oficina na cidade de Muriaé – MG. Os automóveis modelos Van, eram usados pela secretaria de saúde para transportar doentes.
Os carros chegaram a Miracema na manhã da última quinta – feira (30) em estado deplorável. O chefe do executivo solicitou que a equipe responsável pelo transporte faça detalhadamente uma avaliação em cada viatura, para verificar a situação real, inclusive no que tange a peças.
Após a referida avaliação, caso seja possível, os carros serão consertados pelos mecânicos da prefeitura municipal, ou encaminhados para leilão se estiverem inadequados para o transporte de enfermos.
“Determinei a busca das vans, pois o orçamento apresentado era impagável. Não poderia permitir que a gestão sofresse esse baque em seu cofre. Estamos tentando vans novas, mas espero que nossa competente equipe consiga recuperar alguma”, afirmou o prefeito Clóvis Tostes.
A situação é de tamanha gravidade, que funcionários e pessoas que passavam pelo local tiveram que empurrar os automóveis para a garagem.

Ascom


Iniciado o processo para implantação do projeto Cidade Digital em Pádua

Josias Quintal assinou o acordo de cooperação com
 o Ministério das Comunicações em 2014


As obras do programa “Cidades Digitais” em Santo Antônio de Pádua tiveram início nesta semana. O programa foi desenvolvido pelo governo federal, através e parceria do Ministério das Comunicações, através do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), com a Prefeitura de Santo Antônio de Pádua.
O diretor de Projetos Tecnológicos Renan Gonçalves esteve acompanhando os funcionários da empresa responsável pela execução do projeto no município. A previsão de conclusão das obras é de 40 dias. O programa tem como objetivo instalar a infraestrutura para sinal de internet via fibra óptica, beneficiando toda a população, além de melhorar o funcionamento dos serviços públicos por meio da integração em rede dos diversos setores da administração municipal.
Dentre os prédios que serão contemplados com a nova tecnologia estão Unidades de Saúde, Secretarias Municipais, Creches e Escolas Municipais, Rodoviária, Teatro Municipal, entre outros. O programa também propõe a instalação de sinal wi-fi gratuito em pontos públicos, os locais contemplados serão as Praças Pereira Lima, Monsenhor Diniz e Cidade Nova. Posteriormente outros pontos da cidade também receberão o sistema.
Na última semana, representantes da empresa responsável pela implementação estiveram reunidos com o chefe de Gabinete dr. Ricardo da Silva Miguel, com a diretora do Departamento de Tecnologia da Informação Taciana Oliveira, com o diretor de Projetos Tecnológicos Renan Gonçalves e com o secretário Municipal de Obras Alexandre Brasil, onde foi apresentado o cronograma e os locais onde serão instaladas as fibras.
Segundo os representantes da empresa, a fibra óptica passará por toda cidade através de tubos subterrâneos, com uma instalação não evasiva.
O prefeito Josias Quintal assinou o acordo de cooperação com o Ministério das Comunicações para a implantação do Projeto Cidades Digital em 2014, aproximadamente 1 ano após a entrega do projeto desenvolvido pela Prefeitura Municipal.
O programa Cidade Digital busca a modernização da gestão municipal e o desenvolvimento local através de uma rede de telecomunicações que vai interligar os órgãos públicos.
"Para nós é um momento muito importante, que confirma todo o nosso esforço em modernizar a administração pública e com ela trazer todos os seus benefícios”, disse o prefeito Josias Quintal.

Ascom Pádua


Lava-Jato entra com ação contra o PP e pede devolução de mais de R$ 2,3 bilhões


Força-tarefa da Lava-Jato apresentou à Justiça ação de improbidade
 administrativa contra o PP e dez políticos da legenda
Foto: Divulgação




A força-tarefa da Lava-Jato em Curitiba apresentou à Justiça ação de improbidade administrativa contra o PP e dez políticos da legenda, além de um ex-assessor parlamentar. Esta é a primeira ação movida contra um partido político com base nas investigações do esquema de propina instalado na Petrobras. Os procuradores pedem a devolução de mais de R$ 2,3 bilhões, perda dos cargos e suspensão de direitos políticos dos envolvidos, além de perda de contagem de tempo para aposentadoria parlamentar.
--Vários políticos vinculados ao Partido Progressista receberam mesadas que variavam entre R$ 30 mil e R$ 300 mil -- afirmou o procurador Deltan Dallagnol.
De acordo com a força-tarefa, os deputados federais Otávio Germano, Luiz Fernando Faria e Roberto Britto, por exemplo, receberam uma "mesada" de R$ 30 mil por mês, por mais de sete anos.
- Os recursos obtidos por meio da arrecadação de propina foram destinados para quadros políticos do Partido Progressista e para o próprio partido, tendo por objetivo enriquecimento ilícito, assim como financiamento de campanhas eleitorais - disse o procurador.
Os acusados são os ex-deputados federais Pedro Corrêa (PE), Pedro Henry (MT), João Pizzolatti (SC) e Mário Negromonte (BA); os deputados federais Nelson Meurer (PR), Mário Negromonte Júnior (BA), Arthur Lira (AL), Otávio Germano (RS), Luiz Fernando Faria (MG) e Roberto Britto (BA), além de João Genu, ex-assessor parlamentar do ex- deputado federal José Janene e já condenado na Lava-Jato.
Negromonte Júnior é citado por ter contribuiu para atos de improbidade de seu pai, o ex-ministro Mário Negromonte, recebendo propinas disfarçadas de doação eleitoral oficial.
Dallagnol destacou que as propinas ajudaram o PP a eleger mais parlamentares e, assim, a ser beneficiado com mais recursos públicos.
-- O incremento de recursos para fins de financiamento eleitoral, tende a gerar um número maior de parlamentares eleitos e, por fim, aumentar as verbas do Fundo Partidário destinadas do partido, que é mais um benefício gerado em prol da legenda -- disse o procurador, acrescentando que a ação de improbidade não impede a continuidade da atividade da legenda e dos políticos envolvidos.
O procurador explicou que a ação não criminaliza os envolvidos nem visa obstruir a atividade política. Por isso, não foi pedido bloqueio das verbas do Fundo Partidário.
-- É importante ressaltarmos que essa ação não criminaliza nem obstrui a atividade política, mas sujeita a todos, inclusive poderosos, debaixo da mesma lei - disse Dallagnol.
Segundo o procurador, além dos políticos citados na ação, há evidências que pelo menos outros 21 políticos do PP receberam destinação de propina a título de mesada.
A ação envolve as propinas direcionadas ao PP pela diretoria de Abastecimento da Petrobras, que cobrava percentual de propina sobre o valor das obras distribuídas entre empreiteiras. Inclui ainda vantagens que o ex-diretor da área, Paulo Roberto Costa, delator da Lava-Jato, concedeu para a Braskem, a petroquímica do Grupo Odebrecht.
Costa foi indicado ao cargo pelo PP. Com o tempo, passou a depender também de apoio do PMDB e do PT.
A ação tem como base a Lei 8.429/92, que estabelece penas a agentes públicos que transgridem a lei e causam danos aos cofres públicos.

O que cabe a cada um:
O grupo de ex-líderes do PP - Pedro Corrêa, Pedro Henry, João Genu, João Pizzolatti, Mário Negromonte, e o deputado federal Nelson Meurer - são acusados de terem articulado a indicação de Paulo Roberto Costa para a diretoria da Petrobras, em troca de propina, articulando o esquema de corrupção.
Na ação, o MPF pede que o partido e o grupo de líderes devolvam R$ 2,3 bilhões aos cofres públicos - R$ 460 milhões, equivalente à propina paga ao PP, a seus integrantes e a terceiros; R$ 1,3 bilhão de multa civil e pagamento de danos morais coletivos de R$ 460 milhões. Todos respondem solidariamente.
Os deputados federais Otávio Germano, Luiz Fernando Faria e Roberto Britto foram acusados de receber mesadas de propinas, de R$ 30 mil por mês, por sete anos, até março de 2014.
O MPF pediu que Germano devolva R$ 2,9 milhões (propina recebida), pague multa de R$ 8,9 milhões e dano moral de R$ 2,9 milhões;
Britto e Faria devem devolver, cada um deles, R$ 2,5 milhões - com multa civil de R$ 7,6 milhões e dano moral de R$ 2,5 milhões;
Mário Negromonte Júnior, R$ 683 mil (propina), multa civil de R$ 2 milhões, e dano moral de R$ 683 mil;
Arthur Lira, R$ 1,9 milhão (propina paga), multa civil de R$ 5,8 milhões e dano moral de R$ 1,9 milhão.

OUTROS LADOS
Em nota, o PP afirmou que “todas as doações recebidas foram legais e devidamente declaradas e aprovadas” pela Justiça Eleitoral. O partido disse ainda que não compactua com condutas ilícitas e que “confia na Justiça para que os fatos sejam esclarecidos”.A Braskem lembrou, também em nota, que assinou acordo de leniência em dezembro de 2016, que inclui todas as práticas impróprias, e está pagando mais de R$ 3 bilhões em multas e indenizações.
A defesa de Pedro Corrêa disse que não comentaria acusações contra o seu cliente até que seja homologado o acordo de delação premiada que ele negocia com a força-tarefa da Lava-Jato. O advogado de João Cláudio Genu, ex-asssessor de Janene, informou que vai aguardar ser citado da ação para se manifestar.
Em nota, a assessoria de imprensa do deputado Mário Negromonte Júnior disse que a ação “não está lastreada em indícios mínimos que apontem para a materialidade de qualquer ato de improbidade”. O pai dele, Mario Negromonte, conselheiro do Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, afirmou, também por meio de nota, que os fatos articulados na ação de improbidade são “os mesmos já deduzidos perante o Supremo Tribunal Federal, sendo que lá já foram prestados os esclarecimentos que decerto seriam suficientes a contestar a pretensão agora apresentada ao Judiciário”.
O deputado Luiz Fernando Faria informou que o “objeto da ação trata-se do mesmo fato que já está sendo apurado no Supremo Tribunal Federal e irá se posicionar após conhecimento do teor”.
Procurados, os deputados Arthur Lira, Otávio Germano, e Roberto Britto não se manifestaram. Nelson Meurer, Pedro Henry e João Pizzolatti não foram localizados.


Extra


Picciani esclarece razões da condução coercitiva


Foram apenas três perguntas elaboradas pelo STJ  e lidas
 pela delegada responsável pela tomada do depoimento


As respostas que o presidente da Assembleia Legislava do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani, deu às únicas três perguntas que lhe foram feitas durante uma hora, na sede Polícia Federal (PF), no último dia 29, resultaram em uma página e meia de depoimento.

Foi o que disse e mostrou o deputado, no dia 30, em pronunciamento de cerca de 25 minutos, no plenário da Alerj, sobre os fatos ocorridos na quarta, quando foi levado a depor coercitivamente e teve casa e gabinetes alvos de busca e apreensão, resultado da delação premiada feita pelo ex-presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), Jonas Lopes de Carvalho Júnior. “Nada temia, nada devo e não temo insinuações de delator”, disse.

Embora nem ele e nem seus advogados tivessem conhecimento do teor das acusações, Picciani disse que abriu mão da prerrogativa legal de não responder e ressaltou que tanto os policiais federais quanto os representantes do Ministério Público Federal (MPF) que fizeram a busca e apreensão na sua casa, embora rigorosos e minuciosos, agiram de forma respeitosa e profissional.

Perguntas

Foram apenas três perguntas elaboradas pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) e lidas pela delegada responsável pela tomada do depoimento: 1) Como foi a tramitação do projeto que alterou as regras do Fundo Especial de Modernização e Controle Externo do TCE – onde são depositados recursos oriundos de economias orçamentárias; 2) Se ele conhecia o presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), Lélis Teixeira; e 3) Se ele tinha conhecimento de que o TCE recebia 1% de todas as obras acima de R$ 5 milhões.

Picciani explicou que as mudanças nas regras do fundo – para que o TCE pudesse doar parte dele para o estado usar nas áreas de Saúde, Educação e Segurança, incluindo Departamento Geral de Ações Sócio-Educativas (Degase) e Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) – foram solicitadas a pedido do próprio Jonas, que enviou à Alerj, em março de 2016, projeto nesse sentido – aprovado no mês seguinte.

Sobre o presidente da Fetranspor, Lélis Teixeira, Picciani explicou que o conhece porque a entidade participa do Forum Permanente da Alerj. Fundado há 13 anos, o Forum propõe caminhos para o desenvolvimento do Rio e funciona como um canal oficial de interlocução do Parlamento com 30 entidades da sociedade civil. O presidente da Alerj acrescentou que, por isso, Lélis já participou de inúmeros eventos públicos na Casa, nos quais foram discutidas questões de interesse da sociedade.


O presidente da Alerj informou, também, que vai colocar em votação na próxima terça-feira (04/04) o veto do governador Luiz Fernando Pezão à emenda, de autoria do PSDB, ao projeto de lei 2.248/2016, que alterou as regras do Bilhete Único Intermunicipal (BUI). De autoria do PSDB, a emenda vetada determinava que o saldo remanescente dos cartões de transporte, acumulado após um ano sem uso, fosse destinado ao Fundo Estadual de Transporte. Enviado pelo Executivo, o projeto foi aprovado no dia 8 de dezembro de 2016 e sancionado em 29 de dezembro de 2016, tornando-se a Lei 7.506/16.

Quanto ao fato de o TCE receber 1% de todas as obras do Estado acima de R$ 5 milhões, Picciani ressaltou que, evidentemente, nem ele nem ninguém do Parlamento poderiam saber disso. “Essa terceira pergunta que a própria delegada disse que não sabia se teria como fazer, foi respondida em meia linha”, disse. Ele afirmou que gostaria de distribuir aos parlamentares cópias de seu depoimento, mas acrescentou que os advogados o alertaram que, se fizesse isso, quebraria o sigilo de justiça imposto no inquérito.

Picciani considerou o que imagina ser a deleção de Jonas Lopes – já que não teve acesso ao inquérito – “extremamente frágil” e disse acreditar que ele fez essas delações por vingança à CPI do TCE, levada a cabo pela Alerj em 2010 – a CPI, embora tenha sido anulada pela Justiça, produziu relatório que ajudou os procuradores no processo. Os conselheiros Jonas Lopes, José Graciosa e o ex-conselheiro José Nader responderam no STJ até julho de 2016, quando foram absolvidos.

Além disso, ele lembrou que Jonas é próximo de um inimigo político dele. “Só posso entender isso como ilações, porque não há nenhuma acusação de que eu tenha recebido qualquer vantagem ilegal, porque não recebi e não há como provar que recebi. Só posso entender isso como uma tentativa de pegar um parlamento, que tem suas divergências, mas que é transparente.”

Além de relatar o que ocorreu, Picciani respondeu e distribuiu aos deputados notas oficiais respondendo duas reportagens veiculadas no RJ TV e no Jornal O Globo que, de alguma forma, guardam relação com o que lhe foi perguntado, embora sem nenhum detalhe.


quinta-feira, 30 de março de 2017

Cadeia láctea do Rio de Janeiro tem potencial para crescer em todo o estado


Produzido pelo Sistema FIRJAN e Sindicato das Indústrias de Laticínios, estudo diz que produção pode multiplicar por quatro


O Sistema FIRJAN e o Sindicato das Indústrias de Laticínios do Estado do Rio (SindLat-RJ) finalizaram o Diagnóstico da Cadeia Agroindustrial de Lácteos fluminenses, que comprova o forte potencial de crescimento do setor. Conforme o estudo, a cadeia do leite tem potencial para aumentar em até quatro vezes a sua produção, confirmada pelo alto consumo do produto em todo o estado.
Produzido pela MilkPoint Inteligência, a pedido do sindicato e da Federação, o diagnóstico avaliou os números da cadeia produtiva da última década e constatou o enorme espaço para crescer, baseado apenas no consumo de leite tanto pelo consumidor final quanto para os demais setores, que usam o produto como matéria-prima na produção de derivados. Atualmente, o estado do Rio produz 513 milhões de litros/ano, o que corresponde apenas a 22% do total consumido, ou seja, 2,9 bilhões de litros/ano em todo o estado.
“A produção local supre apenas um quarto da demanda interna pelo produto. Mesmo que dobrássemos nossa produção de leite nos próximos dez anos, ainda teríamos que importar dos demais estados. A indústria fluminense, composta por 102 empresas, movimenta em torno de R$ 1,4 bilhão. Deste montante, de 50 a 60% vão direto para os produtores rurais distribuídos em todos os municípios do estado”, destaca Antonio Carlos Celles Cordeiro, presidente do SindLat-RJ.
De acordo com o diagnóstico, as soluções para aumentar a capacidade produtiva passam pelo desenvolvimento de um planejamento estratégico setorial, além da continuidade de incentivos fiscais. O sindicato e a FIRJAN defendem a elaboração de políticas públicas que tenha como meta inicial a redução das “importações de lácteos de outros estados” e elevar a produção interna para 50% do atual consumo.
Segundo Antonio Carlos, se essa meta for alcançada, “mais do que duplicaremos o Valor Bruto da Produção (VBP) e, consequentemente, se cria um grande programa de geração de emprego e renda”. “Não há nenhuma outra atividade que possa gerar tanta riqueza distribuída por quase todos os municípios”, acrescenta.
O Estado do Rio tem, conforme o levantamento, como pontos fortes para o crescimento da cadeia láctea os baixos custos de distribuição, o grande mercado consumidor local e a renda per capita do consumidor final. No entanto, como pontos fracos, destacam-se o atual perfil do produtor, as condições de produção no campo, os custos dos principais insumos e os incentivos fiscais de outros estados, que reduzem, comparativamente, os incentivos fluminenses.
“Um dos principais problemas é a compra de leite fresco de outros estados e que são processados aqui, pois os impostos pagos para essa importação geram custos”, explica Antonio Carlos.
Para incentivar o fomento à produção local, o Sistema FIRJAN e o sindicato preveem o desenvolvimento de um planejamento estratégico de longo prazo, contemplando ações setoriais coordenadas com os diversos agentes da cadeia produtiva: sindicatos, Emater, Embrapa, universidades e institutos de pesquisa, Secretaria de Agricultura do estado, entre outros. O objetivo é alavancar efetivamente os volumes de produção no estado, reduzir a dependência externa e melhorar a eficiência de aproveitamento da estrutura industrial fluminense.

Fórum Empresarial de
Alimentos e Bebidas
O diagnóstico da cadeia agroindustrial de lácteos fluminense foi apresentado a empresáriosindustriais, representantes da academia, do governo e do Sebrae, que integram onovo Fórum Empresarial da Cadeia Produtiva de Alimentos e Bebidas do Sistema FIRJAN, ampliando a atuação do Fórum Empresarial de Agroindústria, que existia até o ano passado.
“Para atender melhor aos interesses dos empresários foi criado, no ano passado, a gerência setorial de Alimentos e Bebidas na FIRJAN. Com o novo fórum, ampliaremos o escopo de atuação, incluindo desde a produção agrícola até a ponta final do processo, que é a mesa do consumidor”, afirma Antonio Tavares, gerente setorial de Alimentos e Bebidas da Federação.

Lei de Jair Bittencourt é aprovado na Alerj






O deputado estadual Jair Bittencourt teve mais um projeto aprovado na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj). Na sessão desta terça-feira (28), aconteceu a votação do projeto de lei 2.301/16, de autoria do deputado, que inclui algumas patentes na dispensa de critérios para transferência de oficial da Polícia Militar da reserva remunerada. O texto modifica a Lei 7.289/2016 que alterou o Estatuto da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (PMERJ).

A transferência para a reserva remunerada pode ocorrer quando o oficial completa 60 anos ou de acordo com o tempo de permanência em determinadas funções. A Lei 7.289/16 dispensava do cumprimento dessas regras os comandantes que ocupam cargos como secretário de Segurança, comandantes de policiamento de área, chefe do Estado Maior Geral da PM, entre outros. A proposta de Jair Bittencourt inclui também os comandantes de operações especiais, policiamento especializado, polícia ambiental e da coordenadoria de polícia pacificadora.

- Os batalhões incorporados pelo projeto de lei que apresentamos têm, de uma maneira em geral, atribuições em todo o estado e possuem unidades especializadas subordinadas a eles. Precisamos que também tenham o mesmo tratamento dos demais que já haviam sido contemplados na lei anterior. O que fazemos hoje, é dar um tratamento justo ao policial militar que já dedicou tanto tempo de sua vida à corporação e à sociedade - afirmou Jair Bittencourt.

quarta-feira, 29 de março de 2017

Adriana Ancelmo é levada para cumprir prisão domiciliar no Leblon, Rio

Ex-primeira-dama do RJ foi beneficiada por liminar concedida pelo Superior Tribunal de Justiça


A ex-primeira-dama Adriana Ancelmo chega ao seu apartamento
 no Leblon, Zona Sul do Rio de Janeiro
Foto: Alessandro Buzas/Futura Press/Futura Press/Estadão Conteúdo 


A ex-prrimeira-dama do estado do Rio de Janeiro, Adriana Ancelmo, foi levada por agentes da Polícia Federal para cumprir prisão domiciliar na noite desta quarta-feira (29) em seu apartamento, no Leblon, Zona Sul do Rio.

Adriana foi hostilizada por parentes de presos ao deixar o presídio. Ela chegou ao Leblon por volta das 20h, sob vaias e xingamentos de cerca de 50 pessoas que aguardavam no local. Os carros da Polícia Federal foram recebidos por gritos de "Volta para Bangu", além de palavrões e ofensas. Alguns chegaram a desferir tapas contra o vidro e foram afastados por agentes da PF.

A mulher do ex-governador Sérgio Cabral estava presa na ala feminina do presídio de Bangu 8, no Complexo Penitenciário de Gericinó, na Zona Oeste, desde 17 de dezembro. Adriana responde por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Na manhã desta quarta, o juiz da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Marcelo Bretas, expediu alvará determinando que Adriana seja levada para seu apartamento: "devendo a acusada assinar o termo de compromisso de que cumprirá todas as condições ali descritas, sob pena de imediato retorno à custódia preventiva no sistema prisional", escreveu o magistrado.

Adriana Ancelmo recebeu o benefício na sexta-feira (24), por decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), sob a condição de que a casa não tivesse telefones fixos nem celulares e acesso à internet. Na tarde de terça-feira (28), agentes da Polícia Federal fizeram uma vistoria no apartamento e no prédio para garantir que o imóvel cumpra os pré-requisitos para a prisão domiciliar.

Os policiais ficaram pouco mais de uma hora no prédio. Foi possível ver que eles conversaram com funcionários e checaram o interfone do imóvel. Na saída, agentes informaram que fizeram a vistoria e que agora vão entregar o laudo à Justiça. Um dos policiais chegou a dizer para jornalistas que o imóvel "está apto".

A ministra do STJ Maria Thereza de Assis Moura autorizou a prisão domiciliar da ex-primeira-dama sob a alegação que os dois filhos dela e de Cabral - de 10 e 14 anos - não poderiam ficar privados do convívio com os dois pais ao mesmo tempo, já que o ex-governador também está preso.
A volta de Adriana Ancelmo para casa motivou protestos na esquina da rua onde ela mora. Um pequeno grupo fez um "panelaço" na frente do prédio e cartazes foram colocados na orla do Leblon, na esquina da Avenida Delfim Moreira com a Rua Aristides Espínola. "Direitos iguais para as detentas pobres", dizia um dos cartazes.

Extra

I Copa Absolut de Jiu-Jitsu reúne cerca de 500 atletas de diversas cidades no Ginásio Pedrão


Atletas de todas as categorias, pesos, faixas e idades, lutam, no Ginásio Pedrão,
 pela I Copa Absolut Fight Gi e No Gi de Jiu-Jitsu

A I Copa Absolut Fight Gi (Pano) e No Gi (Sem Pano) reuniu cerca de 500 atletas, de todas as categorias, pesos, faixas e idades, no Ginásio Pedrão, em Teresópolis, no último domingo, 26. Com o apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Esportes, o evento contou com a participação de lutadores de várias cidades do estado.
Presente à competição, o secretário de Esportes, Luiz Otávio Oliveira, frisou o apoio do prefeito Mario Tricano às diversas modalidades esportivas, inclusive o Jiu-Jitsu. “O prefeito tem nos dado todo o incentivo para que possamos promover esses eventos aqui no Pedrão. Temos realizado frequentemente competições de Jiu-Jitsu no ginásio e são oportunidades para os atletas mostrarem o seu talento. Além disso, através da parceria firmada com academias, temos projetos sociais para oferecer a prática do Jiu-jitsu para crianças e jovens que não podem pagar a mensalidade”.

Organizada por Roger Takayas, coordenador do Clube de Jiu-jitsu PitBull, que tem como fundador o mestre Bitta, e ‘Eventos de Lutas’, a I Copa Absolut Fight Go e No Gi teve lutadores de academias de Teresópolis e de Petrópolis, entre outras.

Ascom

Novo Programa Mais Educação é iniciado com reunião em Varre-Sai




Para dar início ao Novo Programa Mais Educação, aconteceu na manhã desta quarta-feira (29/03), no Rancho Varre-Sai, ao lado do Casarão Cultural Sebastião Oliveira Vargas, uma reunião da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Varre-Sai com os mediadores da aprendizagem.

O prefeito de Varre-Sai, Silvestre José Gorini, realizou a abertura do evento que ainda contou com as presenças do vice-prefeito, João Said e do secretário municipal de Educação e Cultura, Carlos Alberto da Silva.

“Começa uma nova etapa da Educação. Vai ser muito importante o trabalho de vocês. Já conversamos com o secretário de Educação sobre a necessidade da melhoria do IDEB, pois o nosso índice é razoável e precisamos melhorá-lo, oferecendo uma Educação de qualidade e para isso, contamos com a colaboração de todos vocês”, disse o prefeito.

O Novo Mais Educação, é um Programa do Governo Federal e será desenvolvido nas Escolas Municipais Primo José Sobreira, Vargem Alegre, Cruz da Ana e Elídio Valentim de Moraes. O Programa contará com o apoio do Departamento Pedagógico, da Secretaria de Educação, reiterado na reunião pela diretora do Departamento, Dayselane Pimenta.

“É um grupo de esperança de melhor Educação e que tudo aconteça de acordo com o propósito da Administração de melhorar o relacionamento entre as pessoas e fazer da nossa terra um destaque na Educação”, lembrou o vice-prefeito.

O objetivo maior do Programa é o reforço escolar nas disciplinas de Português e Matemática, além de Esporte, Cultura e Artes. O Novo Mais Educação envolve ainda o Resgate de Brincadeira como campeonato de peteca, queimadas, entre outros.

“Estamos bastante animados com o Novo Mais Educação porque ele vem reforçar a nossa proposta de melhoria nos indicadores da Educação”, destacou o secretário de Educação.

O Programa funcionará a partir do dia 03 de abril, por um período de 8 meses e é direcionado a todos os alunos, principalmente os que tem dificuldades de aprendizagem.
E para isso, 30 mediadores da aprendizagem vão trabalhar contra turno e na sala de aula como suporte para o professor efetivo.




“Já trabalhamos com o Mais Educação em 2015 e vimos um resultado muito bom no IDEB, onde escolas ultrapassaram a meta proposta”, afirmou a coordenadora do Programa em Varre-Sai, Bernadete Moura de Sá.

Ascom

Seis macacos são encontrados mortos em Laje do Muriaé

Animais foram encaminhados à Fiocruz nesta segunda-feira

Seis macacos da espécie barbudo foram encontrados mortos em Laje do Muriaé, no noroeste do estado do Rio, nesta segunda-feira. Segundo o secretário de Saúde do município, Rodolfo Almeida, os primatas estavam em área de mata fechada, em uma propriedade particular a dois quilômetros da cidade.
De acordo com ele, os animais foram achados por agentes da saúde da cidade após alertados por colonos. A ação também teve apoio da Secretaria de Meio Ambiente do município.
Os macacos, segundo Almeida, foram encaminhados na segunda-feira mesmo à Fiocruz. Ele informou que 80% da população de Laje do Muriaé já está vacinada contra a febre amarela.
O secretário de Saúde acredita que o número de macacos mortos possa ser maior porque, no local, foram encontradas ossadas de primatas. "As primeiras análises dos nossos veterinários não apontam ferimentos e nem marcas de tiros nos macacos, o que nos leva a crer que não foram mortos por pessoas, mas ainda não sabemos o que causou a morte deles", contou Almeida, garantindo que na cidade não há nenhum caso suspeito sendo tratado.
Os macacos mortos foram localizados por colonos que viram urubus voando pelo local. "Desde das primeiras informações sobre a febre amarela no estado, começamos a orientar a população sobre a doença e o que fazer no caso de encontrar macacos mortos", disse o secretário, que vai intensificar, a partir de amanhã, a vacinação na cidade. "Já estávamos programados para continuar a vacinar a população para ter 100% dos moradores vacinados, mas antecipamos o pedido de doses após o aparecimento desses macacos mortos", explicou Almeida.

 ODia